A curva ambiental de Kuznets na produção de resíduos sólidos domicialres nos municípios brasileiros, 2011-2015

Autores

Palavras-chave:

Resíduos sólidos, Curva de Kuznets ambiental, Dados em painel

Resumo

O trabalho testa a existência da Curva Ambiental de Kuznets (CKA) na relação entre o PIB per capita e a geração de resíduos sólidos nos municípios brasileiros. Foram estimados modelos de dados em painel para o período de 2011 a 2015. Os resultados confirmaram a hipótese da CKA para a produção de resíduos sólidos domiciliares nos municípios do país. Em relação às demais variáveis, observou-se que a cobrança pela prestação do serviço e a coleta seletiva tendem a causar uma diminuição na geração de resíduos sólidos per capita. Utilizando-se os municípios da região Nordeste como referência, observou-se que a produção de resíduos sólidos é menor nos municípios das regiões Sudeste e Sul. Para os municípios das regiões Norte e Centro-Oeste, as diferenças não foram significativas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Natássia Molina Bayer, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Mestra em Economia do Desenvolvimento pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), Porto Alegre, RS, Brasil.

Paulo Ricardo Ricco Uranga, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Doutorando em Economia do Desenvolvimento na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), Porto Alegre, RS, Brasil.

Adelar Fochezatto, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Doutor em Economia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). Pesquisador do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Brasília, DF, Brasil.

Referências

ARBULÚ, I.; LOZANO, J.; REY-MAQUIEIRA, J. Tourism and solid waste generation in Europe: a panel data assessment of the Environmental Kuznets Curve. Waste Management, v. 46, p. 628-636, 2015.

BAIROCH, P.; LEVY-LEBOYER, M. Disparities in Economic development since the industrial revolution London: Macmillan Press, 1981.

BRASIL. Lei n. 12.305, de 2 de agosto de 2010. Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos. Brasília. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/lei/l12305.htm Acesso em: 19 set. 2017.

BRUNDTLAND, G. H. (Org.). Report of the World Commission on Environment and Development: our common future. [s. l.]: UN, 1987. Disponível em: http://www.un-documents.net/wced-ocf.htm Acesso em: 7 dez. 2017.

CARVALHO, T. S.; ALMEIDA, E. A hipótese da curva de Kuznets ambiental global: uma perspectiva econométrico-espacial. Estudos Econômicos, São Paulo, v. 40, n. 3, p. 587-615, 2010.

CHAVES, I. R.; SOUZA, O. T. A gestão dos resíduos sólidos no Rio Grande do Sul: uma estimação dos benefícios econômicos, sociais e ambientais. Ensaios FEE, v. 34, n. 0, p. 683-714, dez. 2013.

CHEN, C. C. Spatial inequality in municipal solid waste disposal across regions in developing countries. International Journal of Environmental Science and Technology, v. 7, n. 3, p. 447-456, 2010.

DANTAS, I. M.; JÚNIOR, W. A. F. Análise do aterro sanitário de Quirinópolis/GO segundo as leis ambientais. In: CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DE ESTRATÉGIA EM GESTÃO, EDUCAÇÃO E SISTEMAS DE INFORMAÇÃO (CIEGESI), v. 1, n. 1, p. 124-143, 2013. Anais...

ERCOLANO, S.; GAETA, G. L. L.; GHINOI, S.; SILVESTRI, F. Kuznets curve in municipal solid waste production: an empirical analysis based on municipal-level panel data from the Lombardy region (Italy). Ecological Indicators, v. 93, p. 397-403, 2018.

GOMES, E. R.; STEINBRUCK, M. A. Oportunidades e dilemas do tratamento dos resíduos sólidos no Brasil à luz da Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei n. 12.305/2010). Confluências, v. 14, n. 1, p. 100-114, 2012.

GOUVEIA, N. Resíduos sólidos urbanos: impactos socioambientais e perspectiva de manejo sustentável com inclusão social. Ciência & Saúde Coletiva, v. 17, n. 6, p. 1503-1510, 2012.

GROSSMAN, G. M.; KRUEGER, A. B. Environmental impacts of a North American free trade agreement Cambridge, MA: 1991. Disponível em: http://www.nber.org/papers/w3914.pdf Acesso em: 6 out. 2017.

HILTON, F. G. H.; LEVINSON, A. Factoring the environmental Kuznets curve: evidence from automotive lead emissions. Journal of Environmental Economics and Management, v. 35, n. 2, p. 126-141, 1998.

HOCKETT, D.; LOBER, D. J.; PILGRIM, K. Determinants of per capita municipal solid waste generation in the southeastern United States. Journal of Environmental Management, v. 45, n. 3, p. 205-217, 1995.

ICHINOSE, D.; YAMAMOTO, M.; YOSHIDA, Y. The decoupling of affluence and waste discharge under spatial correlation: do richer communities discharge more waste? GRIPS Policy Research Center, v. 20, n. 2, p. 1-28, 2011.

ISMAILA, A. B.; MUHAMMED, I.; BIBI, U. M.; HUSAIN M. A. Modelling municipal solid waste generation using geographically weighted regression: a case study of Nigeria. International Research Journal of Environment Sciences, v. 4, n. 8, p. 98-108, 2015.

JACOBI, P. R.; BESEN, G. R. Gestão de resíduos sólidos em São Paulo: desafios da sustentabilidade. Estudos Avançados, v. 25, n. 71, p. 135-158, 2011.

LI, Y.; BAI, J.; WANG, J.; QIU, H; MIN, S. Solid waste disposal and its relationship with economic development in rural China. In: INTERNATIONAL ASSOCIATION OF AGRICULTURAL ECONOMISTS (IAAE) TRIENNIAL CONFERENCE, Foz do Iguaçu, 2012.

MAYUMI, K. Temporary emancipation from land: from the industrial revolution to the present time. Ecological Economics, v. 4, n. 1, p. 35-56, Oct. 1991.

MAZZANTI, M.; MONTINI, A.; ZOBOLI, R. Municipal waste generation and socioeconomic drivers: evidence from comparing Northern and Southern Italy. The Journal of Environment & Development, v. 17, n. 1, p. 51-69, 2008.

MENDONÇA, R. S.; SAIANI, C. C. S.; KUWAHARA, M. Y. Relação entre a disposição final dos resíduos sólidos urbanos e a saúde nos municípios brasileiros e paulistas: desafios para as políticas públicas. In: ENCONTRO NACIONAL DE ECONOMIA, 43. Florianópolis: Associação Nacional dos Centros de Pós-Graduação em Economia (ANPEC), 2015

MOREL, B. L. G.; TRIACA, L. M.; SOUZA, O. T. Desenvolvimento econômico e a disposição de resíduos sólidos no Brasil: um teste da hipótese da Curva Ambiental de Kuznets (CKA) para os municípios brasileiros. Revista Espacios, v. 37, n. 17, p. 22, 2016.

ORUBU, C. O.; OMOTOR, D. G. Environmental quality and economic growth: searching for environmental Kuznets curves for air and water pollutants in Africa. Energy Policy, v. 39, p. 4178-4188, 2011.

SANTOS, G. O.; SILVA, L. F. F. da. Estreitando nós entre o lixo e a saúde: estudo de caso de garis e catadores da cidade de Fortaleza, Ceará. REDE-Revista Eletrônica do Prodema, v. 3, n. 1, p. 83-102, 2009.

SELDEN, T. M.; SONG, D. Environmental quality and development: is there a Kuznets curve for air pollution emissions? Journal of Environmental Economics and Management, v. 27, n. 2, p. 147-162, 1994.

SILVA, H.; BARBIERI A. F.; MONTE-MÓR, R. Fatores demográficos e geração de resíduos sólidos domiciliares no Município de Belo Horizonte. In: ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDOS POPULACIONAIS, 17, 2010. Disponível em: http://www.abep.org.br/publicacoes/index.php/anais/article/viewFile/2367/2320 Acesso em: 16 nov. 2017

SIMATELE, D. M.; DLAMINI, S.; KUBANZA, N. S. From informality to formality: perspectives on the challenges of integrating solid waste management into the urban development and planning policy in Johannesburg, South Africa. Habitat International, v. 63, p. 122-130, 2017.

SIQUEIRA, M. M.; MORAES, M. S. Saúde coletiva, resíduos sólidos urbanos e os catadores de lixo. Ciência & Saúde Coletiva, v. 14, p. 2115-2122, 2009.

STERN, D. I.; COMMON, M. S.; BARBIER, E. B. Economic growth and environmental degradation: the environmental Kuznets curve and sustainable development. World Development, v. 24, n. 7, p. 1151-1160, 1996.

WOOLDRIDGE, J. M. Introdução à econometria: uma abordagem moderna. 4. ed. Tradução José Antônio Ferreira. São Paulo: Cengage Learning, 2014.

Downloads

Publicado

2022-04-06

Como Citar

BAYER, N. M. .; URANGA, P. R. R. .; FOCHEZATTO, A. . A curva ambiental de Kuznets na produção de resíduos sólidos domicialres nos municípios brasileiros, 2011-2015. Economia e Sociedade, Campinas, SP, v. 31, n. 1, p. 129–142, 2022. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/ecos/article/view/8668956. Acesso em: 3 out. 2022.

Edição

Seção

Artigos