Políticas de financiamento estudantil:

análise de impacto do Fies no tempo de conclusão do ensino superior

Autores

Palavras-chave:

Crédito estudantil, Fies, Tempo de conclusão, Efeito médio do tratamento

Resumo

Esse estudo avaliou o impacto do Fies no tempo total e no atraso da conclusão da educação superior dos alunos matriculados em cursos presenciais de instituições privadas, com base nas informações do Inep de 2007 a 2017. O tempo de conclusão é o total de anos que o aluno esteve matriculado, já o atraso refere-se ao número de anos que o estudante levou para concluir o curso além do prazo mínimo de integralização. O impacto estimado por score de propensão do Fies no tempo total foi em torno de 4 meses. Os resultados da variável atraso também indicaram um impacto positivo, porém com menor intensidade e significativo apenas na primeira fase do programa, de 2000 a 2009. Também foram realizadas estimativas pelo método de Lewbel (2012), na tentativa de lidar com o possível viés das características não observáveis que influenciam a decisão individual de participar do Fies. Os resultados indicaram uma possível superestimação dos resultados quando não são consideradas as características não observadas dos alunos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Kalinca Léia Becker, Universidade Federal de Santa Maria

Professora no Departamento de Economia e Relações Internacionais na Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Santa Maria, RS, Brasil.

Mário Jorge Cardoso de Mendonça, Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada

Técnico de Planejamento e Pesquisa da Diretoria de Estudos e Políticas Regionais, Urbanas e Ambientais (Dirur) do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), Rio de Janeiro, RJ, Brasil. 

Referências

ANGRIST, J. D.; PISCHKE, J. Mostly harmless econometrics: an empiricist’s companion. Princeton university press, 2009.

ANGRIST, J. D.; AUTOR, D.; HUDSON, S. Leveling up: early results from a randomized evaluation of post-secondary aid. NBER, Dec. 31, 2014. (Working Paper. n. 20800).

ARENDT, J. N. The effect of public financial aid on dropout from and completion of university education: evidence from a student grant reform. Empirical Economics, v. 44, n. 3, p 1545-1556, Jun. 2013

BARBOSA FILHO, F. H.; PESSOA, S. A. Educação e crescimento: o que a evidência empírica e teórica mostra? Revista Economia, Brasília,DF, v. 11, n. 2, p. 265-303, 2010.

BECKER, G. Investment in human capital: a theoretical analysis. Part 2: Investment in human beings. Journal of Political Economy, v. 70, n. 5, p. 9-49, Oct. 1962.

BECKER, G. S. Human capital and the personal distribution of income: an analytical approach. Institute of Public Administration, 1967.

BECKER, G.; TOMES, N. Human capital and the rise and fall of families. Journal of Labor Economics, v. 4, n. 3, p. S1-S39, 1986.

BECKER, K. L. Analysis of math test score gap between white and non-white students in Brazilian public schools - Saeb 2015. UFSM, 2018. (Texto para Discussão). Disponível em: http://coral.ufsm.br/economia

BELLEY, P.; LOCHNER, L. The changing role of family income and ability in determining educational achievement, Journal of Human Capital, v. 1, n. 1, p. 37-89, 2007.

CACCIAMALI, M. C.; TATEI, F.; BATISTA, N. F. Impactos do programa bolsa família federal sobre o trabalho infantil e a frequência escolar. Revista de Economia Contemporânea, Rio de Janeiro, v. 14, n. 2, p. 269-301, maio/ago. 2010.

CAMERON, S. V.; TABER C. Estimation of educational borrowing constraints using returns to schooling. Journal of Political Economy, v. 112, n. 1, p. 132-182, Feb. 2004.

CHADAREVIAN, P. C. Para medir as desigualdades raciais no mercado de trabalho Revista de Economia Política, v. 31, n. 2 (122), p. 283-304, abr./jun. 2011.

CRESPO, A.; REIS, M. C. Sheepskin effects and the relationship between earnings and education: analyzing their evolution over time in Brazil. Revista Brasileira de Economia, Rio de Janeiro, v. 63, n. 3, Jul./Set. 2009.

DEHEJIA, R. H.; WAHBA, S. Propensity score-matching methods for nonexperimental causal studies. Review of Economics and Statistics, v. 84, n. 1, p. 151-161, 2002.

DESJARDINS, S.; AHLBURG, D.; MCCALL, B. A temporal investigation of factors related to timely degree completion. The Journal of Higher Education, v. 73, n. 5, p. 555-581, Sept./Oct. 2002.

DYNARSKI, S. Does aid matter? Measuring the effect of student aid on college attendance and completion. American Economic Review, v. 93, n. 1, p. 279-288, 2003.

DUARTE, I. F.; MELLO, J. M. P. Impactos de Financiamento Estudantil sobre encargos escolares: consequências do FIES. Sociedade Brasileira de Econometria, 2014. Disponível em: https://editorialexpress.com/cgibin/conference/download.cgi?db_name=SBE36&paper_id=205

ELSAYED, M. A. A. The impact of education tax benefits on college completion. Economics of Education Review, v. 53, p. 16-30, Aug. 2016.

EMRAN, M. S.; HOU, Z. Access to markets and rural poverty: evidence from household consumption in China. The Review of Economics and Statistics, v. 95, n. 2, p. 682-697, 2013.

GARIBALDI, P.; GIAVAZZI, F.; ICHINO, A.; RETTORE, E. College cost and time to complete a degree: evidence from tuition discontinuities. Review of Economics and Statistics, v. 94, n. 3, p. 699-711, Aug. 2012.

HAINMUELLER, J. Entropy balancing for causal effects: a multivariate reweighting method to produce balanced samples in observational studies. Political Analysis, v. 20, p. 25-46, 2012.

ISHITANI, T. T. Studying attrition and degree completion behavior among first-generation college students in the United States. The Journal of Higher Education, v. 77, n. 5, p. 861-885, Sep./Oct. 2006.

JACOBY, H. Borrowing constraints and progress through school: evidence from Peru. The Review of Economics and Statistics, v. 76, n. 1, p. 151-160, 1994.

KANE, T. J. A. Quasi-experimental estimate of the impact of financial aid on college-going. NBER, 2003. (Working Paper, n. 9703).

LEWBEL, A. Using heteroscedasticity to identify and estimate mismeasured and endogenous regressor models. Journal of Business and Economic Statistics, v. 30, p. 67-80, 2012.

LEWBEL, A. Identification and estimation using heteroscedasticity without instruments: the binary endogenous regressor case. Boston College, 2016.

LJUNGQVIST, L. Economic underdevelopment: the case of a missing market for human capital. Journal of Development Economics, v. 40, n. 2, p. 219-239, 1993.

LOCHNER, L. J.; MONGE-NARANJO, A. Credit constraints in education. NBER, 2011. (Working Papers, n. 17435).

LOURY, G. Intergenerational transfers and the distribution of earnings. Econometrica, p. 843-867, 1981.

MELGUIZO, T.; SANCHEZ, F.; VELASCO, T. Credit for low-income students and access to and academic performance in higher education in Colombia: a regression discontinuity approach. World Development, v. 80, p. 61-77, Apr. 2016.

SOUZA, W. P. S. F.; MESQUITA, S. P.; OLIVEIRA, V. R.; SILVA, M. E. L. Trabalho infantil e programas de transferência de renda: uma análise do impacto do Programa Bolsa Família nas zonas urbana e rural do Brasil. Pesquisa e Planejamento Econômico, v. 49, n. 2, ago. 2019.

MINISTÉRIO DA FAZENDA. Fundo de Financiamento Estudantil: ausência de sustentabilidade fiscal e suas causas. Diagnóstico do Fies, jun. 2017.

OECD. Education at a Glance 2018: OECD Indicators. Paris: OECD Publishing, 2018.

OLIVEIRA, P. R.; BELLUZZO, W.; PAZELLO, E. T. The public-private test score gap in Brazil. Economics of Education Review, 35, p. 120-133, 2013.

PONTUSCHKA, R. Avaliação de impacto do Fies. Dissertação (Mestrado)-Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”. Programa de Pós Graduação em Economia Aplicada, 2016.

RAU, T.; ROJAS, E.; URZUA, S. Higher education dropouts, access to credit, and labor market outcomes: evidence from Chile. 2012. Mimeo. Disponível em: http://conference.iza.org/conference_files/Eval2012/urzua_s3056.pdf

REIS, M. C.; RAMOS, L. Escolaridade dos pais, desempenho no mercado de trabalho e desigualdade de rendimentos. Revista Brasileira de Economia, Rio de Janeiro, v. 65, n. 2, abr./jun. 2011.

RESENDE, M. V. A. Crédito educativo: uma análise comparada sobre focalização e sustentabilidade financeira em programas de financiamento estudantil no Brasil, Estados Unidos e Austrália. Dissertação (Mestrado)-Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA). Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas e Desenvolvimento, 2018.

ROCHA, I. C. Investimento endógeno em capital humano em um modelo de gerações sobrepostas com restrição de crédito e consumo mínimo. Dissertação (Mestrado)-Universidade de Brasília. Pós-Graduação em Economia, 2014.

ROCHA, W. Análise de impacto do Fies sobre a renda do trabalhador formal. Dissertação (Mestrado)-Universidade Católica de Brasília. Programa de Pós Graduação em Economia, 2016.

ROSENBAUM, P.; RUBIN, D. Constructing a control group using multivariate matched sampling methods that incorporate the propensity score. The American Statistician, v. 39, n. 1, p. 33-38, 1985.

ROSENBAUM, P.; RUBIN, D. The central role of the propensity score in observational studies for causal effects. Biometrika, 70, p. 41-50, 1983.

RUBIN, D. Estimating causal effect to treatments in randomised and nonrandomised studies. Journal of Educational Psychology, 66, p. 688-701, 1974.

TESOURO NACIONAL. Financiamento estudantil: indicadores e insights sobre a focalização do programa. Boletim de Avaliação de Políticas Públicas, v. 1, n. 2, jul. 2015.

TIGRE, R.; SAMPAIO, B.; MENEZES, T. The impact of commuting time on youth’s school performance. Journal of Regional Science, 2016.

Downloads

Publicado

2021-07-22

Como Citar

BECKER, K. L. .; MENDONÇA, M. J. C. de . Políticas de financiamento estudantil:: análise de impacto do Fies no tempo de conclusão do ensino superior. Economia e Sociedade, Campinas, SP, v. 31, n. 2, p. 551–581, 2021. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/ecos/article/view/8666466. Acesso em: 27 set. 2021.

Edição

Seção

Artigos