Banner Portal
Crise no mercado de ativos: um modelo pós-keynesiano
PDF

Palavras-chave

Keynes. Mercados de ativos financeiros. Crises financeiras. Macroeconomia. Economia pós-keynesiana

Como Citar

SILVA, Guilherme Ricardo dos Santos Souza; CURADO, Marcelo. Crise no mercado de ativos: um modelo pós-keynesiano. Economia e Sociedade, Campinas, SP, v. 25, n. 2, p. 373–400, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/ecos/article/view/8647588. Acesso em: 24 maio. 2024.

Resumo

A ocorrência de bruscas elevações/contrações nos preços dos ativos financeiros se constitui num fenômeno recorrente ao longo do desenvolvimento do capitalismo. Para a teoria pós-keynesiana, a própria natureza dos mercados financeiros e o seu funcionamento tendem a causar crises, sem a necessidade de um elemento exógeno. Harvey (2010) apresenta um modelo esquemático que explica as causas endógenas das crises financeiras, englobando os mercados de crédito, de ativos financeiros e de câmbio. No presente artigo apresentamos uma formalização do modelo de Harvey com o intuito de analisar as crises causadas por distorções nos mercados de ativos financeiros. O modelo apresenta uma contribuição no sentido de formalizar as relações entre o comportamento especulativo, o humor dos agentes e o seu estado de confiança. O modelo também trata da relação entre os preços dos ativos e a economia real, considerando uma relação de realimentação entre ambos. Os resultados estão completamente alinhados com as proposições de Keynes e dos pós-keynesianos a respeito da precificação de ativos e de crises nesses mercados.
PDF

Referências

ARTUS, P. Anomalies sur lês marchés finaciers. Economie Poche. Paris: Economica, 1995.

BLANCHARD, O. J.; FISCHER, S. Lectures in macroeconomics. New York: MIT Press, 1989.

BLANCHARD, O.; WATSON, M. W. Bubbles, rational expectations and financial markets. Cambridge, Massachusetts: National Bureau of Economic Research, 1982. (NBER Working Paper Series, n. 945).

BORDO, M. Stock market crashes, productivity boom busts and recessions: some historical evidence. Washington: International Monetary Fund, 2003. (World Economic Outlook)

BORIO, C. The financial cycle and macroeconomics: what have we learnt? BIS Working Papers No 395, December 2012.

CASS, D.; SHELL, K. Do sunspots matter? Journal of Political Economy, v. 91, n. 2, 1983.

CARSWELL, J. The South Sea Bubble. London: Cresset Press, 1960.

CARVALHO, F. C. Sobre ordem, incerteza e caos em economia. Revista Brasileira de Economia, Rio de Janeiro, v. 48, n. 2, 1994.

CURADO, M. Flutuações nos preços dos ativos: uma comparação entre as bolhas especulativas racionais e a contribuição keynesiana. Economia e Sociedade, Campinas, v. 15, n. 1 (26), 2006.

DASH, M. Tulipomania: the story of the world’s most coveted flower and the extraordinary passions it aroused. London: Gollancz, 2001.

DAVIDSON, P. Money and the real world. 2. ed. New York: John Wiley & Sons, 1978.

DAVIDSON, P. Financial markets, money and the real world. Cheltenham: Edward Elgar Publishing Limited, 2002.

DAVIDSON, P. The Keynes solution. New York: Palgrave McMillan, 2009.

DEQUECH, D. On some arguments for rationality of conventional behavior under uncertainty. Campinas: Unicamp. IE, 1999. (Texto para Discussão, n. 80).

ERTURK, K. A. Speculation, liquidity preference and monetary circulation. In: ARESTIS, Phillip; SAWYER, Malcolm C. (Ed.). A handbook of alternative monetary economics. 2006.

FERRARI FILHO, F.; ARAÚJO, J. P. Caos, incerteza e teoria pós-keynesiana. Ensaios FEE, Porto Alegre, v. 21, n. 2, p. 163-182, 2000

HARVEY, J. T. Modeling financial crises: a schematic approach. Journal of Post Keynesian Economics, v. 33, n. 1, p. 61-81, Fall 2010.

KEYNES, J. M. The general theory of employment, interest and money. New York: Harcourt, Brace and Company, 1936.

KEYNES, J. M. A treatise on probability. London: Macmillan and Co. Limited, 1921.

KINDLEBERGER, C. P.; ALIBER, R. Z. Manias, panics, and crashes – A history of financial crises. 5th ed. John Wiley, 2005.

KNIGHT, F. (1921). Risk, uncertainty and profit. New York: Sentry Press, 1964

MINSKY, H. Stabilizing an unstable economy. Yale University Press, 1986

OREIRO, J. L. Bolhas racionais, ciclo de preços de ativos e racionalidade limitada: uma avaliação crítica dos modelos de bolhas especulativas. Revista Análise Econômica, Porto Alegre, ano 21, n. 40, 2003.

OREIRO, J. L. Incerteza, comportamento convencional e surpresa potencial. Economica, n.4, p. 111-138, dez. 2000.

OREIRO, J. L. Capital mobility, real exchange rate appreciation, and asset price bubbles in emerging economies: a Post Keynesian macroeconomic model for a small open economy. Journal of Post Keynesian Economics, v. 28, n. 2, p. 317, Winter 2005-2006.

PALLEY, T. I. A theory of Minsky super-cycles and financial crises. Contributions to Political Economy, v. 30, n. 1, p. 31-46, 2011.

PAULA, L. F. R.; Macroeconomia aberta em contexto de globalização: algumas notas em uma perspectiva pós-keynesiana. In: FERRARI FILHO, F. Teoria geral, setenta anos depois: ensaios sobre Keynes e teoria pós-keynesiana. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2006, p. 179-206.

POSSAS, M. L. Para uma releitura teórica da Teoria Geral. Pesquisa e Planejamento Econômico, Rio de Janeiro, Ipea, p. 295-308, ago. 1986.

RAINES, J. P.; McLEOD, A.; LEATHERS, C. G. Theories of stock prices and the Greenspan-Bernanke doctrine on stock market bubbles. Journal of Post Keynesian Economics, v. 29, n. 3, p. 393-407, Spring 2007.

RAINES, J. P.; LEATHERS, C. G. Behavioral finance and Post Keynesian-Institutionalist theories of financial markets. Journal of Post Keynesian Economics, v. 33, n. 4, p. 539-555, Summer 2011.

SHILLER, R. P. Irrational exuberance. Princeton University Press, 2000.

A Economia e Sociedade utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.