Contracepção e autonomia das mulheres na decisão pela gravidez

efeitos do programa bolsa família

Autores

Palavras-chave:

Contracepção, Autonomia feminina, Empoderamento, Bolsa família

Resumo

Quais os impactos do Programa Bolsa Família (PBF) na contracepção e na autonomia das mulheres tomarem decisões referentes à gravidez? Motivado por tal questionamento, este artigo contribui ao debate sobre efeitos do PBF ao considerar variáveis que sinalizam tanto o desejo da mulher quanto sua capacidade de decidir pela gravidez, além da efetividade dos métodos contraceptivos. Por métodos de Propensity Score Matching com dados da Pesquisa Nacional de Demografia e Saúde da Mulher e da Criança de 2006, não foram obtidas evidências de que o PBF contribuiu para a redução de uso de contraceptivos, tampouco para o estímulo à gravidez. Porém, os resultados indicam que o programa reduziu a probabilidade de as beneficiárias não serem atendidas por métodos contraceptivos quando demandados. Assim, pelo maior acesso a informações, incremento de renda ou aumento no poder de barganha, tais resultados sugerem que o PBF tem impactos positivos no poder de agência das mulheres.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Carolina do Amaral Couto, Universidade Federal de Uberlândia

Doutoranda em Economia no Programa de Pós-Graduação em Economia pela Universidade Federal de Uberlândia (PPGE-UFU), Uberlândia, MG, Brasil.

Carlos César Santejo Saiani, Universidade Federal de Uberlândia

Professor do Instituto de Economia e Relações Internacionais da Universidade Federal de Uberlândia (IERI-UFU), Uberlândia, MG, Brasil. 

Mônica Yukie Kuwahara, Universidade Federal do ABC

Professora do Centro de Engenharia, Modelagem e Ciências Sociais Aplicadas da Universidade Federal do ABC (CECS-UFABC), Santo André, SP, Brasil.

Referências

BARROS. R. P.; FOGUEL., M. N.; ULYSSEA., G. (Org.). Desigualdade de renda no Brasil: uma análise da queda recente. Brasília: Ipea, 2007. v. 2.

BARTHOLO, L.; PASSOS, L.; FONTOURA, N. Bolsa Família, autonomia feminina e equidade de gênero: o que indicam as pesquisas nacionais? Rio de Janeiro: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, 2017. (Textos para Discussão, n. 2331).

BECKER, G. S. An economic analysis of fertility. In: COALE, A. (Ed.). Demographic and economic change in developed countries Princeton University Press, 1960.

BERBEL, C. S. Interações econômicas entre capital humano e fecundidade Tese (Doutorado em Economia)–Fundação Getúlio Vargas, Rio de Janeiro, 2011.

BERTH, J. Empoderamento São Paulo: Pólen, 2019.

BONGAARTS, J.; BRUCE, J. The causes of unmet need for contraception and the social content of services. Studies in Family Planning, v. 26, n. 2, p. 57-75, mar./abr. 1995.

BRADLEY, S. E. K.; CROFT, T. N.; FISHEL, J. D.; WESTOFF, C. F. Revising unmet need for family planning ICF International, Calverton, 2012. (DHS Analytical Studies, n. 25).

BRASIL. Relatório Final n. 2 da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI), Requerimento n. 796/91 Brasília, DF: Congresso Nacional Brasileiro, 1993.

BRASIL. Lei n. 9.263 Regula o planejamento familiar. Brasília, DF, 1996.

BRASIL. Decreto n. 5.209 Regulamenta a Lei n. 10.836, que cria o Programa Bolsa Família e dá outras providências. Brasília, DF, 2004.

BRYSON, A.; DORSETT, R.; PURDON, S. The use of propensity score matching in the evaluation of labour market policies 2002. (Working Paper DWP, n. 4).

CAETANO, A. J. Esterilização cirúrgica feminina no Brasil, 2000 a 2006: aderência à lei de planejamento familiar e demanda frustrada. Revista Brasileira de Estudos de População, v. 31, n. 2, jul./dez. 2014.

CAETANO, A. J.; SANSONE, L. A relação entre cor da pele/raça e esterilização no Brasil: análise dos dados da pesquisa nacional sobre demografia e saúde – 1996. In: MONTEIRO, S.; SANSONE, L. (Org.). Etnicidade na América Latina: um debate sobre raça, saúde e direitos reprodutivos. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2004.

CALIENDO, M.; KOPEINIG, S. Some practical guidance for the implementation of propensity score matching Berlin: Deutsches Institut für Wirtschaftsforschung, 2005. (DIW Discussion Papers, n. 485).

CAMELO, R. S.; TAVARES, P. A.; SAIANI, C. C. S. Alimentação, nutrição e saúde em programas de transferência de renda: evidências para o Programa Bolsa Família. EconomiA, Brasília, v. 10, n. 4, dez. 2009.

CARVALHO, A. A. Demanda por contracepção no Brasil em 2006: contribuição para a implementação das preferências de fecundidade. Ciência & Saúde Coletiva, v. 24, n. 10, 2019.

CASIQUE, I. What difference does it make? Women’s autonomy and power and use of contraception in Mexico. In: IUSSP GENERAL POPULATION CONFERENCE, 24, Salvador, ago. 2001.

CAVENAGHI, S.; ALVES, J. E. Fecundidade e dinâmica da população brasileira Brasília: Fundo de População das Nações Unidas, 2018.

CECHIN, L. A. W. O impacto das regras do Programa Bolsa Família sobre a fecundidade das beneficiárias Dissertação (Mestrado em Economia Aplicada)–UFPEL, 2015.

COUTO, M. C. A. Empoderamento feminino e políticas de transferência condicional de renda: uma avaliação do Programa Bolsa Família. Dissertação (Mestrado em Economia)–Programa de Pós-Graduação em Economia, UFU, 2020.

CRISSMAN, H. P.; ADANU, R. M.; HARLOW, S. D. Women’s sexual empowerment and contraceptive use in Ghana. Studies in Family Planning, v. 43, n. 3, p. 201-212, set. 2012.

DE BRAUW, A.; GILLIGAN, D. O.; HODDINOTT, J.; ROY, S. The impact of Bolsa Família on women’s decision-making power. World Development, v. 59, 2014.

DEDECCA, C. S. A redução da desigualdade e seus desafios Rio de Janeiro: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, 2015. (Texto para Discussão, n. 2031).

DEHEJIA, R. H.; WAHBA, S. Propensity score-matching methods for nonexperimental causal studies. The Review of Economics and Statistics, v. 84, n. 1, Feb. 2002.

DO, M.; KURIMOTO, N. Women’s empowerment and choice of contraceptive methods in selected African countries. International Perspectives on Sexual and Reproductive Health, v. 38, n. 1, Mar., 2012

DUFLO, E. Grandmothers and granddaughters: old-age pension and intra-household allocation in South Africa. World Bank Economic Review, n. 17, 2003.

DUFLO, E. Women empowerment and economic development. Journal of Economic Literature, v. 50, n. 4, 2012.

DUFLO, E.; GLENNERSTER, R.; KREMER, M. Using randomization in development economics research: a toolkit. MIT Department of Economics, 2006. (Working Paper, n. 6).

FAÚNDES, A.; COSTA, R. G.; PÁDUA, K. S.; PERDIGÃO, A. M. Associação entre prevalência de laqueadura tubária e características sócio-demográficas de mulheres e seus companheiros no estado de São Paulo, Brasil. Cadernos de Saúde Pública, v. 14, dez. 1998.

FIRPO, S. P.; PINTO, R. C. C. Combinando estratégias para estimação de efeitos de tratamento São Paulo: EESP, 2013. (Working Paper, n. 3).

FRANÇA, A. L.; SCHIMANSKI, E. Mulher, trabalho e família: uma análise sobre a dupla jornada feminina e seus reflexos no âmbito familiar. Revista Emancipação, v. 9, n. 1, 2009.

GREENE, W.H. Econometric analysis 3 ed. New Jersey: Prentice Hall, 1997.

HECKMAN, J.; ICHIMURA, H.; TODD, P. Matching as an econometric evaluation estimator: evidence from evaluating a job training programme. Economic Studies, v. 64, n. 4, 1997.

IBGE. Síntese de indicadores sociais: uma análise das condições de vida da população brasileira. Estudos & Pesquisas, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, n. 40, 2019.

LAVINAS, L.; COBO, B.; VEIGA, A. Bolsa Família: impacto das transferências de renda sobre a autonomia das mulheres pobres e as relações de gênero. Revista Latinoamericana de Población, v. 6, n. 10, jan./jun., 2012.

LEMOS, A. Direitos sexuais e reprodutivos: percepção dos profissionais da atenção primária em saúde. Saúde em Debate, Rio de Janeiro, v. 38, n. 1, abr./jun. 2014.

MARTINS, C. M.; ALMEIDA, M. F. Fecundidade e diferenciais intra-urbanos de desenvolvimento humano. Revista de Saúde Pública, v. 35, n. 5, 2001.

NUSSBAUM, M. C. Creating capabilities: the human development approach. Cambridge: Belknap Press of Harvard University Press, 2011.

NUSSBAUM, M. C. Women and human development: the capabilities approach. 21. ed. New York: Cambridge University Press, 2013.

OLINTO M. T. A.; GALVÃO, L. W. Características reprodutivas de mulheres de 15 a 49 anos: estudos comparativos e planejamento de ações. Revista de Saúde Pública, v. 33, n. 1, 1999.

OLINTO, M. T. A.; OLINTO, B. A. Raça e desigualdade entre as mulheres: um exemplo no sul do Brasil. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 16, n. 4, out./dez., 2000.

PAIVA, S. P.; BRANDÃO, E. R. Contracepção de emergência no contexto das farmácias: revisão crítica de literatura. Physis: Revista Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 22, n. 1, 2012.

PASSOS, L.; WALTENBERG, F. Bolsa Família e assimetrias de gênero: reforço ou mitigação? Revista Brasileira de Estudos de População, Rio de Janeiro, v. 33, n. 3, set./dez., 2016.

PATRIKAR, S. R.; BASANNAR, D. R.; SHARMA, M. S. Women empowerment and use of contraception. Medical Journal Armed Forces India, v. 3, n. 70, 2014.

PERPÉTUO, I.; WONG, L. Desigualdade socioeconômica na utilização de métodos anticoncepcionais no Brasil: uma análise comparativa com base nas PNDS 1996 e 2006. In: BRASIL. Dimensões do processo reprodutivo e da saúde da criança Brasília, 2009.

PETCHESKY, R. P. Direitos sexuais: um novo conceito na prática política internacional. In: BARBOSA, R. M.; PARKER, R. (Org.). Sexualidades pelo avesso: direitos, identidades e poder. Rio de Janeiro: IMS/UERJ; São Paulo: Editora 34, 1999.

PNDS. Pesquisa Nacional de Demografia e Saúde da Criança e da Mulher Ministério da Saúde, 2006.

ROCHA, R. Programas condicionais de transferência de renda e fecundidade: evidências do Bolsa Família. Rio de Janeiro: IE-UFRJ, jul. 2017. (Texto para Discussão, n. 19).

ROCHA-COUTINHO, M. L. Variações sobre um antigo tema: a maternidade para mulheres com uma carreira profissional bem-sucedida. In: FERES-CARNEIRO, T. (Org.). Família e casal: efeitos da contemporaneidade. Rio de Janeiro: Editora PUC-Rio, 2005.

ROSENBAUM, P. R.; RUBIN, D. B. The central role of the propensity score in observational studies for causal effects. Biometrika, v. 70, n. 1, Apr. 1983.

ROSENBAUM, P. R.; RUBIN, D. B. Constructing a control group using multivariate matched sampling methods that incorporate the propensity score. The American Statistician, v. 39, n. 1, Feb., 1985.

ROWLANDS, J. Empowerment examined. Development in Practice, v. 5, n. 2, May 1995.

ROY, A. D. Some thoughts on the distribution of earnings. Oxford Economic Papers, v. 3, n. 2, Jun. 1951.

ROBEYNS, I. Sen’s capability approach and gender inequality: selecting relevant capabilities. Feminist Economics, v. 9, n. 2, 2003.

RUBIN, D. B. Estimating causal effects of treatments in randomized and nonrandomized studies. Journal of Educational Psychology, v. 66, n. 5, 1974.

RUBIN, D. B. Bayesian inference for causal effects: the role of randomization. The Annals of Statistics, v. 6, n. 1, 1978.

SEN, A. Desenvolvimento como liberdade 7. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

SCHOR, N.; FERREIRA, A. F.; MACHADO, V. L.; FRANÇA, A. P.; PIROTTA, K. C. M.; ALVARENGA, A. T.; SIQUEIRA, A. A. F. Mulher e anticoncepção: conhecimento e uso de métodos anticoncepcionais. Cadernos de Saúde Pública, v. 16, n. 2, abr./jun., 2000.

SIGNORINI, B. A.; QUEIROZ, B. L. The impact of Bolsa Família Program in the beneficiary fertility Belo Horizonte: UFMG-Cedeplar, ago. 2011. (Texto para Discussão, n. 439).

SILVA, T. F. (Org.). Bolsa Família 15 anos Brasília: ESAF, 2018.

SIMÕES, P.; SOARES, R. B. Efeitos do Programa Bolsa Família na fecundidade das beneficiárias. Revista Brasileira de Economia, Rio de Janeiro, v. 66, n. 4, out./dez., 2012.

SMITH, J. A.; TODD, P. E. Does matching overcome LaLonde’s critique of nonexperimental estimators? Journal of Econometrics, n. 125, 2005.

SUÁREZ, M.; LIBARDONI, M. O impacto do Programa Bolsa Família: mudanças e continuidades na condição social das mulheres. In: VAITSMAN, J.; PAES-SOUSA, R. Avaliação de políticas e programas do MDS – Resultados: Bolsa Família e Assistência Social Brasília: MDS, 2007. v. 2, cap. 4.

TAVARES, L. S.; LEITE, I. C.; TELLES, F. S. P. Necessidade insatisfeita por métodos anticoncepcionais no Brasil. Revista Brasileira de Epidemiologia, v. 10, n. 2, 2007.

TAVARES, P. A. Efeito do Programa Bolsa Família sobre a oferta de trabalho das mães. Economia e Sociedade, Campinas, v. 19, n. 3, v. 40, p. 613-635, dez. 2010.

TRUSSELL, J. Contraceptive failure in the United States. Contraception, n. 83, Jan. 2011.

VENTURA, M. A. Construção dos direitos reprodutivos. In: VENTURA, M. Direitos reprodutivos no Brasil Brasília: UNFPA, Fiocruz, 2009.

WESTOFF, C.; OCHOA, L. H. Unmet need and the demand for family planning, demographic and health surveys: comparative studies 5. The Demographic and Health Surveys (DHS) Program, Institute for Resource Development, Macro International Inc., 1991.

WHO. Comparing typical effectiveness of contraceptive methods Geneva: WHO, 2007.

YORK, R.; BELL, S. E. Life satisfaction across nations: the effects of women’s political status and public priorities. Social Science Research, v. 48, Nov. 2014.

Downloads

Publicado

2022-04-06

Como Citar

COUTO, M. C. do A. .; SAIANI, C. C. S. .; KUWAHARA, M. Y. . Contracepção e autonomia das mulheres na decisão pela gravidez: efeitos do programa bolsa família. Economia e Sociedade, Campinas, SP, v. 31, n. 1, p. 229–255, 2022. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/ecos/article/view/8668966. Acesso em: 3 out. 2022.

Edição

Seção

Artigos