Ação estatal, negócios e migração inter-regional no Brasil (1935-1951)

Palavras-chave: Migração interna, Política de mão de obra, Governo Vargas, Negócios migratórios.

Resumo

Este trabalho aborda o aparato econômico e os negócios vinculados à migração no Brasil entre 1935 e 1951. Nesse período, a crise do capitalismo primário-exportador no Brasil e a emergência de um novo padrão de acumulação centrado na industrialização e no mercado interno, implicaram mudanças nas dinâmicas populacionais, que passaram a ter no trabalhador brasileiro migrante inter-regional o elemento numericamente majoritário nos fluxos migratórios, em substituição ao imigrante estrangeiro, até então predominante. O artigo tratará das transformações da política de deslocamento populacional (em especial, a centralização no governo central da política de mão de obra e a reintrodução dos subsídios à migração para o Estado de São Paulo), enfocando os negócios envolvidos no processo migratório intra-estadual no Brasil, procurando mostrar como o Estado foi elemento chave para favorecer a continuidade dos interesses ligados à oferta de mão de obra, como também para favorecer a internalização dos lucros nessa atividade econômica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cláudia Alessandra Tessari, Universidade Federal de São Paulo

Professora Associada da Universidade Federal de São Paulo. Doutora em Desenvolvimento Econômico pela Universidade Estadual de Campinas.

Julio Cesar Zorzenon Costa, Universidade Federal de São Paulo

Professor Associado da Universidade Federal de São Paulo. Doutorado em História Econômica pela Universidade de São Paulo.

Referências

ALEGRE, Silvia Elena. O café dá para tudo. A participação das elites cafeeiras no negócio de atração e transporte de imigrantes. In: ENCONTRO ESTADUAL DE HISTÓRIA DA ANPUH-SP, XXII, Santos, 2014. Anais eletrônicos...

AMARAL, Azevedo. O Estado autoritário e a realidade nacional. Rio de Janeiro: José Olympio, 1938.

BARBOSA, Alexandre de Freitas. A formação do mercado de trabalho no Brasil. São Paulo: Alameda, 2008.

BRANCO, R. P. Castelo. Imigração e nacionalismo. Cultura Política, Rio de Janeiro, DIP, Ano II, n. 15, maio 1942.

BRASIL. Decreto 3.010 de 20 de agosto de 1938. Regulamenta o decreto-lei n. 406, de 4 de maio de 1938, que dispõe sobre a entrada de estrangeiros no território nacional.

CAMELO FILHO, José Vieira. A dinâmica política, econômica e social do Rio São Francisco e do seu vale. Revista do Departamento de Geografia, 17, p. 83-93, 2005.

COSTA, Júlio César Zorzenon. Desenvolvimento econômico e deslocamento populacional no primeiro governo Vargas (1930-1945). São Paulo, 2007. Tese (Doutorado)–Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo.

DAVATZ, Thomas. Memórias de um colono no Brasil (1850). Belo Horizonte: Ed. Itatiaia; São Paulo: Ed. da Universidade de São Paulo, 1980.

DEAN, Warren. Rio Claro: um sistema brasileiro de grande lavoura, 1820-1920. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1977.

DULLEY, Richard Domingues. Políticas estaduais para a agricultura: São Paulo, 1930- 1980. São Paulo: IEA, 1995. (Coleção Estudos Agrícolas, 3)

GONÇALVES, José Sidnei. A agricultura paulista: a ação estatal na construção da modernidade. São Paulo em Perspectiva: o agrário paulista. Revista da Fundação Seade, v. 7, n. 3, jul./set. 1993.

GONÇALVES, Paulo Cesar. Mercadores de braços: riqueza e acumulação na organização da emigração europeia para o novo mundo. São Paulo, 2008. Tese (Doutorado)–Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo.

GRAHAM, Douglas H.; HOLANDA FILHO, Sérgio Buarque de. Migrações internas no Brasil, 1872-1970. São Paulo, SP: Instituto de Pesquisas Econômicas; [Brasília]: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, 1984.

KOWARICK, Lúcio. Trabalho e vadiagem. A origem do trabalho livre no Brasil. São Paulo: Brasiliense, 1987.

MORAES, Antonio Carlos Robert de. Ideologias geográficas. 3. ed. São Paulo: Hucitec, 1996.

MOTA, Antonio Carlos Casulari Roxo da. Análise de fatores determinantes das migrações em São Paulo. Informe Demográfico, São Paulo, Fundação Seade, n. 6, 1981.

NEGRI, Barjas. Concentração e desconcentração industrial em São Paulo (1880-1990). Campinas: Editora da Unicamp, 1996.

NEVES, Frederico de Castro. Getúlio e a seca: políticas emergenciais na era Vargas. Revista Brasileira de História, São Paulo, Anpuh/Humanitas Publicações, v. 21, n. 40, 2001.

OLIVEIRA, Giani Vendramel de. A atuação da Companhia de Agricultura, Imigração e colonização (CAIC) no Estado de São Paulo. In: SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA (ANPUH), 25. Fortaleza, 2009. Anais...

O OBSERVADOR Econômico e Financeiro, Rio de Janeiro, Ano IV, n. 47, fev. 1939a.

O OBSERVADOR Econômico e Financeiro, Rio de Janeiro, Ano IV, n. 47, dez. 1939b.

PAIVA, Odair da Cruz. Brasileiros na hospedaria de imigrantes: a migração para o estado de São Paulo (1888-1930). São Paulo: Memorial dos Imigrantes, 2001.

PAIVA, Odair da Cruz. Caminhos cruzados: a migração para São Paulo e os dilemas da construção do Brasil moderno nos anos 1930/50. São Paulo, 2000. Tese (Doutorado)– Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo.

PAIVA, Odair da Cruz. Colonização e (des)povoamento. São Paulo: Pulsar, 2002.

PERAZZO, Priscila Ferreira. O perigo alemão e a repressão policial no Estado Novo. São Paulo: Arquivo do Estado, 1999.

POPEE, Paulo. Leis imigratórias. Boletim do Ministério do Trabalho, Indústria e Comércio, n. 3, nov. 1934.

REVISTA de Imigração e Colonização, Rio de Janeiro, Ano VII, n. 1, mar. 1946.

SALLES, Iraci Galvão. República: a civilização dos excluídos (representações do trabalhador nacional. 1870-1920). São Paulo, 1995. Tese (Doutoramento)–Departamento de História/ FFLCH, USP..

SANTOS, Carlos José Ferreira dos. Nem tudo era italiano. São Paulo e pobreza: 1890-1915. São Paulo: Annablume/Fapesp, 2003.

SCHWARTZMAN, Simon; BOMENY Helena Maria Bousquet; COSTA, Vanda Maria Ribeiro. Tempos de Capanema. São Paulo: Edusp; Rio de Janeiro, RJ: Paz e Terra, 1984.

SEINTEFUS, Ricardo. O Brasil vai à guerra: o processo do envolvimento brasileiro na Segunda Guerra Mundial. 3. ed. Barueri, SP: Manole, 2003.

SILOS, Honório de. Sampauleiros. Boletim do Serviço de Imigração e Colonização, n. 3, mar. 1941.

SODRÉ, Nelson Werneck. Fronteira. Cultura Política, Rio de Janeiro, Departamento de Imprensa e Propaganda, Ano 1, n. 2, abr. 1941.

TESSARI, Cláudia Alessandra. Braços para colheita. Sazonalidade e permanência do trabalho temporário na agricultura paulista (1890-1915). 1. ed. São Paulo: Alameda, 2012.

UDAETA, Rosa Guadalupe Soares. Nem Brás, nem Flores [recurso eletrônico]: hospedaria de imigrantes da cidade de São Paulo (1875-1886). São Paulo: FFLCH/USP, 2016. (Produção Acadêmica Premiada).

VAINER, Carlos B. Estado e migrações no Brasil: anotações para uma História das políticas imigratórias. Travessia, Centro de Estudos Migratórios, n. 36, jan./abr. 2000.

VANGELISTA, Chiara. Os braços da lavoura. Imigrantes e “caipiras” na formação do mercado de trabalho paulista (1850-1930). São Paulo: Hucitec/Instituto Italiano di Cultura/Instituto Cultural Ítalo-Brasileiro, 1991.

VIOTTI DA COSTA, Emília. Da Monarquia à República: momentos decisivos. São Paulo: Grijalbo, 1977.

WITTER, José Sebastião. Ibicaba, uma experiência pioneira. São Paulo: Arquivo do Estado de São Paulo, 1982.
Publicado
2019-10-08
Como Citar
Tessari, C. A., & Costa, J. C. Z. (2019). Ação estatal, negócios e migração inter-regional no Brasil (1935-1951). Economia E Sociedade, 28(2), 513-540. Recuperado de https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/ecos/article/view/8656999
Seção
Artigos