Territórios da migração na cidade de são paulo: entre a afirmação e negação da condição migrante

Autores

  • Odair da Cruz Paiva Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/ideias.v2i1.8649328

Palavras-chave:

Territórios da migração.

Resumo

A alteração de espaços urbanos por grupos de migrantes é uma das características mais comuns da dinâmica dos deslocamentos populacionais. A análise das transformações no espaço promovidas pelos processos migratórios coloca em discussão as implicações econômicas, culturais, históricas as contradições da presença dos territórios da migração, especialmente em cidades como São Paulo. Dentre os vários trabalhos que analisaram processos de ocupação territorial, o estudo de CYMBALISTA e XAVIER (1997)1 apresenta um esforço em caracterizar quatro padrões de ocupação territorial (territórios étnicos), são eles: os guetos norte-americanos, os banlieues das grandes cidades francesas, os enclaves étnicos e os loteamentos ilegais formados por comunidades perseguidas por motivações religiosas ou políticas. Estes territórios expressam a capacidade de determinadas comunidades em produzir ambientes que expressam as marcas de sua presença.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Odair da Cruz Paiva, Universidade Estadual de Campinas

Professor do Departamento de História da Universidade Federal de São Paulo, pesquisador do NEPO – UNICAMP e do Museu da Imigração – São Paulo.

Downloads

Publicado

2011-08-03

Como Citar

PAIVA, O. da C. Territórios da migração na cidade de são paulo: entre a afirmação e negação da condição migrante. Ideias, Campinas, SP, v. 2, n. 1, p. 13–30, 2011. DOI: 10.20396/ideias.v2i1.8649328. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/ideias/article/view/8649328. Acesso em: 28 out. 2021.