Call for papers - Special Issue "The vertigo of the subject in Marxism."(September, 2nd 2019) Dossiê - "As vertigens do sujeito no marxismo - olhares contemporâneos sobre uma questão clássica" (prorrogação de prazo para submissões: 02 de setembro de 2019)

2019-08-05

Call for papers - Special Issue "The vertigo of the subject in Marxism - contemporary glances at a classic issue" (deadline for submissions September, 2nd 2019)

 

The notion of “subject” has known the most diverse and elusive meanings throughout the history of Western thought. In Marxism, specifically, the topic was mainly directed towards the following questions: is there a historical subject active in the establishment and conservation of a system of domination? Can a revolutionary subject effectively contest the dominant order?

Among the cannons of 20th century Marxism, the debate was shaped chiefly by two contrasting positions. On the one hand, a diverse group of advocates of the practical and analytical significance of conscious human action, who generally favored certain particular collectives as representatives of the revolutionary subject (e.g. the urban proletariat, the peasantry, political parties, workers in general, non-workers etc.); on the other hand, supporters of an alternative position, who preferred to give an account of the capitalist order and of its possible overcoming by indicating processes and structures averse to that model of subjectivity. More recently, philosophical, sociological, anthropological and historiographical literature has updated the issue by focusing on trajectories inside or beyond the nation state, on marks of gender, racialization, generation, abillity, humanity/non-humanity, or even on the fissures and negations of those marks and dynamics.

In order to explore the unavoidable challenges the notion of “subject” still poses to Marxism and to Karl Marx’s thought, we invite researchers to contribute to this Special Issue by submitting original and unpublished papers that explore the limits and the possibilities of the debate above mentioned. The papers should be written in English, Spanish or Portuguese.

The suggested thematic axes for the contributions are:

  1. Research on the possible meanings of the notion of “subject” in Marx’s work (post-MEGA²)
  2. Critical dialogues with the more or less established 20th century readings of Marx focusing on the notion of “subject” (e.g. Diamat, Marxist Humanisms, Critical Theory, Marxist Structuralism, Neue Marx-Lektüre, Wertkritik).
  3. Elaborations on post-structuralist or deconstructionist criticism of and adherences to the marxist notion of subject (through  authors such as Jean-François Lyotard, Gilles Deleuze, Michel Foucault, Jean Baudrillard, Jacques Derrida, Julia Kristeva, Luce Irigaray, among others).
  4. Feminist, queer, anti-racist, post or decolonialist, posthumanist, animalist, ecologist, anti-ableist, anti-ageist contributions to the debates on the issue of the subject in Marxism.
  5. The (ir)relevance of the notion of social class to the question of the subject (such as  argued by authors of the New Left or by authors more or less identified with Marxism, such as Charles Wright Mills, Norbert Elias and Pierre Bourdieu).
  6. Reflections on the construction, deconstruction and reconstruction of the subject through aesthetics (referring, for example,  to the formulations on that subject-matter by Herber Marcuse, Raymond Williams, Guy Debord or Frederic Jameson)
  7. Considerations on de-centered subjects and politics (drawing on authors such as Antonio Negri, Alain Badiou, Jacques Rancière, Etienne Balibar or Slavoj Žižek, for example).

The deadline for submissions is September, the 2nd, 2019, and the issue is scheduled to appear in December 2019. Besides papers, critical reviews of publications related to the general theme of this Special Issue are also welcome.

Every issue of the Journal for Philosophy and Human Sciences Idéias also comprises state-of-the-field articles unrelated to the theme of the Special Issue. The articles for this free Session too must be original and unpublished and their subject-matter must fall within the scope of the journal - that is, publications on Anthropology, Sociology, Political Science, Demography, Philosophy and History.

Submit your paper at https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/ideias

Contact: lauraluedy@gmail.com, hyure.pnh@gmail.com



Dossiê - "As vertigens do sujeito no marxismo - olhares contemporâneos sobre uma questão clássica" (2o. semestre 2019)

O percurso da noção de sujeito na história do pensamento ocidental obedeceu a sentidos os mais diversos e elusivos. No marxismo, especificamente, esse polissêmico tópico foi conduzido, no entanto, para dar resposta sobretudo a duas questões: de um lado, a de se há um sujeito histórico ativo na instauração e na manutenção de um sistema de dominação; de outro, a questão de se é possível um sujeito revolucionário que se contraponha efetivamente a isso. Canonicamente, ao longo do século XX, viu-se o debate em torno dessas questões se atualizar entre defensores da importância analítica e prática da ação humana consciente - que no mais das vezes indicaram como seus sujeitos privilegiados certos coletivos específicos (proletários urbanos, camponeses, partidos, intelectuais, trabalhadores em geral, não-trabalhadores etc.) - e defensores de posições alternativas, que preferiram dar conta da ordem capitalista e de sua superação pela análise de estruturas e processos avessos àquele modelo de subjetividade. Mais contemporaneamente, parte da produção filosófica, sociológica, antropológica e historiográfica tem atualizado a questão, dando foco às dinâmicas de racialização, às trajetórias aquém e além do Estado nacional, às marcações de gênero, geracionais, de capacidades, de humanidade e não-humanidade, ou mesmo às fissuras e negações disso.

A fim de explorar os incontornáveis desafios que a noção de sujeito põe ainda ao marxismo e ao pensamento de Karl Marx, convidamos pesquisadoras e pesquisadores a contribuírem para este dossiê com artigos que explorem os limites e as potências desse debate. 

Os eixos temáticos sugeridos para as contribuições são:

  1. Pesquisas acerca dos possíveis sentidos da noção de sujeito em Marx após a MEGA².
  2. Diálogos críticos entre as leituras mais ou menos estabelecidas de Marx no século XX que sejam centrados na noção de sujeito (p.ex. Diamat, os humanismos marxistas, a teoria crítica frankfurtiana, o estruturalismo marxista, a Neue Marx-Lektüre, a Wertkritik e a dissociação-valor).
  3. Desenvolvimentos das críticas e adesões pós-estruturalistas ou desconstrucionistas à noção marxista de sujeito (a partir de autoras e autores como Jean-François Lyotard, Gilles Deleuze, Michel Foucault, Jean Baudrillard, Jacques Derrida, Julia Kristeva e Luce Irigaray, dentre outros).
  4. Debates da questão do sujeito no marxismo valendo-se de contribuições feministas, queer, anti-racistas, pós- e decoloniais, pós-humanistas, animalistas, ecologistas, anti-capacitistas, anti-idadistas ou ligadas a outros movimentos sociais relacionados.
  5. Explorações da pertinência ou não da noção de classe social para uma reflexão sobre o sujeito (tais como as realizadas pela assim chamada New Left ou por autores mais ou menos identificados com o marxismo, como Charles Wright Mills, Edward Palmer Thompson, Norbert Elias e Pierre Bourdieu).
  6. Reflexões sobre a construção, desconstrução e reconstrução do sujeito pela estética (tomando por base indicações de Herbert Marcuse, Raymond Williams, Guy Debord ou Frederic Jameson).
  7. Reflexões recentes sobre sujeito não-centrado e política (a partir de autores como Antonio Negri, Alain Badiou, Jacques Rancière, Etienne Balibar e Slavoj Žižek, entre outros).

Além de artigos, serão bem-vindas também resenhas, traduções e entrevistas que dialoguem com esses eixos temáticos. A publicação ocorrerá no segundo semestre de 2019. O prazo para recebimento de propostas é 2 de setembro de 2019.

 

Idéias recebe também artigos de temática livre, que são recebidos em fluxo contínuo. Os artigos submetidos à seção livre devem estar circunscritos ao escopo da revista, isto é, compreendidos no âmbito das disciplinas Antropologia, Sociologia, Ciência Política, Demografia, Filosofia ou História. 

 

Submissões até: 2 de setembro de 2019.

Para submeter sua contribuição acesse:

 Passo a passo para a submissão:

 Passo a passo para cadastro no sistema: