Banner Portal
O consumo das famílias brasileiras
PDF

Palavras-chave

Consumo das famílias
Gênero
Raça
Pesquisa de orçamentos familiares

Como Citar

PASSOS, Luana; BARBOSA, Ana Luiza Neves de Holanda; MACHADO, Danielle Carusi; SANTOS, Luciana Alves dos. O consumo das famílias brasileiras: um olhar de gênero e raça. Economia e Sociedade, Campinas, SP, v. 33, n. 2, p. e273768, 2024. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/ecos/article/view/8676907. Acesso em: 20 jul. 2024.

Resumo

O objetivo deste trabalho é investigar o padrão de consumo das famílias brasileiras com ênfase no gênero e na raça do responsável da família. A depender do responsável pela família, gasta-se mais ou menos em determinados bens e serviços, não somente devido às preferências individuais, mas igualmente devido às percepções diversas sobre prioridades dentro da própria família. No que tange ao gênero, a literatura enfatiza que, para as mulheres, o maior peso dos gastos é no bem-estar de filhos, e, em termos de raça, há ainda uma discussão incipiente sobre gastos direcionados a questões identitárias, mas chama a atenção que grande parte dos gastos é dedicado à sobrevivência, dadas as piores condições de vida de pretos e pardos na sociedade brasileira. Para entender estas diferenças sobre o padrão de consumo de famílias cujos responsáveis são homens ou mulheres, com distintas cores/raças, este artigo analisa os determinantes das categorias de consumo das famílias separadamente para cada um destes grupos. Para tanto, foi estimado um sistema de demanda de forma simultânea para seis categorias agregadas de consumo (alimentação, habitação, transporte, saúde, educação e outras despesas). A análise foi feita com a Pesquisa de Orçamentos Familiares de 2017-2018. Os resultados mostram que as mulheres gastam mais em habitação do que os homens, enquanto estes investem seus recursos mais nas despesas de transporte. 

PDF

Referências

BIROLI, F. Gênero e desigualdades: limites da democracia no Brasil. São Paulo: Boitempo, 2018.

BLASIO, B., MENIN, J. From cradle to can: the cost of being a female consumer - a study of gender pricing in New York City. New York City Department of Consumer Affairs - NYC Consumer Affairs. 2015.

NG, S.; BHARTI, M.; FAUST, N. The impact of gender and culture in consumer behavior. In: CHEUNG, F. M.; HALPERN, D. F. The Cambridge Handbook of the international psychology of women Cambridge University Press, 2020. Cap. 2, p. 244-257.

BLUNDELL, R.; PASHARDES, P.; WEBER, G. What do we learn about consumer demand patterns from micro data? The American Economic Review, v. 83, n. 3, p. 570-597, 1993.

BROWNING, M.; CHIAPPORI, P-A.; WEISS, Y. Economics of the family Cambridge University Press, 2014.

CARNEIRO, S. Sobrevivente, testemunha, porta-voz. [Editorial]. Revista CULT, n. 223, p. 13-20, maio 2017.

CARVALHO, A. A.; ALVES, J. E. D. Padrões de consumo dos arranjos familiares e das pessoas que moram sozinhas no Brasil e em Minas Gerais: uma análise de gênero e renda. In: SEMINÁRIO SOBRE ECONOMIA MINEIRA, 14. Diamantina, 2010.

CARVALHO, A. A.; ALVES, J. E. D. Explorando o consumo das famílias brasileiras e sua interface com o ciclo de vida e gênero. Oikos, v. 23, p. 6-29, 2012.

CARVALHO, S. S. de; SANTOS, C. H.; ALMEIDA, V. A.; JOEL, Y. K. Z.; PAIVA, K. C.; CALDAS, L. F. O consumo das famílias no Brasil entre 2000 e 2013: uma análise estrutural a partir de dados do sistema de contas nacionais e da pesquisa de orçamentos familiares. Rio de Janeiro: Ipea, 2016. (Texto de Discussão, n. 2209).

CHAI, A.; MONETA, A. Retrospectives - Engel Curves. Journal of Economic Perspectives, v. 24, n. 1, p. 225-240, Winter 2010.

CHARRON-CHÉNIER, R.; FINK, J. J.; KEISTER, L. Race and consumption: black and white disparities in household spending. Sociol Race Ethn (Thousand Oaks), v. 3, n. 1, p. 50-67, 2017.

COLLINS, P. H. Se perdeu na tradução? Feminismo negro, interseccionalidade e política emancipatória. Parágrafo, v. 5, n.1, jan./jun. 2017.

COSTA, J. C.; JESUS, A. C.; JESUS, J. G.; MADRUGA, M. F.; SOUZA, T. N.; LOUZADA, M. L. Diferenças no consumo alimentar da população brasileira por raça/cor da pele em 2017-2018. Revista de Saúde Pública, v. 57, p. 4, 2023.

CRENSHAW, K. Documento para o encontro de especialistas em aspectos da discriminação racial relativos ao gênero. Estudos Feministas, n. 171, 2002.

DELPHY, C. Patriarcado (Teorias do). In: HIRATA, Helena et al. (Org.). Dicionário crítico do feminismo São Paulo: Unesp, 2009. p. 67-75.

DEATON, A. The analysis of households surveys: a microeconometric approach to development policy. Baltimore: Johns Hopkins University Press for the World Bank, 1997.

DEATON, A.; MUELLBAUER, J. Understanding consumption. Oxford: Clarendon Press, 1992. 242p.

DEATON, A.; MUELLBAUER, J. Economics and consumer behavior New York: Cambridge University Press, 1980. 450p.

DUESTERHAUS, Megan et al. The cost of doing feminity: gendered disparities in pricing of personal care products and services. Gende Issues, v. 28, n. 4, p. 175-191, 2011.

ENGEL, E. Die Produktionsund Consumtionsverhältnisse des Königreichs Sachsen. Zeitschrift des Statistischen Büreaus des Königlich Sächischen Ministeriums des Innern, 8 and 9. (Reimpresso em Engel (1895), Appendix I, p. 1-54.). 1857.

ENGEL, E. Die Lebenskosten belgischer Arbeiterfamilien früher und jetzt. Bulletin de Institut International de Statistique, v. 9, p. 1-124, 1895.

FERANDEZ, B. P. SILVA, L. Pink Tax: Por que as mulheres pagam mais do que os homens pelos mesmos serviços? Um estudo exploratório nas cinco maiores regiões metropolitanas do Brasil. In: ATAS DO ENCONTRO ACIONA DE ECONOMIA POLÍTICA, 28, Maceió: Universidade Federal de Alagoas, 2023.

FIGUEIREDO, A. Dialogando com os estudos de gênero e raça no Brasil. In: PINHO, Osmundo; SANSONE, Livio. (Org.). Raça: novas perspectivas antroplógicas. Salvador: EDUFBA, 2008. p. 237-257.

GALVÃO, M. C.; ALMEIDA, A. N. O padrão de consumo e comportamento familiar por gênero no Brasil: uma análise usando a pesquisa de orçamentos familiares 2008/2009. Planejamento e Políticas Públicas, v. 50, p. 13-46, 2018.

GODIN, L.; LANGLOIS, J. Care, gender, and change in the study of sustainable consumption: a critical review of the literature. Front sustainability. 2021.

GONZALEZ, L. Mulheres negras Versão com algumas modificações, da comunicação “The Black Woman’s Place in the Brazilian Society”, apresentada na “1985 and Beyond: A National Conference”, promovida pelo African-American Political Caucus e pela Morgan State University, Baltimore, 9-12 ago. 1984.

GUEDES, M. de C.; ARAÚJO, Clara. Desigualdades de gênero, família e trabalho: mudanças e permanências no cenário brasileiro. Revista Gênero, v. 12, p. 61-79, 2011.

HARVARD LAW REVIEW. Recent legislation. Havard Law Review, v.109, n.7, p. 1839-1844, May 1996.

HIRATA, H.; KERGOAT, D. Novas configurações da divisão sexual do trabalho. Cadernos de Pesquisa, v. 37, n. 132, p. 595-609, 2007.

HOOKS, B. Intelectuais negras. Revista Estudos Feministas, Rio de Janeiro: IFCS/UFRJE; PPCIS/UERJ, v. 3 n. 2, 1995.

HOUTHAKKER, Hendrik S. Engel’s law In: EATWEL J.; MILGATE, M.; NEWMAN. P. (Ed.). The New Palgrave: a dictionary of economics. London: The Macmillan Press. 1987. v. 2, p. 143-144.

IBGE. Pesquisa de Orçamentos Familiares 2017-2018: perfil das despesas no Brasil: indicadores selecionados. Rio de Janeiro: IBGE, 2020. 110p. Disponível em https://biblioteca.ibge.gov.br/index.php/biblioteca-catalogo?view=detalhes&id=2101761 Acesso em: 20 abr. 2021

IBGE. Pesquisa de Orçamentos Familiares 2017-2018: primeiros resultados. Rio de Janeiro: IBGE, 2019. 64p. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas/sociais/populacao/24786-pesquisa-de-orcamentos-familiares-2.html?edicao=25578&t=publicacoes Acesso em: 15 out. 2020.

MANZANO-ANTÓN, R.; MARTINEZ-NAVARRO, G.; GAVILAN-BOUZAS, D. Gender identity, consumption and price discrimination. Revista Latina de Comunicación Social, n. 73, p. 385-400, 2018.

MELO, N. C. V.; TEIXEIRA, K. M. D. ou DAMIANO TEIXEIRA, K. M.; FERREIRA, Marco Aurélio Marques; SILVA, N. M. Consumo de bens e serviços por idosos nos arranjos domiciliares unipessoal e residindo com o cônjuge. SER Social (Online), v. 20, p. 112-130, 2018.

MELO, H. P.; THOMÉ, D. Mulheres e poder: histórias, ideias e indicadores. Rio de Janeiro: FGV Editora, 2018.

PASSOS, L. Normas de gênero: constrangimentos e limitações na atuação econômica feminina. 2018. 131p. Tese (Doutorado em Economia)-Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2018.

PINHEIRO, L. S.; FONTOURA, N. Perfil das despesas e dos rendimentos das famílias brasileiras sob a perspectiva de gênero. In: SERVO, Luciana; PIOLA, Sérgio; GAIGER, Fernando; MENEZES, Tatiane (Org.). Gasto e consumo das famílias brasileiras contemporâneas Brasília: Ipea, 2007. v. 2, p. 1-40.

QUEIROZ, P. W. V.; COELHO, A. B. Alimentação fora de casa: uma investigação sobre os determinantes da decisão de consumo dos domicílios. Análise Econômica, UFRGS, v. 35, p. 67-104, 2017.

RIBEIRO, D. Quem tem medo do feminismo negro? São Paulo: Companhia das Letras, 2018.

RIOS, F.; SOTERO, E. Plural, Revista do Programa de Pós Graduação em Sociologia da USP, São Paulo, v. 26, n. 1, p. 1-10, 2019.

ROMERO, K.; KERSTENETZKY, C. L. Entre o altruísmo e o familismo: a agenda parlamentar feminina e as políticas família-trabalho (Brasil 2003-2013). Revista Brasileira de Ciência Política, Brasília, n. 18, p. 119-146, set. 2015.

SCHLINDWEIN, M. M.; KASSOUF, A. L. Influência do custo de oportunidade do tempo da mulher sobre o padrão de consumo alimentar no Brasil. Pesquisa e Planejamento Econômico, Rio de Janeiro, v. 37, p. 489-520, 2007.

SETTE, A. B.; COELHO, A. B. Padrão de consumo de arranjos domiciliares brasileiros em 2008/2009. Revista Brasileira de Estudos de População-REBEP, v. 37, p. 1-36, 2020.

TELLES, M. F. A tributação desigual entre gêneros e as consequências do “Pink Tax”. Monografia de final de curso. Universidade Federal do Rio de Janeiro. Centro de Ciências Jurídicas e Econômicas. Faculdade Nacional de Direito. Rio de Janeiro, 2021.

UMERARA, N.A. Pink Tax: a precificação segmentada por gênero e o consumo. Trabalho de Conclusão de Curso. Escola Paulista de Política, Economia e Negócios - EPPEN - Universidade Federal de São Paulo. Campus Osasco, 2020.

ZAW, K.; BHATTACHARYA, J.; PRICE, A.; HAMILTON, D.; DARITY, W. Women, race & wealth. Research Brief Series, v. 1. Samuel DuBois Cook Center on Social Equity and Insight Center for Community Economic Development. Janeiro, 2017.

WORLD ECONOMIC FORUM. What is the ‘pink tax’ and how does it hinder women? Jul. 2024. Disponível em: https://www.weforum.org/agenda/2022/07/what-is-the-pink-tax-and-how-does-it-hinder-women/ Acesso em: 5 jan. 2023.

WORLD ECONOMIC FORUM. Global Gender Gap Report 2022 - Insight Report, 2022.

YE, L.; BOSE, M., PELTON, L.E. How gender identity affects consumer behavior: overview and future research: an abstract. In: ROSSI, P.; KREY, N. (Ed.). Finding new ways to engage and satisfy global customers AMSWMC 2018. Developments in Marketing Science: Proceedings of the Academy of Marketing Science. Springer, Cham, 2019.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Copyright (c) 2024 Economia e Sociedade

Downloads

Não há dados estatísticos.