Salário mínimo e distribuição de renda no Brasil a partir dos anos 2000

  • João Saboia Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • João Hallak Neto Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística
Palavras-chave: Salário mínimo. Distribuição de renda. Distribuição da renda familiar. Distribuição funcional da renda. Elasticidade.

Resumo

Há vários anos o salário mínimo (SM) vem passando por um intenso processo de crescimento no Brasil. Diversos autores têm argumentado que importante parcela da melhoria da distribuição de renda no passado recente pode ser atribuída ao aumento do SM. A partir do cálculo das elasticidades dos rendimentos em relação ao SM, este artigo procura estimar os efeitos da atual política de reajuste do SM sobre a melhoria da distribuição de renda. O resultado das simulações realizadas mostra que o SM contribuiu bastante nos últimos anos, tanto pelo mercado de trabalho quanto através das pensões, aposentadorias e outras transferências oficiais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

João Saboia, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Professor emérito do Instituto de Economia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (IE/UFRJ), Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

João Hallak Neto, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

Analista da Diretoria de Pesquisas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Referências

AFONSO, L. E.; PEREDA, P. C.; GIAMBIAGI, F.; FRANCO, S. O salário mínimo como instrumento de combate à pobreza extrema: estariam esgotados seus efeitos? Economia Aplicada, v. 15. n. 4, 2011.

BALTAR, P.; DEDECCA, C.; KREIN, J. (Org.). Salário mínimo e Desenvolvimento. Campinas: Unicamp, 2005.

BARROS, R. P. A efetividade do salário mínimo em comparação com o Bolsa Família como instrumento de redução da pobreza e da desigualdade. In: BARROS, R.; FOGUEL, M.; ULYSSEA, G. (Org.). Desigualdade de renda no Brasil: uma análise da queda recente. Brasília: Ipea, 2007. v. 2.

BRITO, A. S. O papel do salário mínimo na redução da desigualdade na distribuição de renda no Brasil entre 1995 e 2013. Tese (Doutorado)–Programa de Pós Graduação em Economia, Universidade Federal Fluminense, Niterói, ago. 2015.

CORSEUIL, C.; SERVO, L. Salário mínimo e bem-estar social no Brasil. Uma resenha da literatura. Rio de Janeiro: Ipea, 2002. (Texto para Discussão, n. 880).

FAJNZYLBER, P. Minimum wage effects through the wage distribution: evidence from Brazil’s formal and informal sectors. Cedeplar, Universidade Federal de Minas Gerais, 2001. (Texto para Discussão, n. 151).

FERREIRA, F.; LEITE, P.; MESSINA, J. A more level playing field? Explaining the decline in earnings inequality in Brazil, 1995-2012. International Research Initiative on Brazil and Africa (Iriba), Sept. 2014. (Working Paper, n. 12).

FIRPO, S.; REIS, M. C. O salário mínimo e a queda recente da desigualdade no Brasil. In: BARROS, R.; FOGUEL, M.; ULYSSEA, G. (Org.). Desigualdade de renda no Brasil: uma análise da queda recente. Brasília: Ipea, 2007. v. 2.

FOGUEL, M.; RAMOS, L.; CARNEIRO, F. The impact of minimum wage on the labor market, poverty and fiscal budget in Brazil. Rio de Janeiro: Ipea, 2001. (Texto para Discussão, n. 839).

GIAMBIAGI, F.; FRANCO, S. Esgotamento do papel do salário mínimo como mecanismo de combate à pobreza extrema. Rio de Janeiro: Ipea, 2007. (Texto para Discussão, n. 1290).

HALLAK NETO, J. A distribuição funcional da renda e a economia não observada no âmbito do sistema de contas nacionais do Brasil. Tese (Doutorado)–UFRJ, Rio de Janeiro, 2013.

HALLAK NETO, J.; SABOIA, J. A distribuição funcional da renda no Brasil: análise dos resultados recentes e estimação da conta da renda nos anos de informações preliminares do Sistema de Contas Nacionais. Revista de Economia Aplicada, Ribeirão Preto, FEA/USP, v. 18, n. 3, p. 483-513, jul./set. 2014.

IBGE. Sistema de Contas Nacionais – Brasil – referência 2010. Emprego e Remunerações Rio de Janeiro: IBGE, 2014. (Nota Metodológica, n. 14). Disponível em: ftp://ftp.ibge.gov.br/Contas_Nacionais/Sistema_de_Contas_Nacionais/Notas_ Metodologicas_2010/14_emprego_e_remuneracoes.pdf.

IBGE. Sistema de Contas Nacionais – Brasil 2010-2013. Rio de Janeiro: IBGE, 2015. Disponível em: http://biblioteca.ibge.gov.br/index.php/biblioteca-catalogo?view=detalhes&id=294942.

KOMATSU, B. K. Salário mínimo, desigualdade e informalidade. Dissertação (Mestrado)–Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013.

LAVINAS, L. Salário mínimo, linha de pobreza e benefícios assistenciais: desvincular é preciso? In: BALTAR, P.; DEDECCA, C.; KREIN, J. Salário mínimo e desenvolvimento. Campinas: Unicamp, 2005.

LEMOS, S. Minimum wage effects on wages, employment and prices: implications for poverty alleviation in Brazil. University of Leicester, 2005. (Working Paper, n. 05/15).

MENEZES FILHO, N.; RODRIGUES, E. A. S. Salário mínimo e desigualdade no Brasil entre 1981-1999: uma abordagem semiparamétrica. Revista Brasileira de Economia, Rio de Janeiro, v. 63, n. 3, jul./set. 2009.

NEDER, H. D.; RIBEIRO, R. Os efeitos distributivos do salário mínimo no mercado de trabalho brasileiro no período 2002-2008: enfoque a partir de distribuições contrafactuais. Pesquisa e Planejamento Econômico, v. 40, n. 3, dez. 2010.

NERI, M.; GONZAGA, G.; CAMARGO, J. Salário mínimo, efeito farol e pobreza. Revista de Economia Política, v. 21, n. 2, 2001.

NERI, M.; GIAMBIAGI, F. Previdência social e salário mínimo: o que se pode fazer respeitando a restrição orçamentária? Revista do BNDES, v. 7, n. 13, 2000.

OLIVEIRA, R. B.; HOFFMANN, R. Evolução do emprego e dos salários na agricultura brasileira, 1995 a 2013. In: CONGRESSO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E SOCIOLOGIA RURAL (SOBER), 53, João Pessoa, 2015.

SABOIA, J. O salário mínimo e seu potencial para a melhoria da distribuição de renda no Brasil. In: BARROS, R.; FOGUEL, M.; ULYSSEA, G. (Org.). Desigualdade de renda no Brasil: uma análise da queda recente. Brasília: Ipea, 2007. v. 2.

SABOIA, J. Efeitos do salário mínimo sobre a distribuição de renda no brasil no período 1995/2005 – resultados de simulações. Econômica, v. 9, n. 2, 2007.

SABOIA, J. Elasticidades dos rendimentos do trabalho em relação ao salário mínimo: a experiência de um período recente de crescimento do salário mínimo. Economia e Sociedade, Campinas, v.19, n. 2, 2010.

SABOIA, J. Salário mínimo e distribuição de renda no brasil – potencial e limites. In: BARBOSA, N.; PESSOA, S.; MOURA, R. L. (Org.). Política de salário mínimo para 2015-2018: avaliações de impacto econômico e social. Rio de Janeiro: Elsevier, 2015.

SABOIA, J.; KUBRUSLY, L. S. Indicadores para o mercado de trabalho metropolitano no Brasil. Rio de Janeiro: Instituto de Economia / UFRJ, 2014. (Texto para Discussão, n. 21)

SOARES, S. O impacto distributivo do salário mínimo: a distribuição individual dos rendimentos do trabalho. Rio de Janeiro: Ipea, 2002. (Texto para Discussão, n. 873).

SOARES, S. Análise do bem-estar e decomposição por fatores da queda na desigualdade entre 1995 e 2004. Econômica, v. 8, n. 1, 2006.

SOARES, S. A distribuição dos rendimentos do trabalho e a queda da desigualdade de 1995 a 2009. Boletim Mercado de Trabalho – Conjuntura e Análise, ano 15, n. 45, 2010.

SOUZA, P. R.; BALTAR, P. E. Salário mínimo e taxa de salários no Brasil. Pesquisa e Planejamento Econômico, v. 9, n. 3, p. 629-660, 1979.

ULYSSEA, G.; FOGUEL, M. Efeitos do salário mínimo sobre o mercado de trabalho brasileiro. Rio de Janeiro: Ipea, 2006. (Texto para Discussão, n. 1168).

UNITED NATIONS (UN). System of National Accounts 2008 [SNA-2008]. New York: United Nations, 2009. Disponível em: http://unstats.un.org/unsd/nationalaccount/docs/SNA2008.pdf.

Publicado
2018-05-25
Como Citar
Saboia, J., & Hallak Neto, J. (2018). Salário mínimo e distribuição de renda no Brasil a partir dos anos 2000. Economia E Sociedade, 27(1), 265-285. Recuperado de https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/ecos/article/view/8652548
Seção
Artigos