Banner Portal
Heterogeneidade estrutural, composição setorial e tamanho de empresa nos anos 1990
PDF

Palavras-chave

Produtividade industrial. Brasil – Indústria. Heterogeneidade estrutural

Como Citar

ROCHA, Frederico. Heterogeneidade estrutural, composição setorial e tamanho de empresa nos anos 1990. Economia e Sociedade, Campinas, SP, v. 13, n. 1, p. 61–76, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/ecos/article/view/8643057. Acesso em: 16 jun. 2024.

Resumo

O objetivo do trabalho é adicionar conhecimento sobre a variação do grau de heterogeneidade da indústria brasileira. Com base em dados da PIA o trabalho conclui que: (i) houve um forte aumento da heterogeneidade da indústria brasileira, no que se refere ao nível de produtividade, tanto no nível setorial quanto entre faixas de tamanho; (ii) o diferencial de crescimento da produtividade parece ser conseqüência de maior esforço de modernização nas empresas líderes; e (iii) houve um aumento relativo – também em termos absolutos – do número de postos de trabalho nos segmentos industriais de menor produtividade. A heterogeneidade estrutural traz duas conseqüências importantes no que diz respeito ao desenvolvimento. De um lado, o acúmulo de pessoal em segmentos estagnados implica efeito negativo sobre a taxa de crescimento da produtividade da economia. De outro, ela está marcada pela deterioração da qualidade dos postos de trabalho, porque as demissões das grandes empresas aumentam a oferta geral de trabalhadores e elevam a proporção de trabalhadores em postos de trabalho de menor produtividade, com efeitos negativos sobre o rendimento médio do trabalho.

Abstract

The paper aims to add information on the increase of structural heterogeneity in the Brazilian industry. Using data from the Industrial Annual Survey, the paper concludes that: (i) there is an increase in the structural heterogeneity of the Brazilian industry, if one analyzes the increase in productivity at the sectoral level and by firm size; (ii) differences in productivity growth seem to be a consequence of a modernization effort undertaken by leading Brazilian companies; (iii) there is an increase of the proportion of workers in low productivity (stagnant) sectors.

Key words: Productivity. Structural heterogeneity. Brazilian industry

PDF

Referências

BAUMOL, W. Macroeconomics of unbalanced growth: the anatomy of an urban crisis. American Economic Review, Jun. 1967.

BONELLI, R. Labor productivity in Brazil during the 90’s. Rio de Janeiro: IPEA, 2002. (Texto para discussão, n. 906).

FERRAZ, J. C.; KUPFER, D.; IOOTTY, M. Made in Brazil: industrial competitiveness ten Years after economic liberalization. In: HAMAGUCHI, N. A study on the economic liberalization in Brazil: 1995-2002. IDE_JETRO, Chiba, 2003.

IBGE. Pesquisa de Inovação Tecnológica 2000. Rio de Janeiro: IBGE, 2002.

IBGE. Pesquisa Industrial Anual – Empresa, 1999. Rio de Janeiro: IBGE, 2001. v. 18.

IBGE. Pesquisa Industrial Anual – Empresa , 2000. Rio de Janeiro: IBGE, 2002.

KATZ, J. Structural change and labor productivity growth in Latin American manufacturing industries, 1970-96. World Development, v. 28, n. 9, p. 1583-1596, 2000.

MEDEIROS, C. Globalização e a inserção internacional diferenciada da Ásia e da América Latina. In FIORI, J. L.; TAVARES, M. C. (Org.). Poder e dinheiro: uma economia política da globalização. Petrópolis: Editora Vozes, 1997.

OCAMPO, J. A. A new look at the development agenda. Cepal Review, n. 74, Aug. 2001.

REINHARDT, N.; PERES, W. Latin America’s new economic model: micro responses and economic restructuring. World Development, v. 28, n. 9, p. 1543-1563, 2000.

ROCHA, F.; KUPFER, D. Structural changes and specialization in Brazilian industry: the evolution of leading companies and the M&A process. The Developing Economies, v. XL, n. 4, p. 497-521, 2002.

TYBOUT, J. Heterogeneity and productivity growth. In: ROBERTS, M.; TYBOUT, J.

(Ed.). Industrial evolution in developing economies. Oxford: Oxford University Press, 1996.

WILLIAMSON, J. What Washington means by policy reform. In: LATIN American adjustment: how much has happened? Washington, DC, Institute for International Economics, 1990.

A Economia e Sociedade utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.