Mobilidade socioeconômica no Brasil, padrão de consumo e conflitos socioambientais

Autores

  • Fernando Sertã Meressi Universidade de Brasília
  • Maria de Fátima Souza Silva Universidade de Brasília

Palavras-chave:

Mobilidade socioeconômica. Padrão de consumo. Conflito socioambiental. Renda média. Renda alta.

Resumo

A ampliação, verificada neste artigo, do número de brasileiros nas classes média e alta, proporcionada, em larga medida, por algumas importantes políticas públicas, produz reflexos na elevação do padrão de consumo. O incremento da renda também vem sendo observado em outros populosos países do Sul, o que acirra o conflito socioambiental entre ricos e pobres em escala mundial, dado o já ambientalmente insustentável padrão de vida vigente nos países do Norte e entre as elites econômicas do Sul. Quais populações deveriam arcar com os sacrifícios econômicos necessários à sustentabilidade do planeta? Quais questões são suscitadas por um processo de arrefecimento econômico que vise ao desenvolvimento sustentável, levando-se em conta um contexto de economia capitalista? Como as novas tecnologias se inserem nesse processo? Esses são os temas principais discutidos neste artigo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernando Sertã Meressi, Universidade de Brasília

Possui graduação em Ciências econômicas pela Universidade Federal Fluminense (1996) e mestrado em Economia pela Universidade Federal Fluminense (1999). Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento, Sociedade e Cooperação Internacional do CEAM / UnB. Atualmente é analista de planejamento e orçamento do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Tem experiência na área de Economia, com ênfase em Desenvolvimento.

Maria de Fátima Souza Silva, Universidade de Brasília

Maria de Fátima Sousa e Silva é Professora Catedrática do Instituto de Estudos Clássicos da Universidade de Coimbra. Desenvolveu, como tese de doutoramento, um estudo sobre a Comédia Grega Antiga (Crítica do teatro na Comédia Grega Antiga), e, desde então, tem prosseguido com investigação nessa área. Publicou já traduções comentadas de outras nove comédias de Aristófanes, além de um volume com a tradução das peças e dos fragmentos mais significativos de Menandro. Ocupou-se igualmente da tradução de alguns tratados biológicos de Aristóteles,História dos animais e Partes dos animais.

Referências

ANDERSON, K. Climate change going beyond dangerous – Brutal numbers and tenuous hope. Development Dialogue, Sept. 2012.

BAUDRILLARD, J. A sociedade de consumo. Lisboa: Edições 70, 1995.

BRASIL. Ministério da Fazenda. Economia Brasileira em Perspectiva. Brasília: 15° Edição: abr. 2012a.

BRASIL. Ministério da Fazenda. Economia Brasileira em Perspectiva. Brasília: 17° Edição, dez. 2012b.

BRASIL. Ministério da Previdência Social. Boletim Estatístico da Previdência Social, v. 17, n. 4, abr. 2012.

BRASIL. Secretaria de Assuntos Estratégicos. Comissão para Definição da Classe Média no Brasil, 2012.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. O que o brasileiro pensa do meio ambiente e do consumo sustentável. Brasília, 2012e.

BRUNDTLAND, Gro Harlem. Nosso futuro comum. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas. 1987.

BURSZTYN, Marcel. Contribuições no debate. In: NASCIMENTO, Elimar P.; VIANNA, João Nildo. Dilemas e desafios do desenvolvimento sustentável no Brasil. Rio de Janeiro: Garamond, 2007.

BURSZTYN, Marcel; BURSZTYN, Maria Augusta. Fundamentos de política e gestão ambiental: caminhos para a sustentabilidade. Rio de Janeiro: Garamond, 2012.

DALY, Herman. Una economía de estado estacionário. Nueva Sociedad, n. 244, mar./abr. 2013. Disponível em: www.nuso.org.

DEPARTAMENTO INTERSINDICAL DE ESTATÍSTICAS E ESTUDOS SOCIOECONÔMICOS (DIEESE). Política de valorização do Salário Mínimo. São Paulo, dez. 2011. (Nota Técnica, n. 106).

MARTINE, George; TORRES, Haroldo; MELLO, Leonardo. Cultura do consumo e desenvolvimento econômico na era das mudanças climáticas. In: MARTINE, George; BARBIERI, Alisson; CARMO, Roberto L. População e sustentabilidade na era das mudanças ambientais globais. Belo Horizonte: ABEP, 2012.

MARTÍNEZ ALIER, Joan. O ecologismo dos pobres: conflitos ambientais e linguagens de valoração. São Paulo: Contexto, 2012.

MARX, Karl. O capital: crítica da economia política. Livro I, Volume II. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1968.

MELLO, Leonardo; HOGAN, Daniel. População, consumo e meio ambiente. In: HOGAN, Daniel J. (Org.). Dinâmica populacional e mudança ambiental: cenários para o desenvolvimento brasileiro. Campinas: Núcleo de Estudos de População (NEPO), Universidade Estadual de Campinas, 2007.

MELLO, Leonardo. População, consumo e mudança climática. In: HOGAN, Daniel Joseph; MARANDOLA JR., Eduardo. (Org.). População e mudança climática: dimensões humanas das mudanças ambientais globais. Campinas: NEPO-Unicamp, 2009, p.109-135. Disponível em: http://www.researchgate.net/profile/Leonardo_ Freire_de_Mello/publication/276917985_Populao_consumo_e_mudana_climtica/links/555b580208ae91e75e764ea7.pdf.

MERESSI, Fernando; SILVA, Maria de Fátima. S. A estratégia de desenvolvimento do Governo Brasileiro no período 2004-2011: reflexões à luz de uma educação Fernando Sertã Meressi / Maria de Fátima Souza e Silva emancipatória. In: CONGRESSO INTERNACIONAL INTERDISCIPLINAR EM SOCIAIS E HUMANIDADES, 1, Niterói, Universidade Federal Fluminense, 2012.

MORAN, Emilio F. Meio ambiente e ciências sociais: interações homem-ambiente e sustentabilidade. São Paulo: Senac, 2011.

NASCIMENTO, Elimar P. do; VIANNA, João Nildo. Dilemas e desafios do desenvolvimento sustentável no Brasil. Rio de Janeiro: Garamond, 2007.

RIBEMBOIM, Jacques (Org.). Mudando os padrões de produção e consumo: textos para o século XXI. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, dos Recursos Hídricos e da Amazônia Legal, 1997.

SANTOS, Milton. Por uma outra globalização: do pensamento único à consciência universal. 20. ed. Rio de Janeiro: Record, 2011.

SAWYER, Donald. Consumption patterns and environmental impacts in a global socioecosystemic perspective. In: HOGAN, Daniel; TOLMASQUIM, Maurício (Eds.). Human dimensions of global environmental change: Brazilian perspectives. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Ciências, 2001.

SAWYER, Donald. Population and sustainable consumption in Brazil. In: HOGAN, Daniel; BERQUÓ, Elza; COSTA, Heloisa (Ed.). Population and environment in Brazil: Rio+10. Campinas: CNPD, ABEP, NEPO, 2002.

WORLD WILDLIFE FUND. Living Planet Report 2012: biodiversity, biocapacity and better choices. Disponível em: http://wwf.panda.org.

Downloads

Publicado

2016-10-27

Como Citar

MERESSI, F. S.; SILVA, M. de F. S. Mobilidade socioeconômica no Brasil, padrão de consumo e conflitos socioambientais. Economia e Sociedade, Campinas, SP, v. 25, n. 1, p. 87–108, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/ecos/article/view/8647318. Acesso em: 28 jan. 2023.

Edição

Seção

Artigos