Banner Portal
Retorno da educação para os trabalhadores graduados no Sul do Brasil
PDF

Palavras-chave

Capital humano
Ensino superior
Economia do trabalho
Modelo hierárquico
Sul do Brasil

Como Citar

SILVA, Grazielli Olimpia Viviani Pedroso da; PONTILI, Rosangela Maria; STADUTO, Jefferson Andronio Ramundo. Retorno da educação para os trabalhadores graduados no Sul do Brasil: as características sociais e econômicas dos municípios importam?. Economia e Sociedade, Campinas, SP, v. 32, n. 1, p. 185–205, 2023. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/ecos/article/view/8673231. Acesso em: 13 jul. 2024.

Resumo

O artigo analisa o retorno financeiro da educação para os trabalhadores graduados, considerando os efeitos das características individuais e, sobretudo, das variáveis locais do mercado de trabalho, bem como as sociais e econômicas, dos municípios da Região Sul do Brasil. Para captar os efeitos dessas variáveis, foram estimadas equações de rendimentos por meio de modelos hierárquicos em dois níveis. Utilizaram-se dados do Censo Demográfico 2010, realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os resultados mostraram que existe um diferencial de retorno de acordo com o curso escolhido pelo indivíduo. Constatou-se que a pós-graduação stricto sensu impacta positivamente os retornos financeiros da educação. Além disso, as condições locais dos municípios influenciam os retornos os trabalhadores graduados, destacando-se o efeito positivo da taxa de desemprego sobre o retorno da educação, de forma que os trabalhadores graduados estão mais protegidos das crises econômicas do que os demais. As políticas de fomento de desenvolvimento social e crescimento econômico dos municípios geram importantes impactos sobre a remuneração dos trabalhadores com ensino superior.

PDF

Referências

AGUIAR, V. Um balanço das políticas do governo Lula para a educação superior: continuidade e ruptura. Revista Sociologia Política, Curitiba, v. 24, n. 57, 2016.

AKERLOF, G. A. Gift exchange and efficiency-wage theory: four views. The American Economic Review, Nashville, v. 74, n. 2, p. 79-83, 1984.

BACCHI, M. D. et al. Diferenças salariais e discriminação por gênero e cor na região sudeste do Brasil. Revista de Desenvolvimento Econômico, [S. l.], v. 2, n. 37, p. 276-305, ago. 2017.

BARBOSA FILHO, F.; MOURA, R. L. Evolução recente da informalidade do emprego no Brasil: uma análise segundo as características da oferta de trabalho e o setor. Pesquisa e Planejamento Econômico, Rio de Janeiro, v. 45, n. 1, 2015.

BARBOSA FILHO, F. H.; PESSÔA, S. Retorno da educação no Brasil. Pesquisa e Planejamento Econômico, Rio de Janeiro, v. 38, n. 1, p. 95-125, 2008.

BARROS, R. P. de et al. Desigualdade de renda no Brasil: uma análise da queda recente. Rio de Janeiro: Ipea, 2006.

BARROS, R. P.; MENDONÇA, R. Os determinantes da desigualdade no Brasil. Rio de Janeiro: IPEA, 1995.

BAUM, S.; PAYEA, K. The benefits of higher education for individuals and society. Education Pays 2004: Trends in Higher Education Series, 2005.

BECKER, G. S. Human capital: a theoretical and empirical analysis, with special reference to education. Chicago: University of Chicago Press, 1975.

BLANCHFLOWER, D. G.; OSWALD, A. J. An introduction to the wage curve. Journal of Economic Perspectives, [S. l.], v. 9, n. 3, p. 153-167, 1995.

BRASIL. Atlas do desenvolvimento humano no Brasil 2016. Pnud Brasil, Ipea e FJP, 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. INEP. Sinopses Estatísticas. Censo da Educação Superior. Brasília: MEC, 2000.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Superior. Diretoria de Desenvolvimento das Instituições Federais de Ensino Superior. Reuni 2008 – Primeiro Ano. Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais. Brasília: MEC, 2009.

BRASIL. Ministério da Educação. INEP. Sinopses Estatísticas. Censo da Educação Superior. Brasília: MEC, 2010.

BRASIL. Ministério da Educação. INEP. Sinopses Estatísticas. Censo da Educação Superior. Brasília: MEC, 2018.

CAMPANTE, F. R.; CRESPO, A. R. V.; LEITE, P. G. P. G. Desigualdade salarial entre raças no mercado de trabalho urbano brasileiro: aspectos regionais. Revista Brasileira de Economia, Rio de Janeiro, v. 58, n. 2, p. 185-210, 2004.

CHAVES, V. L. J.; AMARAL, N. C. Política de expansão da educação superior no Brasil – o PROUNI e o FIES como financiadores do setor privado. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 32, p. 49-72, 2016.

DALBERTO, C. R.; STADUTO, J. A. R. Uma análise das economias de aglomeração e seus efeitos sobre os salários industriais brasileiros. Revista de Economia Contemporânea, Rio de Janeiro, v. 17, n. 3, p. 539-569, set./dez. 2013.

DOERINGER, P. B.; PIORE, M. J. Internal labor markets and manpower analysis. London: Routledge, 1985.

DUARTE, T. M.; GABRIEL, F. B. de A.; STAMM, C. Análise da distribuição de renda na região Sul entre 2004 e 2014. In: ENCONTRO NACIONAL DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ESTUDOS REGIONAIS E URBANOS, 15, 2017, São Paulo. Anais… São Paulo: USP, 2017.

FERREIRA, F. H. G et al. Ascensão e queda da desigualdade de renda no Brasil: uma atualização para 2005. In: BARROS, R. P. de; FOGUEL, M. N.; ULYSSEA, G. (Org.). Desigualdade de renda no Brasil: uma análise da queda recente, Brasília: Ipea, 2007. v. 2, p. 359-378.

GALINARI, R. et al. O efeito das economias de aglomeração sobre os salários industriais: uma aplicação ao caso brasileiro. Revista de Economia Contemporânea, Rio de Janeiro, v. 11, n. 3, p. 391-420, set./dez. 2007.

GUNDERSON, M.; OREOPOULOS, P. Returns to education in developed countries. The Economics of Education, [S. l.], p. 37-43, 2020.

GUO, G.; ZHAO, H. Multilevel modeling for binary data. Annual Review of Sociology, Palo Alto, v. 26, n. 1, p. 441-462, 2000.

HARMON, C.; OOSTERBEEK, H.; WALKER, I. The returns to education: Microeconomics. Journal of Economic Surveys, [S. l.], v. 17, n. 2, p. 115-156, 2003.

HENDERSON, J. V. Marshall’s scale economies. Cambridge, Sept. 1999. (Working Paper, n. 7358).

HOX, J. Multilevel modeling: when and why. In: BALDERJAHN, I.; MATHAR, R.; SCHADER, M. (Ed.). Classification, data analysis, and data highways. Berlin: Heidelberg, 1998. p. 147-154.

IBGE. Censo Demográfico 2010. Rio de Janeiro: IBGE: 2010.

IBGE. Conceitos. Rio de Janeiro: IBGE, 2017. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/condicaodevida/indicadoresminimos/conceitos.shtm. Acesso em: 2017.

IBGE. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios 2015. Rio de Janeiro: IBGE, 2015.

LIMA, R. Mercado de trabalho: o capital humano e a teoria da segmentação. Pesquisa e Planejamento Econômico, Rio de Janeiro, v. 10, n. 1, p. 217-272, abr. 1980.

MADALOZZO, R.; ARTES, R. Escolhas profissionais e impactos no diferencial salarial entre homens e mulheres. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 47, n. 163, p. 202-221, 2017.

MAIA, K. et al. A mão de obra feminina no mercado de trabalho brasileiro: discriminação salarial por gênero. Ciências Sociais em Perspectiva, Londrina, v. 14, n. 26, p. 30-53, jan. 2015.

MAIA, K. et al. Diferenças salariais e discriminação por gênero e cor no mercado de trabalho da região Sul do Brasil. Revista Estudo e Debate, Lajeado, v. 25, n. 1, 2018.

MANGINO, W. Income returns in early career: why whites have less need for education. Race and Social Problems, [S. l.], v. 11, n. 1, p. 45-59, 2019.

MINCER, J. Investment in human capital and personal income distribution. Journal of Political Economy, Chicago, v. 46, n. 4, 1958.

MINCER, J. Schooling, experience, and earnings. New York: National Bureau of Economic Research, 1974.

MINCER, J. Education, experience, and the distribution of earnings and employment: an overview. In: JUSTER, T. (Ed.). Education, income, and human behavior. 1975. p. 71-94.

OREOPOULOS, P.; PETRONIJEVIC, U. Making college worth it: a review of the returns to higher education. The Future of Children, New Jersey, v. 23, n. 1, 2013.

PATRINOS, H.; MONTENEGRO, C. E. Comparable estimates of returns to schooling around the world. Washington: World Bank, 2014. (Policy Research Working Paper, n. 7020).

PESSOA, S. Existe um problema de desigualdade regional no Brasil? In: ENCONTRO NACIONAL DE ECONOMIA DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS CENTROS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA, 29, 2001, Salvador. Anais… Salvador: Anpec, 2001.

PINTO, I. F. de A. Educação e desigualdade de renda no Brasil. 2017. 53f. Dissertação (Mestrado em Economia)–Fundação Getúlio Vargas, Rio de Janeiro, 2017.

PONTILI, R. M. Determinantes do abandono e atraso escolar, de adolescentes no ensino médio: uma análise para a região Sul do Brasil. 2015. 196f. Tese (Doutorado em Desenvolvimento Regional e Agronegócio)–Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Toledo, 2015.

PRATES, A. A. P.; COLLARES, A. C. M. Desigualdade e expansão do ensino superior na sociedade contemporânea: o caso brasileiro do final do século XX ao princípio do século XXI. Fortaleza: Fino Traço, 2014.

PSACHAROPOULOS, G.; PATRINOS, H. A. Returns to investment in education: a decennial review of the global literature. Washington: World Bank, 2018. (Policy Research Working Paper, n. 8402).

REICH, M.; GORDON, D. M.; EDWARDS, R. C. A theory of labor market segmentation. The American Economic Review, [S. l.], v. 63, n. 2, p. 359-365, 1973.

REIS, M. C.; MACHADO, D. C. Uma análise dos rendimentos do trabalho entre indivíduos com ensino superior no Brasil. Brasília: Ipea, 2015.

RIANI, J. de L. R. Determinantes do resultado educacional no Brasil: família, perfil escolar dos municípios e dividendo demográfico numa abordagem hierárquica e espacial. 2005. 218f. Tese (Doutorado em Demografia)–Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2005.

RODRIGUES, L. de O. et al. Mensuração da desigualdade educacional entre os municípios nordestinos. Revista de Economia Contemporânea, Rio de Janeiro, v. 21, n. 1, 2017.

SCHULTZ, T. W. Investment in human capital. The American Economic Review, [S. l.], v. 51, n. 1, p. 1-17, 1961.

SILVA, V. H. M. C.; FRANÇA, J. M. S. de; PINHO NETO, V. R. de. Capital humano e desigualdade salarial no Brasil: uma análise de decomposição para o período 1995-2014. Estudos Econômicos, São Paulo, v. 46, n. 3, p. 579-608, 2016.

STADUTO, J. A. R., BACHA, C. J. C.; BACCHI, M. R. P. Determinação dos salários na agropecuária brasileira. Pesquisa e Planejamento Econômico, Rio de Janeiro, v. 32, n. 2, p. 285-321, 2002.

VALLE, M. J. Prouni: política de acesso ao ensino superior ou privatização. 2009. 111f. Dissertação (Mestrado em Educação)–Universidade Tuiuti do Paraná, Curitiba, 2009.

VAN DER PANNE, G. Agglomeration externalities: Marshall versus Jacobs. Journal of Evolutionary Economics, [S. l.], v. 14, n. 5, p. 593-604, 2004.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Copyright (c) 2023 Economia e Sociedade

Downloads

Não há dados estatísticos.