Banner Portal
Análise crítica do papel das inovações financeiras na crise do subprime
PDF

Palavras-chave

Derivativos
Crise
Subprime
Marx
Quarta dimensão
Mercado imobiliário
Hipotecas

Como Citar

MELLO, Guilherme Santos. Análise crítica do papel das inovações financeiras na crise do subprime. Economia e Sociedade, Campinas, SP, v. 27, n. 3, p. 885–851, 2018. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/ecos/article/view/8657071. Acesso em: 20 jun. 2024.

Resumo

Este artigo tem por objetivo estudar a importância central assumida pelo mercado de derivativos na dinâmica do capitalismo contemporâneo, debruçando-se particularmente sobre o mercado de derivativos de crédito e sua contribuição para a formação e eclosão da crise financeira que abalou os EUA e o mundo em 2007/2008. Esta dimensão está marcada pela forma derivativo, que altera as relações de propriedade, introduz novos agentes e motivações, aumenta a integração financeira entre os agentes e transforma a lógica de precificação dos principais mercados financeiros. Sendo assim, descreve-se a transformação pela qual passou o mercado de crédito imobiliário norte-americano, argumentando-se que tais mudanças ganharam vigor renovado e apenas se completaram com a ascensão e crescimento dos derivativos de crédito (CDS) e dos CDOs sintéticos, que foram fundamentais para a manutenção das taxas baixas de juros sobre as hipotecas, contribuindo assim diretamente para a bolha no mercado imobiliário que culminou na crise econômica.

PDF

Referências

AGLIETTA, M. The future of capitalism. In: CORIAT, Petit; SCHMÉDER (Ed.). The hardship of nations: exploring the paths of modern capitalism. Cheltenham: Edward Elgar, 2006. p. 9-35.

AGLIETTA, M.; REBÉRIOUX, A. Corporate governance adrift: a critique of shareholder value. Cheltenham: Edward Elgar, 2005.

ASHCRAFT, Adam B.; SANTOS, João A. C. Has the CDS market lowered the cost of corporate debt? Disponível em SSRN: http://ssrn.com/abstract=995728 or http://dx.doi.org/10.2139/ssrn.9957282009.

ASHCRAFT, Adam B.; SCHUERMANN, Til. Understanding the securitization of subprime mortgage credit. 2007. Disponível em: http://www.ny.frb.org/research/conference/2007/liquidity/Ashcraft-Schuermann_subprime_ 04Dec2007.pdf.

BELLUZZO, L. G. de Mello. Dinheiro e as transfigurações da riqueza. In: TAVARES, M.; FIORI, J. L. (Org.). Poder e dinheiro: uma economia política da globalização. Petrópolis: Editora Vozes, 1997. p. 151-194.

BLACKBURN, R. Finance and the fourth dimension. New Left Review, v. 39, p. 39-70, 2006.

BLANCO, R.; BRENNAN, S.; MARSH, I. W. An empirical analysis of the dynamic relationship between investment grade bonds and credit default swaps. Journal of Finance, v. 60, p. 2255-2281, 2005.

BRUNNERMEIER M.K. et al. The fundamental principles of financial regulation. Geneva Report on the World Economy, Nov. 2009. Geneva: International Center for Monetary and Banking Studies, 2009.

BRYAN, D.; RAFFERTY, M. Capitalism with derivatives: a political economy of financial derivatives, capital and class. Chippenham: Palgrave Macmillan, 2006.

CARNEIRO, R.; ROSSI, P.; MELLO, G. S.; CHILIATTO-LEITE, M. The fourth dimension: derivatives and financial dominance. The Review of Radical Political Economics, v. 47, p. 641662, 2015.

CARNEIRO, R. Globalização e integração periférica. Campinas: IE/Unicamp, 2007. (Texto para Discussão, n. 126).

CARNEIRO, R.; CHILIATTO-LEITE, M. V.; MELLO, G. S.; ROSSI, P. L. The fourth dimension: derivatives in a capitalism with financial dominance. In: POLITICAL economy and the outlook for capitalism. Joint conference AHE, IIPPE, FAPE, 2012, Paris: Political economy and the outlook for capitalism. Joint conference AHE, IIPPE, FAPE, 2012.

CHESNAIS, F. A globalização e o curso do capitalismo de fim-de-século. Economia e Sociedade, Campinas, n. 5, p. 1-30, 1995.

CHESNAIS, F. A mundialização do capital. São Paulo: Xamã, 1996.

CHESNAIS, F. A ‘nova economia’: uma conjuntura própria à potência econômica estadunidense. In: CHESNAIS; DUMÉNIL; LÉVY; WALLERSTEIN. Uma nova fase do capitalismo? São Paulo: Xamã, 2003. p. 43-70.

CHESNAIS, F. O capital portador de juros: acumulação, internacionalização, efeitos econômicos e políticos. In: CHESNAIS, F. (Org.). A finança mundializada: raízes sociais e políticas, configuração, consequências. São Paulo: Boitempo, 2005.

EPSTEIN, G. Financialization, rentier interests, and Central Bank policy. Department of Economics, University of Massachusetts, 2001. Mimeografado.

FARHI, M. O futuro no presente: um estudo sobre o mercado de derivativos financeiros. Tese (Doutorado)–IE/Unicamp, Campinas, 1998.

FCIC. The Financial Crisis Inquiry Report. Final report of the national commission on the causes of the financial and economic crisis in the United States. Submitted by Pursuant to Public Law 111-21 Jan. 2011. Disponível em: http://fcic.law.stanford.edu/report2011.

FISHER, Irving (1933). The debt-deflation theory of great depressions. Econometrica, v. 1, n. 4, p. 337-357. Also published in: Revue de l’Institut International de Statistique, 1, p. 48-65, 1934. Reprinted in: FISHER, 10, p. 337-343, 1997.

GUTTMANN, R. Uma introdução ao capitalismo dirigido pelas finanças. Novos Estudos, 82, p. 11-33, 2008. JARROW, Robert A. The role of ABS, CDS and CDOs in the credit crisis and the economy. (Working Paper, n. 2011). Disponível em: http://www.russellsage.org/sites/all/files/RethinkingFinance/Jarrow%20ABS%20CDS%20CDO%202.pdf.

IMF. Performance in the run-up to the financial and economic crisis: IMF Surveillance in 2004-07, Jan. 10, 2011.

LEVETIN, Adam J.; WACHTER, Suzan M. Explaining the housing bubble. Georgetown Law Journal, v. 100, n. 4, p. 1177-1258, 2012.

LIPUMA, E.; LEE, B. Financial derivatives and the rise of circulation. Economy and Society, v. 4, n. 3, p. 404-427, 2005.

MARX, K. The capital. London: GBR. The Electric Book Company Ltd., 2001. v. I, II, III. http://site.ebrary.com.

MARX, K. O capital: crítica da economia política. São Paulo: Civilização Brasileira, 2006. v. I.

McKENZIE, R. A. Casino capitalism with derivatives: fragility and instability in contemporary finance. Review of Radical Political Economics, v. 43, n. 2, p. 198-215, 2011.

MELLO, G. S. Os derivativos e a crise do subprime: o capitalismo contemporâneo em sua quarta dimensão. Tese (Doutoramento)–IE/Unicamp, Campinas, 2013.

MINSKY, H. P. (1986). Stabilizing an unstable economy. New York: McGrawHill, 2008.

NORDEN L.; WAGNER, W. (2007). Credit derivatives and loan pricing. Journal of Banking & Finance, 2008.

PALLEY, T. Financialization: what it is and why it matters. Levy Economics Institute, 2007. (Working Paper, n. 525).

PLIHON, D. As grandes empresas fragilizadas pelas finanças. In: CHESNAIS, F. (Org.). A finança mundializada. São Paulo: Boitempo Editorial, 2005.

ROTTA, T. N. Dinheiro inconversível, derivativos financeiros e capital fictício: a moderna lógica das formas. Dissertação (Mestrado)–Universidade de São Paulo, São Paulo, 2008.

SCHACKLE, G. L. S. Time and thought. The British Journal for the Philosophy of Science, v. 9, n. 36, p. 285-298, Feb. 1959.

STRANGE, S. Casino capitalism. Oxford: B. Blackwell, 1986.

STULZ, René M. Financial derivatives: Lessons from subprime crises. Journal of Economic Perspectives, v. 24, n. 1, p. 73-92, Winter 2010.

TAVARES, M. C. A retomada da hegemonia norte-americana. In: TAVARES, Maria da Conceição; FIORI, José Luís (Org.). Poder e dinheiro: uma economia política da globalização. Petrópolis: Editora Vozes, p. 27-53. Esse artigo foi publicado também na Revista de Economia Política, Vol. 5, No. 2, abril/junho, 1985. São Paulo: Ed. Brasiliense, 1997.

TERADA, T. Recent trends in Japanese foreign-exchange margin trading. Bank of Japan Review, Sept. 2008.

VAN DER ZWAN, N. Making sense of financialization. Socio-Economic Review, 12, 2014.

A Economia e Sociedade utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.