Banner Portal
Complexo econômico e complexidade econômica
PDF

Palavras-chave

Cano, Wilson, 1937-2020
Complexo econômico
Complexidade
Desenvolvimento industrial

Como Citar

DINIZ, Clélio Campolina; CAMPOLINA, Bernardo. Complexo econômico e complexidade econômica: originalidade e atualidade em Wilson Cano. Economia e Sociedade, Campinas, SP, v. 30, n. esp., p. 663–679, 2021. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/ecos/article/view/8667573. Acesso em: 12 abr. 2024.

Resumo

Este artigo analisa a contribuição teórica e metodológica de Wilson Cano no que diz respeito ao conceito de complexo econômico para interpretar o desenvolvimento econômico do Brasil e seus resultados ou impactos diferenciados no território. Para ele, o complexo, criado e induzido pela cafeicultura do planalto paulista, e sua capacidade de diversificação e inter-relação setorial, constitui a base para a interpretação do processo de crescimento e concentração industrial naquele estado. Por contraste, resgata as principais experiências históricas, a saber: produção de açúcar no nordeste brasileiro, extração de borracha na região amazônica, agricultura dispersa nos três estados do Sul, cafeicultura escravista do vale do paraíba e do leste mineiro e extração de ouro no século XVIII. Demonstra que nessas regiões não estavam presentes as condições necessárias à indução de um processo virtuoso de industrialização com criação de uma estrutura econômica diversa e complexa. Por último, apresentamos um contraponto entre a formulação teórica proposta por Cano (1977) e a recente metodologia da complexidade econômica proposta por Hausmann e Hidalgo (2011). Procuramos demonstrar a originalidade e riqueza de Cano (1977) que, a despeito da falta de dados e sistemas computacionais, continua sendo atual para pensar os desafios ligados aos processos de desenvolvimento, especialmente em países de grande dimensão e diversidade territorial, por incluir também as condicionantes internacionais, institucionais, sociais e políticas.

PDF

Referências

ANDERSON, P. W.; ARROW, K. J.; PINES, D. The economy as an evolving complex system. Santa Fe Institute Studies in the Science of Complexity, Proceedings, v. V. Reading, MA: Addison-Wesley, 1988.

ARTHUR W. B. Self-reinforcing mechanisms in economics. In: ANDERSON, P. W.; ARROW, K. J.; PINES, D. (Ed.). The economy as an evolving complex system. Santa Fe Institute Studies in the Sciences of Complexity, Proceedings, v. V. Redwood City, CA: Addison-Wesley, 1988.

Complexo econômico e complexidade econômica: originalidade e atualidade em Wilson Cano

Economia e Sociedade, Campinas, v. 30, Número Especial, p. 663-679, outubro 2021. 677

ARTHUR, W. B. Self-Reinforcing Mechanisms in Economics´ in: Anderson, P. W; Arrow, K. J; Pines, D. The Economy as an evolving complex system. Proceedings, v. V. Santa Fe Institute Studies in the Science of Complexity, Reading, MA: Addison-Wesley, 1988.

ARTHUR, W. B.; DURLAUF, S. N.; LANE, D. A. (Ed.). The economy as an evolving complex system II. Santa Fe Institute Studies in the Science of Complexity, Proceedings, v. XXVII. Reading, MA: Addison-Wesley, 1997;

AZZONI, C. R. Indústria e reversão da polarização no Brasil. São Paulo: IPE-USP, 1986.

BADCOCK, Abbie. Can complexity save development theory? In: BOGG, Jan; GEYER, Robert (Ed.). Complexity, science and society. New York: Radcliffe Publishing, 2007.

BLUESTONE, B.; HARRISON, B. The desindustrialization of America: plant closing, community abandonment and dismantling of basic industry. New York: Basic Books, 1982.

BRITTO, G.; ROMERO, J. P.; FREITAS, E.; COELHO, C. The great divide: economic complexity and development paths in Brazil and the Republic of Korea. Cepal Review, v. 127, p. 191-213, 2019.

CANO W. Raízes da concentração industrial em São Paulo. Difel, 1977.

CANO, W. Ensaios sobre a formação econômica regional do Brasil. Campinas: Editora Unicamp, 2002.

CARDOSO DE MELO, J. M. O capitalismo tardio. São Paulo: Brasiliense, 1982.

CARVALHO, A. R.; CARDOSO, F. G. Elementos de complexidade na economia do desenvolvimento de Furtado e Noyola. Economia e Sociedade, Campinas, v. 30, n. 1(71), p. 91-114, jan./abr. 2021.

CASTRO, A. B. Sete ensaios sobre a economia brasileira. Forense, 1969. v. I.

CASTRO, A. B. Sete ensaios sobre a economia brasileira. Forense, 1971. v. II, cap. 4.

CASTRO, A. C. As empresas estrangeiras no Brasil, 1860-1913. Zahar, 1979.

COLANDER, David. Complexity and the history of economic thought: perspectives on the history of economic thought. Selected papers from the History of Economics Society Conference. New York: Routledge, 2000.

DE PAULA, J. A. Minas no século XVIII. In: RABÊLO, J. M. (Coord.). História Geral de Minas. 1. ed. Ouro Preto, MG: Livraria & Editora Graphar, 2018.

DINIZ, C. C. Desenvolvimento poligonal no Brasil: nem desconcentração nem continua polarização. Nova Economia, v. 31, 1993.

DINIZ, C. C. Estado e capital estrangeiro na industrialização mineira. Belo Horizonte: UFMG/PROED, 1982.

DINIZ, C. C.; CAMPOLINA, B. A região metropolitana de São Paulo: reestruturação, re-espacialização e novas funções. Eure, Santiago, v. 33, n. 98, 2007.

Bernardo Campolina, Clélio Campolina Diniz

Economia e Sociedade, Campinas, v. 30, Número Especial, p. 663-679, outubro 2021.

DINIZ, C. C.; CROCCO, M. A. Reestruturação econômica e impacto regional: o novo mapa da indústria brasileira. Nova Economia, v. 6, 1996.

DINIZ, C. C.; MENDES, P. S. Tendências regionais da indústria brasileira no século XXI. Brasília, DF, IPEA, 2021. (Texto para Discussão, n. 2640).

FRANZYLBER, F. La industrialización trunca de América Latina. México: Centro de Economía Transnacional. Editorial Nueva Imagen, 1983.

FREITAS E. E. Indústrias relacionadas, complexidade econômica e diversificação regional: uma aplicação para microrregiões brasileiras. Tese (Doutorado)–Cedeplar/UFMG, 2019.

FREITAS, E. E. et al. Complexidade econômica e especialização inteligente: uma proposta de política de diversificação para o desenvolvimento de Minas Gerais. In: GUIMARÃES, A. Q. (Org.). Política pública e desenvolvimento em Minas Gerais. 1. ed. Curitiba: Appris, 2021.

FURTADO, C. Formação Econômica do Brasil. 1959

FURTADO, C. Mito do desenvolvimento. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1974.

GALA, P. Complexidade econômica. São Paulo: Contraponto, 2017.

GTDN. Uma política de desenvolvimento econômico para o Nordeste. 2. ed. Recife: Sudene, 1967.

GUILHOTO, J. J. M. Análise de insumo-produto, teoria e fundamentos. Munich personal RePEe Arcguvem. 2015. Disponível em: http://mPra.ub.uni.Munchen/de/id/eprint/32566.

HARTMANN, D.; GUEVARA, M. R.; JARA-FIGUEROA, C.; ARISTARÁN, M.; HIDALGO, C. Linking economic complexity, institutions, and income inequality. World Development, v. 93, p. 75-93, 2017.

HAUSMANN, R., HIDALGO, C. et al. the Atlas of Economic Complexity. Hard, 2011.

HAUSMANN, R.; SANTOS, M. A.; OBACH, J. Appraising the economic potential of Panama: policy recommendations for sustainable and inclusive growth. Massachusetts: Center for International Development at Harvard University, 2017. (CID Faculty Working Paper, n. 334).

HIDALGO, C. A. Economic complexity theory and applications. Nat Rev Phys, 3, p. 92-113, 2021. Disponível em: https://doi.org/10.1038/s42254-020-00275-1.

HOLT, Richard P. F.; ROSSER JR., Barkley; COLANDER, David. The complexity era in economics. Review of Political Economy, v. 23, n. 3, p. 357-369, 2011. DOI: 10.1080/09538259.2011.583820.

KIST. The Kist Story – the birthplace of Korea’s industrial development. KIST, 2019.

KIST. Kist 2066, beyond the Miracle. 2019a.

LEOPOLDI, M. A. Política e interesses a industrialização brasileira. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2000.

LESSA, C. O Rio de todos os Brasis: uma reflexão em busca da autoestima. Rio de Janeiro: Record, 2000.

LIMA, J. H. Café e indústria em Minas Gerais. Vozes, 1981.

MARTINS. R. Crescendo em silêncio. A incrível economia escravista de Minas Gerais no século XIX. ICAM/ABPHE, 2018.

MARX, Karl (1867). O Capital: crítica da economia política. São Paulo: Abril Cultural, 1983. v. I, t. 1. (Coleção os Economistas).

MASSEY, D. MEEGAN, R. The anatomy of job loss, the how, why and where of employment decline. London: Metghen, 1982.

MIRRA, E.; SALERNO, M. S. ABDI: o que veio, a que ficou. In: ABDI. Dez anos de política industrial: balanço e perspectivas. ABDI, 2015.

MOCEIRO, P. C. A indústria brasileira no limiar do século XXI: uma análise de sua evolução estrutural, comercial e tecnológica. Tese (Doutoramento)–USP, 2019.

NOVAIS, Fernando A. O Brasil nos quadros do Antigo Sistema Colonial. In: NOVAIS, F. A. Brasil em Perspectiva. São Paulo: DIFEL, 1969.

PROENÇA, A. D. de A.; SANTOS JUNIOR, W. R. dos. Reestruturação produtiva e consolidação de novos eixos de desenvolvimento territorial: o caso do vetor de desenvolvimento perimetral da macrometrópole paulista. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, v. 21, n. 2, p. 312-328, maio/ago. 2019.

RICARDO, David. (1817). Princípios de economia política e tributação. São Paulo: Abril Cultural, 1982. (Coleção Os Economistas).

SILVA, S. Expansão cafeeira e as origens da indústria no Brasil. São Paulo: Alfa-Omega, 1976.

SIQUEIRA, T. V. As primeiras ferrovias do Nordeste brasileiro: processo de implantação e o caso da Great Western Railway. Revista do BNDES, Rio de Janeiro, v. 9, n. 17, 2002.

SMITH, Adam. (1776). A riqueza das nações: investigação sobre sua natureza e suas causas. São Paulo: Abril Cultural, 1983. (Coleção Os Economistas).

SOUSA, R. A. A teoria da complexidade reencontra o desenvolvimento econômico – Uma análise de insumo-produto. Dissertação (Mestrado)–Universidade de Brasília, Brasília, 2018.

STEPI – Science & Technology Innovation Policy for the People-s Life, 2019.

STORPER, M. Industrialization, economic development, and the regional question in the third world: from import substitution to flexible production. New York: Pion, 1991.

TOWNROE, P. M.; KEEN, D. Polarization reversal in the State of São Paulo, Brazil. Regional Studies, v. 18, n. 1, 1984.

VIEIRA, D. J. Complexo econômico e variedades de desenvolvimento regional: uma interpretação da crise contemporânea de Minas Gerais. In: QUINTELA, A. et al. Wilson Cano e a economia regional. São Paulo: Fundação Perseu Abramo (No prelo).

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2021 Economia e Sociedade

Downloads

Não há dados estatísticos.