Os métodos mistos e a interdisciplinaridade nas Ciências Sociais: pragmatismo ou pluralismo paradigmático?

Autores

  • Roberto Donato da Silva Júnior Universidade Estadual de Campinas
  • Álvaro de Oliveira D’Antona Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/ideias.v4i0.8649414

Palavras-chave:

Ciências sociais. Interdisciplinaridade. Métodos mistos. Pragmatismo. Pluralismo.

Resumo

O artigo testa se a interdisciplinaridade nas ciências sociais associa-se a métodos particulares em artigos científi cos. Partindo da hipótese de afi nidade entre interdisciplinaridade e métodos mistos, nós buscamos os 30 artigos em ciências sociais mais citados no ISI-WebofScience (1990/2013) com o termo 'mixed methods'. Nós não encontramos menções à palavra “interdisciplinarity” ou a outras similares em tais artigos, o que nos leva a analisar os motivos da não correspondência entre os termos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Roberto Donato da Silva Júnior, Universidade Estadual de Campinas

Professor Doutor do Núcleo Geral Comum (NGC), do Mestrado Interdisciplinar em Ciências Humanas e Sociais Aplicadas da Faculdade de Ciências Aplicadas (FCA) e do Doutorado em Ambiente e Sociedade do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH), todos no âmbito da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Possui Graduação (licenciatura e bacharelado) em Ciências Sociais e Mestrado em Sociologia pela Faculdade de Ciências e Letras ? Campus de Araraquara (FCLAr) da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP) e Doutorado em Ambiente e Sociedade pelo Programa de Pós-Graduação em Ambiente e Sociedade do Núcleo de Estudos e Pesquisas Ambientais (NEPAM) do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH) da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Tendo como ponto de partida a sociologia e os estudos sociais das ciências, desenvolve pesquisa acerca da produção científica sobre a problemática ambiental e suas potencialidades propositivas, normativas e políticas, tanto de um ponto de vista etnográfico quanto da análise da dinâmica discursiva dos artefatos científicos. Atua principalmente nos seguintes temas: sociologia, antropologia, ecologia e economia relacionada à questões de ambiente e sociedade; sustentabilidade, agroecologia, interdisciplinaridade e educação.

Álvaro de Oliveira D’Antona, Universidade Estadual de Campinas

Formação em Ciências Humanas e em Sociais Aplicadas, incluindo Economia (graduação, 1989), Antropologia (mestrado, 1997) e Ciências Sociais (doutorado em Estudos de População, 2003; pós-doutorado em População e Ambiente, 2004). Livre-docente da Faculdade de Ciências Aplicadas (FCA-Unicamp), credenciado no Programa de Pós-graduação de Demografia (IFCH/Unicamp) e no mestrado Interdisciplinar em Ciências Humanas e Sociais Aplicadas (FCA/Unicamp). Pesquisador-colaborador do Núcleo de Estudos de População (NEPO-Unicamp). Participação em projetos de pesquisa nacionais e internacionais sobre População e Ambiente e temas afins, com experiência de campo com populações em áreas rurais da Amazônia e no Nordeste do Brasil (em áreas protegidas e em projetos de colonização). Entre 2010 e 2013, Coordenador de Pós-Graduação da FCA. Entre 2013 e 2017, Diretor Associado da FCA-Unicamp. Desde 2017, Diretor da FCA-Unicamp. 

Referências

AXINN, W. G.; PEARCE, L. D. Mixed method data collection strategies. New York: Cambridge University Press. 2006.

BATESON, G. Steps to Ecology of Mind: Collected Essays in: Anthropology, Psychiatry, Evolution, and Epistemology. Nova Iorque: Ballantine Books. 1972.

BECK, U. Sociedade de Risco: rumo a uma outra modernidade. São Paulo: Editora 34, 2010.

BELYTSCHKO, T.; YEN, H. J.; MULLEN, R. Mixed methods for time integration. Computer Methods in Applied Mechanics and Engineering, v. 17-8, n. FEB, p. 259-275, 1978.

BIESTA, G. J. J. Pragmatism and the philosophical foundations of mixed methods research. In A. TASHAKKORI & C. TEDDLIE (eds), Handbook of mixed methods in social and behavioral research. Thousand Oaks, CA: Sage. 2010.

CANUTO, C. Eigenvalue approximations by mixed methods. Rairo-Analyse Numerique-Numerical Analysis, v. 12, n. 1, p. 27- 50, 1978.

D'ANTONA, A. O. et al. Collecting Sketch Maps to understand property land use and land cover in large surveys. Field Methods, v. 20, p. 66-84, 2008.

DESCOLA, P.; PÁLSSON, G. “Introducción”, In: DESCOLA, P. e PÁLSSON, G. (Coord). Naturaleza e Sociedad. Perspectivas Antropológicas. México: Siglo Veintiuno Editores. 2001.

DUPUY, J.-P. Na origem das ciências cognitivas. São Paulo: Editora da Universidade Estadual Paulista, 1996.

DURKHEIM, E. Regras do Método Sociológico. São Paulo: Companhia Editora Nacional. 1972.

GIDDENS, Anthony. A constituição da sociedade. São Paulo. Martins Fontes, 1984.

GREENE, J. C.; CARACELLI, V. J.; GRAHAM, W. F. Toward a Conceptual Framework for Mixed-method Evaluation Designs. In: Educational Evaluation and Policy Analysis, Vol 11, No. 3, pp 255-274. 1989.

HEIMS, S. J. The Cybernetics Group. Cambridge, Mass.: MIT Press, 1991.

HOGAN D. J. (Org.). Dinâmica populacional e mudança ambiental: cenários para o desenvolvimento brasileiro. Campinas: Nepo/ Unfpa, 2007.

HOWE, R. Max Weber’s elective affi nities: Sociology within the bounds of pure reason. American Journal of Sociology, n. 84, 1978.

INGOLD, T. Being alive: essays on movement, knowledge and description. Oxford: Routledge, 2011.

JOHNSON, B.; ONWUEGBUZIE, A.; TURNER, L. Toward a defi nition of mixed methods research. Journal of Mixed Methods Research. 1 (2), 112-133. 2007.

JOHNSON, R. B.; ONWUEGBUZIE, A. J. Mixed methods research: A research paradigm whose time has come. In: Educational Researcher, 33(7), 14-26. 2004.

KLEIN, J. T. Interdisciplinarity: History, Theory, and Practice. Detroit: Wayne State University Press, l990.

KNORR-CETINA, K. Epistemic Cultures: How the Sciences Make Knowledge. Cambridge, MA: Harvard University Press, 1999. L

ATOUR, B. Jamais Fomos Modernos: Ensaio de Antropologia Simétrica. Tradução de Carlos Irineu da Costa. RJ: Editora 34. 1994.

LÉVI-STRAUSS, C. Antropologia estrutural. Tempo Brasileiro, RJ, 1985.

LIVERMAN, D. et al. People and Pixels: Linking Remote Sensing and Social Science. Washington, D. C.: National Academy Press, 1998.

MALINOWSKI, B. Argonautas do pacifi co-ocidental: um relato do empreendimento e da aventura dos nativos nos arquipélagos da Nova Guiné melanésia. São Paulo: Abril Cultural, 1976.

MARX, K. O Dezoito Brumário de Luis Bonaparte. São Paulo. Edições Mandacaru. 1990.

MORAN, E.F. Adaptabilidade humana: uma introdução à antropologia ecológica. São Paulo: EDUSP, 1994.

MORIN, E. O Paradigma Perdido: a natureza humana. Portugal, Publicações Europa-América, 1973.

PEARCE, L. D. Mixed Methods Inquiry in Sociology. In: American Behavioral Scientist American Behavioral Scientist, 56(6), 829-848. 2012.

PLANO CLARK, V. L. Designing and conducting mixed methods research (2nd ed.). Thousand Oaks, CA: Sage. 2011.

SILVA JÚNIOR, R. D.; DANTONA, A. O. As propostas de sustentabilidade em demografia uma análise sobre a relação entre especialização científica e fenômenos híbridos. In: ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDOS POPULACIONAIS, 28, 2012, Águas de Lindoia. Anais do XVIII Encontro Nacional de Estudos Populacionais. Águas de Lindóia: ABEP. 2012.

SILVA JÚNIOR, R. D. Sustentabilidade, um tema híbrido sob olhares purifi cados uma análise sociológica sobre a produção científica na ecologia e sociologia. In: ENCONTRO ANUAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM CIÊNCIAS SOCIAIS, 36., 2012, Águas de Lindoia. Anais do 36º. Encontro Anual da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais. Águas de Lindóia: ANPOCS, 2012.

SILVA JUNIOR, R.; FERREIRA, L. C. Sustentabilidade na era das conferências sobre meio ambiente e desenvolvimento - um olhar para ecologia e economia. Ambiente e Sociedade. São Paulo, v. 16, n. 1, mar. 2013.

TASHAKKORI, A.TEDDLIE, C. (Eds.), Handbook of mixed methods in social & behavioral research. Thousand Oaks, CA: Sage. 2003 TEDDLIE C.; TASHAKKORI, A. Common ''Core'' Characteristics of Mixed Methods Re

Downloads

Publicado

2014-04-26

Como Citar

SILVA JÚNIOR, R. D. da; D’ANTONA, Álvaro de O. Os métodos mistos e a interdisciplinaridade nas Ciências Sociais: pragmatismo ou pluralismo paradigmático?. Ideias, Campinas, SP, v. 4, p. 87–108, 2014. DOI: 10.20396/ideias.v4i0.8649414. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/ideias/article/view/8649414. Acesso em: 2 dez. 2021.