Natureza e modernidade em Sérgio Buarque de Holanda: primeiras ideias

  • Ana Carolina Vila Ramos dos Santos Universidade Estadual de Campinas
Palavras-chave: Pensamento social. Modernidade. Natureza.

Resumo

Nesse artigo, trato da obra de Sérgio Buarque de Holanda de modo a trazer à tona suas reflexões em torno de “natureza” em suas articulações com o tema da modernidade brasileira em dois momentos importantes de sua obra: Raízes do Brasil (1936), de um lado, e, de outro, Monções (1949) e Caminhos e Fronteiras (1957). Aceito como tese que a modernidade brasileira, do ponto de vista de Sérgio Buarque, é uma intricada síntese entre passado e futuro, tradição e modernidade numa acepção que se distancia da noção clássica de modernidade ocidental.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Carolina Vila Ramos dos Santos, Universidade Estadual de Campinas

Doutora em Sociologia pela UNICAMP (2013), Mestre em Sociologia pela UNICAMP (2008) e bacharel e licenciada em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo (2003). Tem experiência na área de Sociologia, com ênfase em Teoria Sociológica, Sociologia Ambiental, Pensamento social brasileiro e Sociologia Rural.

Referências

ARANTES, P. E. Sentimento da dialética na experiência intelectual brasileira. Dialética e dualidade segundo Antonio Candido e Roberto Schwarz. São Paulo: Paz e Terra, 1992.

ARAÚJO, R. B. Guerra e Paz. Casa-Grande e Senzala e a obra de Gilberto Freyre nos anos 30. Rio de Janeiro: Editora 34, 1994.

BASTOS, E. R. “Pensamento social da Escola Sociológica paulista”. In: MICELI, S. O que ler na Ciência Social brasileira. São Paulo: ANPOCS: Sumaré; Brasília: CAPES, 2002.

CANDIDO, A. “O significado de Raízes do Brasil”. In: HOLANDA, S. B. Raízes do Brasil. 23ª ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1991.

CANDIDO, A. “Duas vezes a passagem do dois ao três”. In: CANDIDO, A. Textos de Intervenção. São Paulo: Duas Cidades; Editora 34, 2002.

CANDIDO, A. Os parceiros do Rio Bonito: estudo sobre o caipira paulista e a transformação dos seus meios de vida. 9ª edição. São Paulo: Duas Cidades; Editora 34, 2001.

EISENSTADT, S. Multiple Modernities. New Brunswick, USA; London, UK, 2002.

FRANÇOSO, M. C. Um outro olhar: a etnologia alemã na obra de Sérgio Buarque de Holanda. 2004. Dissertação (Mestrado em Sociologia) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Campinas.

HOLANDA, S. B. Visão do Paraíso. Os motivos edênicos no descobrimento e colonização do Brasil. São Paulo: Brasiliense; Publifolha, 2000 (Grandes nomes do pensamento brasileiro).

HOLANDA, S. B. Caminhos e Fronteiras. 3ª ed. São Paulo: Cia das Letras, 1994.

HOLANDA, S. B. Raízes do Brasil. 23 ª ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1991.

HOLANDA, S. B. Monções. 2ª ed. São Paulo: Alfa-ômega, 1976.

MONTEIRO, P. M. A queda do aventureiro. Aventura, cordialidade e os novos tempos em Raízes do Brasil. Campinas: UNICAMP, 1999.

MONTEIRO, P. M.; EUGÊNIO, J. K. (org.). Sérgio Buarque de Holanda: perspectivas. Campinas: UNICAMP; Rio de Janeiro: UERJ, 2008.

ORTIZ, R. “Da modernidade incompleta à modernidade-mundo”. Idéias, Campinas, n. 5, v. 2 / n. 5, v. 1, 1999.

PESAVENTO, S. J. (org.). Um historiador nas fronteiras: o Brasil de Sergio Buarque de Holanda. Belo Horizonte: UFMG, 2005.

PIVA, L. G. Ladrilhadores e Semeadores: a modernização brasileira no pensamento político de Oliveira Vianna, Sérgio Buarque de Holanda, Azevedo Amaral e Nestor Duarte (1920-1940). São Paulo: Departamento de Ciência Política da Universidade de São Paulo; Editora 34, 2000.

SANTOS, A. C. V. R. “Ecologia e modernidade em ‘Os Parceiros do Rio Bonito’ de Antonio Candido: uma primeira aproximação”. Revista Mediações, Londrina, v. 15, n. 2, p. 266-281, jul./dez. 2010.

TAVOLARO, S. F. “América Latina: Entre imagens e estigmas”. In: FERREIRA, L. C. (org). Teoria Social, Interdisciplinaridade e Questão Ambiental na América Latina. Campinas: NEPAM, 2009 (no prelo).

TAVOLARO, S. F. “Existe uma modernidade brasileira: reflexões em torno de um dilema sociológico brasileiro”. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v. 20, n. 59, out. 2005.

TAVOLARO, S. B. F.; TAVOLARO, L. G. M. “A cidadania sob o signo do desvio: Para uma crítica da ‘tese de excepcionalidade brasileira’”. Revista Sociedade e Estado, Brasília, v. 25, n. 2, mai./ago. 2010.

WEGNER, R. A conquista do Oeste. A fronteira na obra de Sérgio Buarque de Holanda. Belo Horizonte: UFMG, 2000.

Publicado
2013-04-04
Como Citar
Santos, A. C. V. R. dos. (2013). Natureza e modernidade em Sérgio Buarque de Holanda: primeiras ideias. Ideias, 3(2), 73-90. https://doi.org/10.20396/ideias.v3i2.8649349