Literatura e História – Lukács, György. O Romance Histórico. São Paulo: Boitempo, 2011

Autores

  • Emiliano César de Almeida Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/ideias.v4i2.8649386

Palavras-chave:

Resenha

Resumo

Com o lançamento em 2011, pela editora Boitempo e com prólogo de Arlenice Almeida da Silva, o livro O Romance Histórico, de Georg Lukács, ganhou pela primeira vez tradução para a língua portuguesa. Publicada originalmente em russo (1936-1937), sob a forma de capítulos, e somente em 1954 no idioma alemão, esta obra constitui, juntamente com O jovem Hegel, o trabalho mais signifi cativo de Lukács durante o período moscovita (1933-1945). Nos anos 1930, exilado em Moscou, para onde fugira do nazismo, Lukács travou uma batalha para reconduzir a luta ideológica a um justo ponto, centrado na questão da herança cultural e sua relação com a esquerda revolucionária. O objetivo era, seguindo os passos de Hegel, elaborar uma análise histórico-sistemática do romance histórico, na qual têm destaque os pontos de infl exão signifi cativos do gênero.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Emiliano César de Almeida, Universidade Estadual de Campinas

Mestrando em Sociologia pelo IFCH/Unicamp, bolsista CAPES.

Referências

LUKÁCS, György. O romance histórico. São Paulo: Boitempo, 2011.

TERTULIAN, Nicolas. Georg Lukács: etapas de seu pensamento estético. São Paulo: Editora UNESP, 2008.

Downloads

Publicado

2013-12-20

Como Citar

ALMEIDA, E. C. de. Literatura e História – Lukács, György. O Romance Histórico. São Paulo: Boitempo, 2011. Ideias, Campinas, SP, v. 4, n. 2, p. 153-160, 2013. DOI: 10.20396/ideias.v4i2.8649386. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/ideias/article/view/8649386. Acesso em: 30 out. 2020.