A construção do debate Sociológico no Brasil

Autores

  • Elide Rugai Bastos Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/ideias.v4i0.8649424

Palavras-chave:

Aula inaugural.

Resumo

Quando entre cientistas sociais nos referimos ao termo construção imediatamente inferimos que se trata de um processo que se estende ao longo de um tempo ou período e num defi nido espaço, mobilizando diferentes atores ou agentes. Mais ainda, entendemos que esse processo compreende diferentes dimensões e tratamos de mobilizar algumas delas, entre as quais destacamos a econômica, a social, a política e a cultural.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elide Rugai Bastos, Universidade Estadual de Campinas

Professora do departamento de Sociologia da Unicamp.

Referências

BASTOS. E.R e RÊGO. W.D.L. Intelectuais e política: a moralidade do compromisso. São Paulo: Olho Dágua, 1999.

BASTOS. E.R. “A Sociologia e a circulação de idéias”. In: Linhagens do pensamento político-social no Brasil, Projeto Temático, 1º relatório. São Paulo: FAPESP/CEDEC, 2009, pp. 300-314.

CANDIDO. A. Formação da literatura brasileira. 6ª Ed., Belo Horizonte: Itatiaia, 1981.

CHARTTERJEE. P. The Nations and its Fragments. Princeton: Princeton University Press, 1993.

COSTA PINTO. L.A. “Panorama geral”. In: COSTA PINTO. L.A e CARNEIRO. E. As Ciências Sociais no Brasil. Rio de Janeiro: CAPES, Série Estudos e Ensaios – 6 – 1955, pp.7-72.

COSTA PINTO. L.A. “Introdução”. In: Anais do Seminário Internacional Resistências às Mudanças - fatores que impedem ou dificultam o desenvolvimento. Rio de Janeiro: Centro Latino-Americano de Pesquisas em Ciências Sociais, 1960, publicação nº 10, pp. 5-11.

FERNANDES. F. Mudanças sociais no Brasil. São Paulo: Difusão Européia do Livro, 1974.

FERNANDES. F. A Sociologia no Brasil. Petrópolis: Vazes, 1977.

FERNANDES. F. A condição de sociólogo. São Paulo: Hucitec, 1978.

FERNANDES. F. A Sociologia numa era de revolução social. São Paulo: Nacional, 2ª ed., 1976. IANNI. O. Sociologia da Sociologia. 3ª ed. São Paulo: Ática, 1989.

FERNANDES. F. Sociologia da Sociologia latino-americana. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1971.

LIEDKE. E. F. “Sociologia brasileira: tendências institucionais e epistemológico-teóricas contemporâneas”. Sociologias, Porto Alegre, ano 5, nº 9, jan./jun. 2003, pp. 216-245.

LIPPI OLIVEIRA. L. “Diálogos intermitentes: relações entre Brasil e América Latina”. Sociologias, Porto Alegre, ano 7, nº 14, jul./ dez. 2005. Scielo.

MAIO, M. C,.VILLAS BÔAS, G. (orgs.). Idéias de modernidade e Sociologia no Brasil. Ensaios sobre Luiz de Aguiar Costa Pinto. Porto Alegre: Editora UFRGS, 1999.

NOBRE. M. “Luta por reconhecimento: Axel Honneth e a Teoria Crítica”. In: Axel HONNETH. Luta por reconhecimento. A gramática moral dos conflitos sociais. São Paulo: Editora 34, 2003, pp.7-19

PEREIRA. L. Ensaios de Sociologia do Desenvolvimento. São Paulo: Pioneira, 1970.

PEREIRA. L. Ensaios sobre o Brasil contemporâneo. São Paulo: Pioneira, 1971.

RODRIGUES DE BRITO. J. Cartas econômico-políticas sobre a agricultura e comércio da Bahia. [1807]. Série FIEB – Documentos Históricos. Salvador: FIEB, 2004.

SCHWARTZMAN. S. “Subdesenvolvimento, revolução e Ideologia”. Originalmente em Revista Latinoamericna de Sociologia. nº 1, 1967. (site schwar$ man)

VILLAS BOAS. G. Mudança Provocada. Passado e futuro no pensamento sociológico brasileiro. Rio de Janeiro, Editora FGV, 2006.

Downloads

Publicado

2014-04-26

Como Citar

BASTOS, E. R. A construção do debate Sociológico no Brasil. Ideias, Campinas, SP, v. 4, p. 287–300, 2014. DOI: 10.20396/ideias.v4i0.8649424. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/ideias/article/view/8649424. Acesso em: 2 dez. 2021.