Banner Portal
Desafios da Democracia Brasileira pós-1989
PDF

Palavras-chave

Público. Participação social. Democracia. Redemocratização.

Como Citar

Amâncio, J. M. (2010). Desafios da Democracia Brasileira pós-1989. Ideias, 1(1), 137–157. https://doi.org/10.20396/ideias.v1i1.8649309

Resumo

Fazer um balanço sobre a redemocratização brasileira pós 1989 soa uma tarefa ampla o bastante e quase impossível devido à amplitude adquirida pelo conceito de democracia ao longo dos últimos 20 anos, fruto, inclusive, do próprio processo de redemocratização e seus sucessos. Para dar conta de seu conjunto seria preciso abordar temas como participação social, cidadania, espaços públicos, sociedade civil, movimentos sociais, só para citar os mais próximos. Autores consagrados no campo como Lavalle (2003) e Dagnino (2002, 2004), só para citar alguns, fizeram balanços definitivos de alguns aspectos deste processo.
https://doi.org/10.20396/ideias.v1i1.8649309
PDF

Referências

ALMEIDA, C. “O marco discursivo da ‘Participação Solidária’ e a nova agenda da formulação e implementação de ações sociais no Brasil”. In: DAGNINO, E., OLVERA, A.J. e PANFICHI, A. (orgs.) A disputa pela construção democrática na América Latina. São Paulo: Paz e Terra, Campinas, SP: Unicamp, 2006.

AMANCIO, J.M. Parcerias entre Estado e sociedade civil: significados e desafios na gestão de políticas públicas. O caso da assistência social em São Paulo / Júlia Moretto Amâncio.Campinas, SP : [s. n.], 2008.

AVRITZER, L (org.). A participação em São Paulo. São Paulo: Editora Unesp, 2004.

BARBOSA, L. P. “Significados do Terceiro Setor: de uma nova prática política à despolitização da questão social”. Sociedade e Cultura, V. 9, nº. 1, Jan./Jun. 2006.

CARVALHO, J. Murilo de. Cidadania no Brasil: longo caminho. 6ª Edição. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2004.

CARVALHO, Maria do Carmo. “Participação social no Brasil hoje”. Paper Pólis 2, 1998.

CHIACHIO, N. B. Caráter Público da gestão governamental com organizações sem fins lucrativos: o caso da assistência social. Dissertação de Mestrado. São Paulo: Pontifícia Universidade Católica, 2006.

DAGNINO, E. “Sociedade civil, participação e cidadania: de que estamos falando?”. In: MATO, D. (coord.). Políticas de ciudadanía y sociedad civil en tiempos de globalización. Caracas: FACES, Universidade Central de Venezuela, 2004.

DAGNINO, E. “Sociedade Civil, Espaços Públicos e a Construção Democrática no Brasil: Limites e Possibilidades”. In: DAGNINO, E. (org.) Sociedade Civil e Espaços Públicos no Brasil, Paz e Terra, 2002.

DAGNINO, E. “SOCIEDADE CIVIL, PARTICIPAÇÃO E CIDADANIA: DE QUE ESTAMOS FALANDO?”, In MATO, D. (coord). POLÍTICAS DE CIUDADANÍA Y SOCIEDAD CIVIL EN TIEMPOS DE GLOBALIZACIÓN. Caracas, Venezuela: FACES, Universidad Central de Venezuela, 2004.

DINIZ, E. “Governabilidade, democracia e Reforma do Estado: os desafios da construção de uma nova ordem no Brasil dos anos 90”. In: Dados – Revista de Ciências Sociais. Rio de Janeiro, vol. 38, nº. 3, 1995.

DRAIBE, S. “A política social no período FHC e o sistema de proteção social”. Tempo Social: Revista de Sociologia da USP. Departamento de Sociologia, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo. V. 15, nº. 2, novembro de 2003.

DRAIBE, S. “As políticas sociais e o neoliberalismo”. In: Revista USP. São Paulo, nº. 17, maio de 1993. Edição especial.

FAGNANI, E. Política Social no Brasil (1964 – 2002): entre a cidadania e a caridade. Tese (doutorado) – Universidade Estadual de Campinas. Instituto de Economia, Campinas, 2005a.

FELTRAN, G. S. Deslocamentos – trajetórias individuais, relações entre sociedade civil e Estado no Brasil. Campinas, (mimeo), 2005.

FELTRAN, G. S. Desvelar a política na periferia: histórias de movimentos sociais em São Paulo. São Paulo: Associação Editorial Humanitas, 2004.

FRANCO, A. de. “A Reforma do Estado e o Terceiro Setor. Cinco perguntas preliminares, uma pergunta fundamental e uma nota”. In: Sociedade e Reforma do Estado. Brasília, março de 1998. GENRO, T. “O novo espaço público”, Folha de S. Paulo, 9/6/96.

FRANCO, A. de. “O controle público do Estado, Folha de S. Paulo, 22/3/95.

FRANCO, A. de. texto em “Poder Local, Participação Popular, Construção da Cidadania”, fórum Nacional de Participação Popular nas Administrações Públicas Municipais, Pólis, nº. 1, 1995.

GOMES, A. L. “A nova regulamentação da filantropia e o marco legal do terceiro setor”. In Serviço Social e Sociedade. Ano XX, nº. 61. São Paulo: Ed. Cortez, novembro de 1999.

HOUTZAGER, P. “The Silent Revolution in Anti-Poverty Programmes: Minimum Income Guarantees in Brazil”. IDS Bulletin. London, 2008.

LAVALLE, A. GURZA. “Sem pena nem gloria: o debate sobre a sociedade civil nos anos 1990”. Novos Estudos Cebrap. Julho de 2003.

LOPES, J. R. “Terceiro Setor – a organização das políticas sociais e a nova esfera pública”. In São Paulo em Perspectiva, 18(3), 2004. Marshal, T. H. Cidadania, Status e Classes Sociais. Rio de Janeiro: Editora Zahar, 1967.

MESTRINER, M. L. O Estado entre a filantropia e a assistência social. 2 ed. São Paulo: Cortez, 2005.

MONTAÑO, C. Terceiro Setor e a Questão Social. S. Paulo: Cortez, 2002.

NOGUEIRA, M. A. “Sociedade civil, entre o público não-estatal e o universo gerencial”. In: Revista Brasileira de Ciências Sociais. Vol. 18. Nº. 52. Junho de 2003.

PAOLI, M. C. “Empresas e responsabilidade social: os enredamentos da cidadania no Brasil”. In: SOUZA SANTOS, Boaventura de. Democratizar a Democracia I. RJ: Civilização Brasileira, 2002.

PAULA, A. P. P. Entre a administração e a política: os desafios da gestão pública democrática. Tese de doutorado. Campinas: Unicamp, 2003.

PEREIRA, L. C. B. A Reforma do Estado dos anos 90: lógica e mecanismos de controle. Brasília: Ministério da Administração Federal e Reforma do Estado, 1997. (cadernos MARE da Reforma do Estado, v. 1).

PEREIRA, L. C. B. “Democracia republicana e participativa”. IN: Novos Estudos CEBRAP. São Paulo. Nº. 71. Março de 2005.

RAICHELIS, RAQUEL. Esfera pública e Conselhos de Assistência Social: caminhos da construção democrática. São Paulo, Cortez, 1998.

REIS, F. W. “Cidadania, Mercado e Sociedade Civil”. In DINIZ, E., LOPES, J.S. L. e PRANDI, R. (orgs.) O Brasil no Rastro da Crise. ANPOCS/HUCITEC/IPEA, 1994.

SERAFIM, L. Reforma do Estado no Brasil e controle: uma discussão sobre o projeto de participação e controle social no caso das Agências Reguladoras no período FHC. Monografia de conclusão de curso. São Carlos: UFSCar, 2004.

SILVA, I. G. Democracia e participação na “Reforma do Estado”. São Paulo: Cortez, 2003. (Coleção Questões da nossa época, no. 103).

SOARES, L. T. Os custos sociais do ajuste neoliberal na América Latina. São Paulo: Cortez, 2002. (Coleção Questões da nossa época, nº. 78).

TATAGIBA, L. F. Participação, cultura política e modelos de gestão: a democracia gerencial e suas ambivalências. Tese de Doutorado, Campinas: Unicamp, 2003.

TATAGIBA, L. F. “Os desafios da articulação, entre sociedade civil e sociedade política sob os marcos da democracia gerencial. O caso do Projeto Rede Criança em Vitória/ ES”. In: DAGNINO, E., OLVERA, A.J. e PANFICHI, A. (orgs.) A disputa pela construção democrática na América Latina. São Paulo: Paz e Terra, Campinas, SP: Unicamp, 2006.

TATAGIBA, L. F. “O novo estatuto da participação no contexto do Estado pós-ajuste”. In: Anais do XXIX Encontro Anual da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais. Caxambu, outubro de 2005.

TELLES, V. DA S. “Sociedade Civil, Direitos e Espaços Públicos”. Revista Pólis, nº.14, 1994.

TEIXEIRA, A. C. C. “A atuação das organizações nãogovernamentais: entre o Estado e o conjunto da sociedade”. IN: DAGNINO, E. (org.) Sociedade Civil e Espaços Públicos no Brasil. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

TEIXEIRA, A. C. C. E TATAGIBA, L. Movimentos Sociais e sistema político: os desafios da participação. São Paulo, Instituto Polis/ PUC – SP, 2005. (Observatório dos Direitos do Cidadão: acompanhamento e análise das políticas públicas da cidade de São Paulo, 25).

A Idéias utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.