Weber versus Habermas: a perspectiva privilegiada do direito natural

  • Leonardo Jorge da Hora Pereira Universidade Estadual de Campinas
Palavras-chave: Habermas. Weber. Teoria social. Direito natural. Modernidade.

Resumo

Neste artigo trataremos de um tema já longamente debatido na literatura sobre teoria social, a saber, o embate entre as diferentes concepções de modernidade e de racionalização de dois grandes teóricos, Max Weber e Jürgen Habermas. No entanto, com toda a limitação de um texto desta natureza, gostaríamos de realizar esta empreitada a partir de um prisma um tanto quanto incomum. Tentaremos compreender as principais diferenças entre os diagnósticos dos dois autores a partir do modo pelo qual ambos enxergavam as modernas doutrinas jusnaturalistas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leonardo Jorge da Hora Pereira, Universidade Estadual de Campinas

Atualmente é professor adjunto A de Filosofia na Universidade Federal da Bahia (UFBA). Possui graduação em licenciatura e bacharelado em Filosofia pela Universidade Estadual de Campinas (2009) e mestrado em Filosofia pela mesma universidade (2012). Aprovado em seleção internacional, realizou estudos de Filosofia na École Normale Supérieure de Paris, onde obteve o Diplôme de lENS (2012). Além disso, possui uma Maîtrise (M1) en Philosophie et Société pela Université Paris I - Panthéon Sorbonne (2011) e um Master (M2) en Philosophie pela Université Paris Ouest Nanterre La Défense (2012). Possui ainda doutorado em Filosofia pela Université Paris Ouest Nanterre La Défense, realizado junto ao laboratório Sophiapol (2016). Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase em filosofia contemporânea, filosofia social, epistemologia das ciências humanas, Teoria Critica e filosofia política.

Referências

BENHAHIB, Seyla. Critique, Norm and Utopia: A Study of the Foundations of Critical Theory. New York: Columbia University Press, 1986.

COHN, Gabriel. Crítica e Resignação: Max Weber e a Teoria Social. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

COLLIOT-THÉLÈNE, Cathérine. Le Désenchantement de l´État: De Hegel à Max Weber. Paris: Les éditions de Minuit, 1992.

HABERMAS, Jürgen. Communication and the Evolution of Society. Boston: Beacon Press, 1979.

HABERMAS, Jürgen. The Theory of Communicative Action: reason and the rationalization of society, v. 1. Tradução de Thomas McCarthy. Boston: Beacon Press, 1984.

HABERMAS, Jürgen. O Discurso Filosófico da Modernidade. Tradução de Luiz Sérgio Repa. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

PIERUCCI, Antônio Flávio. “Secularização em Max Weber” in A Atualidade de Max Weber. Jessé Souza (org.). Brasília: Editora UNB, 2000.

SCHLUCHTER, Wolfgang. The Rise of Western Rationalism. Tradução de G. Roth. Los Angeles: University of California Press, 1985.

SCHLUCHTER, Wolfgang. “Politeísmo dos Valores” in A Atualidade de Max Weber. Jessé Souza (org.). Brasília: Editora UNB, 2000.

SOUZA, Jessé. Patologias da Modernidade: Um diálogo entre Habermas e Weber. São Paulo: Annablume, 1997.

WEBER, Max. Economía y Sociedad. Esbozo de sociología comprensiva. Vol. 1. México: Fondo de Cultura Econômica, 1969.

Publicado
2011-08-03
Como Citar
Pereira, L. J. da H. (2011). Weber versus Habermas: a perspectiva privilegiada do direito natural. Ideias, 2(1), 129-149. https://doi.org/10.20396/ideias.v2i1.8649334