Banner Portal
Demanda e distribuição de renda
PDF

Palavras-chave

Distribuição de renda
Demanda agregada
Crescimento econômico

Como Citar

LAMONICA, Marcos Tostes; LIMA, Sergiany da Silva. Demanda e distribuição de renda: uma análise do crescimento econômico brasileiro de 1993 a 2013. Economia e Sociedade, Campinas, SP, v. 27, n. 3, p. 771–795, 2018. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/ecos/article/view/8657069. Acesso em: 25 jun. 2024.

Resumo

O objetivo deste trabalho é investigar empiricamente o crescimento da economia brasileira de 1993 a 2013. Isto foi feito à luz da modelagem de Naastepad (2006), que analisa se o regime de demanda é wage-led ou profit-led. Assim, para determinar o regime de demanda no período, foram estimadas as equações de investimento, exportação e propensão média a poupar. As equações estimadas nos permitiram realizar o cálculo do efeito multiplicador e do efeito elasticidade do investimento e da exportação. Destas estimativas deduziu-se que a economia brasileira experimentou um regime de demanda caracterizado pelo wage-led, devido especialmente à baixa participação dos investimentos e das exportações na composição da renda nacional. Todas as equações foram estimadas por Mínimos Quadrados Ordinários (MQO) com desvio padrão robusto dos parâmetros. Os testes estatísticos realizados após a estimação sugerem um modelo não viesado e consistente.

PDF

Referências

AMITRANO, C. R. Regimes de crescimento, restrição externa e financeirização: uma proposta de conciliação. Economia e Sociedade, Campinas, v. 22, n. 2 (48), p. 285-316, 2013.

ARAÚJO, E.; GALA, P. Regimes de crescimento econômico no Brasil: evidências empíricas e implicações de política. Estudos Avançados, v. 26 (75), 2012.

BHADURI, A.; MARGLIN, S. A. Unemployment and the real wage: the economic basis for contesting political ideologies. Cambridge Journal of Economics, v. 14, p. 375-393, 1990.

BHADURI, A. On the dynamic of profit-led and wage-led growth. Cambridge Journal of Economics, v. 32, p. 147-160, 2008.

BANCO Central do Brasil. 2014. Disponível em: www.bcb.gov.br. Acesso: mar. 2015.

BLECKER, R. A. Distribution, demand and growth in neo-Kaleckian macro-models. In: SETTERFIEL, M. The economics of demand-led growth: challenging the supply-side vision of the long run. Edward Elgar, 2002.

BRUNO, M. Regimes de crescimento, mudanças estruturais e distribuição na economia brasileira (1970-2001). In: ENCONTRO NACIONAL DE ECONOMIA POLÍTICA, 8. Florianópolis, 2003.

CHARLES, S. A note on some Minskyan models of financial instability. Studi Economici, v. 86, n. 2, p. 43-51, 2005.

CHARLES, S. Teaching Minsky’s financial instability hypotheses: a manageable suggestion. Journal of Post Keynesian Economics, Fall, v. 31, n. 1, p. 125-138, 2008.

CONSIDERA, C. M.; PESSOA, S. A. A distribuição funcional de renda no Brasil no período 1959-2009. Pesquisa e Planejamento Econômico, v. 43, n. 3, 2013. CORNWALL, J.;

CORNWALL, W. Capitalist development in the twentieth century: an evolutionary Keynesian analysis. Cambridge University Press, 2001.

FEIJÓ, C.; CÂMARA, F. F.; CERQUEIRA, L. F. Distribuição e crescimento em uma economia fechada e com alta inflação: o caso brasileiro pós II guerra. In: ENCONTRO NACIONAL DE ECONOMIA, 41. Foz do Iguaçu, 2013.

FOLEY, D. K. Financial fragility in developing economies. In: DUTT, A. K.; ROS, J. (Ed.). Development economies and structuralist macroeconomics: essays in honor of Lance Taylor. Edward Elgar Publishing Lt, 2003.

GUJARATI, D. N.; PORTER, D. C. Econometria básica. 5. ed. Editora Porto Alegre, 2011.

HEIN, E.; VAN TREECK, T. Financialisation in post-Keynesian models of distribution and growth: a systematic review. In: SETTERFIELD, M. (Ed.). Handbook of alternative theories of economic growth. Edward Elgar, 2010.

IBGE (). Indicadores de Desenvolvimento Sustentável – Brasil – Dimensão Econômica – Quadro Econômico. Rio de Janeiro: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2004.

GIOVANNETTI, L. F.; CARVALHO, L. Distribuição de renda, mudança estrutural e inflação de serviços no Brasil. In: ENCONTRO NACIONAL DE ECONOMIA, 43. Florianópolis, 2015.

KALDOR, N. Causes of the slow rate of economic growth of the United Kingdom. Cambridge University Press, 1966.

KALDOR, N. Economics without equilibrium. Armonk: M. E. Sharpe, 1985.

LAMONICA, M. T.; FEIJÓ, C. Indústria de transformação e crescimento: uma interpretação para o desempenho da economia brasileira nos anos 1990 e 2000. Revista Economia e Tecnologia, v. 9, n. 1, p. 20-40, 2013.

LIMA, G.T.; MEIRELLES, A. J. A. Macrodynamics of debt regimes, financial instability and growth. Cambridge Journal of Economics, v. 31, p. 563-580, 2007.

NASSIF, A. As armadilhas do tripé da política monetária macroeconômica brasileira. Revista de Economia Política, v. 35, n. 3 (140), p. 426-443, 2015.

NASSIF, A.; FEIJÓ, C. ARAUJO, E. Overvaluation trend of the Brazilian currency in the 2000s: empirical estimation. Revista de Economia Política, v. 35, n. 1 (138), p. 3-27, 2015.

NAASTEPAD, C. W. M. Technology, demand and distribution: a cumulative growth model with an application to the Dutch productivity growth slowdown. Cambridge Journal of Economics, v. 30, p. 403-434, 2006.

OREIRO, J. L. C. Crescimento e regimes de política macroeconômica: teoria e aplicação ao caso brasileiro (1999-2011). In: FÓRUM DE ECONOMIA DE SÃO PAULO, 8. Fundação Getúlio Vargas, set. 2011.

OREIRO, J. L. C.; PUNZO, L. F.; ARAUJO, E. Macroeconomic constraints to growth of the Brazilian economy: diagnosis and some policy proposals. Cambridge Journal of Economics, v. 36, p. 919-939, 2012.

SETTERFIELD, M.; CORNWALL, J. A neo-Kaldorian perspective on the rise and decline of the golden age. In: SETTERFIEL, M. The economics of demand-led growth: challenging the supply-side vision of the long run. Edward Elgar, 2002.

SERRANO, F.; SUMMA, R. Macroeconomic policy, growth and income distribution in the Brazilian economy in the 2000s. Investigación Económica, v. 71, n. 282, p. 55-92, 2012.

TAYLOR, L. Lectures in structuralist macroeconomics. Cambridge, MA: MIT Press, 1991.

TAVARES, M. C.; SERRA, J. Más allá del estancamiento: una discusión sobre el estilo de desarollo reciente. El Trimestre Económico, v. 38, n. 152 (4), 1971.

WORLD Bank. 2014. Disponível em: www.data.worldbank.org/indicator. Acesso em: mar. 2015.

A Economia e Sociedade utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.