Banner Portal
Dois movimentos, dois séculos, um kitsch
PDF

Palavras-chave

Cultura política. Democracia. Movimento social.

Como Citar

CHICARINO, Tathiana Senne. Dois movimentos, dois séculos, um kitsch. Ideias, Campinas, SP, v. 3, n. 2, p. 113–140, 2013. DOI: 10.20396/ideias.v3i2.8649351. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/ideias/article/view/8649351. Acesso em: 15 abr. 2024.

Resumo

A proposta deste artigo é examinar dois movimentos de protesto pela análise comparativa de seus antecedentes e desdobramentos, um ocorrido no século XX – as Diretas Já! - e o outro no século XXI – os “Indignados” ou 15-M. Concluímos que as sociedades tendem a desenvolver certo grau de moderação e de continuidade em seu comportamento quando vivenciam um momento de estabilização econômica, social e política, como no Brasil. Contudo, a desestabilização econômica pode abrir duas outras possibilidades, como vem ocorrendo na Espanha: uma mudança social; ou com a melhora do ambiente econômico uma retomada da tradição moderadora já latente em sua cultura política.

https://doi.org/10.20396/ideias.v3i2.8649351
PDF

Referências

ANTENTAS, Josep Maria; VIVAS, Esther. Entrevista com tradução de Antonio Martins, Disponível em: http://www.outraspalavras.net/2011/06/22/espanha-e-agora/. Acesso em: nov. 2011.

ARENDT, Hannah. A condição humana. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2010.

BERTONCELO, Edison. A Campanha das Diretas e a Democratização. São Paulo: Humanitas, 2007.

CAMUS, Albert. O Mito de Sísifo. Rio de Janeiro/São Paulo: Record, 2007.

CARDOSO, Fernando H.; FALETTO, Enzo. Dependência e Desenvolvimento na América Latina. Rio de Janeiro: LTC Editora, 1970.

CASTELLS, M. A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

CASTELLS, M. A galáxia da internet: Reflexões sobre a internet, os negócios e a sociedade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2003.

CASTELLS, M. Comunicación y Poder. Madrid: Alianza Editorial, 2009.

COUTINHO, Carlos Nelson. Gramsci: Um estudo sobre seu pensamento político. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1999.

DAGNINO, Evelina. “Sociedade civil, participação e cidadania: de que estamos falando?” In: MATO, Daniel (Coord.). Politicas de ciudadania y sociedad civil en tiempos de globalización. Caracas: FACES, Universidad Central de Venezuela, 2004.

FAORO, Raymundo. Os Donos do Poder: Formação do patronato político brasileiro. São Paulo: Globo, 2000.

HARDT, Michael; NEGRI, Antonio. Multidão: Guerra e democracia na era do Império. Rio de Janeiro: Record, 2005.

HARVEY, David et al. Occupy: Movimentos de protesto que tomaram as ruas. São Paulo: Boitempo: Carta Maior, 2012.

HUNTINGTON, Samuel. A Ordem Política nas Sociedades em Mudança. São Paulo: Forense/EDUSP, 1988.

IANNI, Octavio. Teorias da globalização. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2008.

KUNDERA, Milan. A Insustentável Leveza do Ser. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.

LEMOS, André; LEVY, Pierre. O futuro da internet, em direção a uma ciberdemocracia. São Paulo: Paulus, 2010.

LINZ, Juan J.; STEPAN, Alfred. Transição e Consolidação da Democracia. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1999.

MARX, Karl. O Dezoito Brumário de Louis Bonaparte. São Paulo: Centauro, 2006.

MCDONOUGH, Peter; BARNES, Samuel G.; PINA, Antonio López; FIGUEIRA-MCDONOUGH, Josefina. “A democratização desencantada: a cultura política na Espanha pós-82”. Lua Nova, São Paulo, n. 26, p. 187-218, ago. 1992. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ln/n26/a07n26.pdf. Acesso em: 22 dez. 2012.

MIGUEL, Luis Felipe. Em busca da harmonia perdida: mito e discurso político (uma análise a partir da campanha eleitoral brasileira de 1994). 1997. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Campinas.

MIGUEL, Luis Felipe. “Falar bonito: o Kitsch como estratégia discursiva”. Revista Brasileira de Ciência Política, Brasília, n. 6, dez. 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-33522011000200008&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 14 dez. 2012.

MOISÉS, J. A. “Entre a ‘incerteza’ e a tradição política: uma crítica da primeira geração de estudos da transição”. Novos Estudos – CEBRAP, São Paulo, n. 40, 1994.

NEGRI, Antonio. Entrevista com tradução de Bruno Cava. Disponível em: http://www.outraspalavras.net/2011/06/08/15m-redes-e-assembleias-por-antonio-negri/. Acesso em: nov. 2011.

O’DONNELL, Guillermo. “Democracia delegativa?” Novos Estudos CEBRAP, São Paulo, n. 31, 1991.

PRZEWORSKI, Adam; ALVAREZ, M.; CHEIUB, J. A.; LIMONGI, F. “O que mantém as Democracias?” Lua Nova, São Paulo, n.40/41, 1997.

RIBEIRO, Ednaldo Aparecido; BORBA, Julian. Participação, democracia e legitimidade na América Latina: tendências recentes e determinantes individuais. Disponível em: www.waporlatinoamerica.org/descargas/documentos/Dribeiro.doc. Acesso em: dez. 2012.

SOUZA, Amaury; LAMOUNIER, Bolívar. “A feitura da nova constituição: um reexame da cultura política brasileira”. In: LAMOUNIER, Bolívar (Org.). De Geisel a Collor: o balanço da transição. São Paulo: Editora Sumaré, 1990.

WALLERSTEIN, Immanuel. Tipologia das crises no sistema mundial. Simpósio NST. N. 1, Calchester, Essex. Reino Unido: 5-7 nov, 1984.

WEBER, Max. Conceitos Básicos de Sociologia. São Paulo: Centauro, 2005.

A Idéias utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.