O mito do imperialismo paulista revisitado

Autores

Palavras-chave:

Cano, Wilson, 1937-2020, Questão regional, Desenvolvimento, Imperialismo paulista

Resumo

A ampla e densa agenda de pesquisa elaborada por Wilson Cano permitiu-lhe estabelecer estreito diálogo com pesquisadores, professores, especialistas, políticos e outros interessados nos problemas que perpassavam a questão regional no Brasil. A contribuição dele foi decisiva, por exemplo, na investigação da tese do imperialismo paulista, que vocalizava uma reação regionalista, em particular nordestina, às contradições provocadas pela insuficiência dinâmica das economias regionais, quando cotejadas à economia de São Paulo. Empregando o método histórico-estrutural e outros traços distintivos próprios aos estudos de Wilson Cano, objetiva-se ilustrar como ele colaborou para a explanação do falso problema que revestiu a referida tese. Argumenta-se que esse enquadramento analítico é um legado segundo o qual se torna possível elucidar aspectos que emergiram da evolução das interdependências que vinculam as regiões brasileiras antes e após 1980, envolvendo, em particular, o Nordeste e São Paulo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fábio Lucas Pimentel de Oliveira, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Professor do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional da Universidade Federal do Rio de Janeiro (IPPUR-UFRJ), Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Referências

AFFONSO, R. B. A.; SILVA, P. B. (Org.). Federalismo no Brasil: desigualdades regionais e desenvolvimento. São Paulo: Fundap-Unesp, 1995. 2v.

ALMEIDA, J. C.; BELLUZZO, L. G. M. Depois da queda. São Paulo: Civilização Brasileira, 2002.

ARAÚJO, T. B. La division interegionale du travail au Brésil et l’exemple du Nord-Est. Paris: Université de Paris, 1979.

ARAÚJO, T. B. Industrialização do Nordeste: intenções e resultados. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL SOBRE DISPARIDADE REGIONAL. p. 292-301. Anais... Recife, Fórum Nordeste/Sudene, 1982.

ARAÚJO, T. B. Ensaios sobre o desenvolvimento brasileiro – Heranças e urgências. s.l.: Ed. Revan, 2000.

BACHA, E.; BONELLI, R. Uma interpretação das causas da desaceleração econômica do Brasil. Revista de Economia Política, v. 25, n. 3 (99), p. 163-189, jul./set. 2005.

BIELSCHOWSKY, R. Palestra proferida no IE-Unicamp. Campinas: IE/Unicamp, Rede D, abr. 2012.

BNB. Nordeste 2022: estudos prospectivos (documento-síntese). Fortaleza: Banco do Nordeste do Brasil, 2014.

BRAGA, J. C. S. A financeirização da riqueza: a macroestrutura financeira e a nova dinâmica dos capitalismos centrais. Economia e Sociedade, Campinas, Unicamp/IE, n. 21, 1993.

BRANDÃO, C. A. Território e desenvolvimento: as múltiplas escalas entre o local e o global. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2007.

BRANDÃO, C. A.; OLIVEIRA, F. L. P.; GUIMARÃES NETO, L.; SANTOS, V. M. Wilson Cano, intérprete da questão regional e urbana do Brasil. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, v. 22, jan./dez. 2020.

BRENNER, N.; PECK, J.; THEODORE, N. Após a neoliberalização. Cad. Metrop., São Paulo, v. 14, n. 27, p. 15-39, jan./jun. 2012.

CANO, W. Raízes da concentração industrial em São Paulo. Tese (Doutorado)–IE/Unicamp, Campinas, 1975. 335p.

CANO, W. Soberania e política econômica na América Latina. São Paulo: Ed. Unesp, 2000.

CANO, W. Ensaios sobre a formação econômica regional do Brasil. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2002.

CANO, W. Desequilíbrios regionais e concentração industrial no Brasil: 1930-1970. São Paulo: Editora Unesp, 2007.

O mito do imperialismo paulista revisitado

Economia e Sociedade, Campinas, v. 30, Número Especial, p. 713-737, outubro 2021. 735

CANO, W. Desconcentração produtiva regional do Brasil (1970-2005). São Paulo: Editora Unesp, 2008.

CANO, W. Ensaios sobre a crise urbana no Brasil. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2011a.

CANO, W. Novas determinações sobre as questões regional e urbana após 1980. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, v. 13, n. 2, 2011b.

CANO, W. A desindustrialização no Brasil. Campinas, SP: IE-Unicamp, jan. 2014. Mimeo.

CANO, W. Introdução. In: MONTEIRO NETO, Aristides; CASTRO, César Nunes de; BRANDÃO, Carlos Antônio (Org.). Desenvolvimento regional no Brasil: políticas, estratégias e perspectivas. Brasília, DF: Ipea, 2017.

CARDOZO, S. Guerra fiscal no Brasil e alterações das estruturas produtivas estaduais desde os anos 1990. Tese (Doutorado)–IE-Unicamp, Campinas, 2010. 330p.

CARNEIRO, R. Desenvolvimento em crise: a economia brasileira no último quarto do século XX. São Paulo: Editora da Unesp, 2002.

CARVALHO, J. O. Desenvolvimento regional: um problema político. Campina Grande: EDUEPB, 2014.

CICF. Wilson Cano. Cadernos do Desenvolvimento, Rio de Janeiro, Centro Internacional Celso Furtado, v. 8, n. 13, p. 292-308, jul./dez. 2013.

DINIZ, C. C. Repensando a questão regional brasileira: tendências, desafios e caminhos. Painel “Distribuição de Renda – Redução das Disparidades Regionais”. Rio de Janeiro: BNDES, set. 2002.

DUNHAM, D. Intereses de grupo y estructuras espaciales. Algunas propuestas teóricas. Documento CPRD-C/40, Santiago de Chile: ILPES, 1976.

FAVARETO, A. S. (Org.). Entre chapadas e baixões do Matopiba: dinâmicas territoriais e impactos socioeconômicos na fronteira da expansão agropecuária no cerrado. São Paulo: Prefixo Editorial, 2019.

FIORI, J. L. As trajetórias intelectuais do debate sobre desenvolvimento na América Latina. In: BRANDÃO, C. A. (Org.). Teorias e políticas do desenvolvimento latino-americano. Rio de Janeiro: Contraponto, 2018. p. 17-46.

FRIEDMANN, J. A generalized theory of polarization. Santiago de Chile: Ford Foundation, 1967.

FURTADO, C. Formação econômica do Brasil. São Paulo: Nacional, 1977.

FURTADO, C. Os desafios da nova geração. Jornal dos Economistas, jun. 2004.

GALVÃO, O. J. A. Comércio inter-regional e internacional e a economia de Pernambuco. In: GOMES, G. M. (Coord.). A economia de Pernambuco: uma contribuição para o futuro. Recife: Governo do Estado de Pernambuco, Secretaria de Planejamento, 2005.

GALVÃO, A. C.; BRANDÃO, C. A. Fundamentos, motivações e limitações da proposta governamental dos “Eixos” Nacionais de Integração e Desenvolvimento. In: GONÇALVES, Maria

Fábio Lucas Pimentel de Oliveira

Economia e Sociedade, Campinas, v. 30, Número Especial, p. 713-737, outubro 2021.

Flora; BRANDÃO, Carlos Antônio; GALVÃO, Antônio Carlos (Org.). Regiões e cidades, cidades nas regiões: o desafio urbano-regional. São Paulo: Unesp/Anpur, 2003.

GEREFFI, G. The governance of global value chains. Review of International Political Economy, v. 12, n. 1, p. 78-104, Feb. 2005.

GUIMARÃES NETO, L. Desafios para uma política nacional de desenvolvimento regional. Entrevista especial. Rev. Políticas Públicas, São Luís MA, v.16, n.1, jan./jun. 2012.

GUIMARÃES NETO, L. Trajetória econômica de uma região periférica. Estudos Avançados, São Paulo, v. 11, n. 29, jan./abr. 1997.

GUIMARÃES NETO, L. Introdução à formação econômica do Nordeste. Recife: Massangana - FJN, 1989.

GUIMARÃES NETO, L.; OLIVEIRA, F. L. P. A dinâmica da economia e transformações relevantes. In: ARAÚJO, T. B. (Org.). Socioeconomia pernambucana: mudanças e desafios. Recife: CEPE, 2018. p. 17-45.

GUIMARÃES, P. F. et al. Atuação do BNDES na região Nordeste. In: GUIMARÃES, P. F. et al. (Org.). Um olhar territorial para o desenvolvimento: Nordeste. Rio de Janeiro: Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, 2014. p. 50-66.

IEDI – Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial. Mudança estrutural e produtividade industrial. São Paulo: IEDI, nov. 2007.

KON, A. (Org.). Unidade e fragmentação: a questão regional no Brasil. São Paulo: Ed. Perspectiva, 2002. MARANHÃO, C.; ROMÃO, E. A nova economia de Pernambuco: análise econômico-fiscal dos setores industrial, atacadista e varejista. Recife: CEPE, 2014. MELLO, E. C. Rubro Veio: o imaginário da restauração pernambucana. Rio de Janeiro: Topbooks, 1997. MONTEIRO NETO, A. Desenvolvimento regional em crise: políticas econômicas liberais e restrições à intervenção estatal no Brasil dos anos 90. Tese (Doutorado)–Unicamp. Instituto de Economia, Campinas, SP, 2005. 299p. MONTEIRO NETO, A. Intervenção estatal e desigualdades regionais no Brasil: contribuições ao debate contemporâneo. In: CARVALHO, A.; ALBUQUERQUE, C.; MOTA, J.; PIANCASTELLI (Org.). Ensaios de Economia Regional e Urbana. Brasília: Ipea, 2008. p. 375-436. MACEDO, F. C.; PORTO, L. R. Proposta de atualização das tipologias da PNDR: nota metodológica e mapas de referência. Ipea, 2018. p. 1-67. (Texto para Discussão, n. 2414).

OLIVEIRA, F. Elegia para uma Re(li)gião/Noiva da revolução. São Paulo: Boitempo, 2008.

OLIVEIRA, F.; REICHSTUL, H. P. Mudanças na divisão interregional do trabalho no Brasil. Estudos Cebrap, v. 4, p. 131-168, 1973.

OLIVEIRA, F. L. P. Desenvolvimento capitalista e trajetórias empresariais em Pernambuco. Tese (Doutorado)–IE/Unicamp, Campinas, 2014. 357p.

OLIVEIRA, F. L. P.; WERNER, D. Perspectiva histórica do planejamento regional no Brasil. Santiago: Cepal, 2013

PACHECO, C. A. Fragmentação da Nação. Campinas: IE/Unicamp, 1998.

PAULA, J. A. Desenvolvimento: tentativa de conceptualização. Revista Eletrônica Gestão & Sociedade, v. 10, n. 27, p. 1523-1539, set./dez. 2016.

PERRUCI, G. A formação histórica do Nordeste e a questão regional. In: MARANHÃO, S. (Org.). A questão Nordeste. Estudos sobre formação histórica desenvolvimento e processos políticos ideológicos. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1984. p. 11-30.

PINTO, A. Naturaleza e implicaciones de la “heterogeneidad estructural” de la América Latina. El Trimestre Económico, México, DF, v. 37, n. 1 (145), jan./mar. 1970.

RODRÍGUEZ, O. El estructuralismo latino-americano. Ciudad de México: Siglo XXI/Comisión Económica para América Latina y el Caribe, 2006.

VASCONCELOS, J. R. Análise da matriz por atividade econômica do comercio interestadual no Brasil. Brasília: Ipea, 2006. (Texto para Discussão, n. 1159).

SAMPAIO, D. P. Desindustrialização e estruturas produtivas regionais no Brasil. Tese (Doutorado)–IE/Unicamp, Campinas, SP, 2015. 234p.

SANTOS, A. M. S. P. Política urbana no contexto federativo brasileiro: aspectos institucionais e financeiros. Rio de Janeiro: UERJ, 2017.

SARTI, F. HIRATUKA, C. Desenvolvimento industrial no Brasil: oportunidades e desafios futuros. Campinas, SP: Unicamp. Instituto de Economia, 2011. (Texto para Discussão, n. 187).

SMITH, N. Desenvolvimento desigual. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1988.

TAVARES, M. C. Ciclo e crise: o movimento recente da economia brasileira. Campinas: Ed. da Unicamp, 1998.

TAVARES, M. C. Império, território e dinheiro. In: FIORI, J. L. Estados e moedas no desenvolvimento das nações. Petrópolis: Ed. Vozes, 1999.

VIEIRA, D. J. Um estudo sobre a guerra fiscal no Brasil. Tese (Doutorado)–Unicamp. IE, 2012. Campinas, SP, 2012. 216p.

VILAÇA, M. V.; ALBUQUERQUE, R. C. Coronel, coronéis. Brasília, DF; Editora da UnB / Rio de Janeiro, RJ: Tempo Brasileiro, 1978.

WERNER, D. Fases de neoliberalización, provisión de infraestructura y el “efecto China” en Brasil después de los años noventa. Revista EURE - Revista De Estudios Urbano Regionales, v. 46, n. 139, 2020.

Downloads

Publicado

2021-11-23

Como Citar

OLIVEIRA, F. L. P. de . O mito do imperialismo paulista revisitado. Economia e Sociedade, Campinas, SP, v. 30, n. esp., p. 713–737, 2021. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/ecos/article/view/8667576. Acesso em: 9 fev. 2023.

Edição

Seção

Artigos