O rural quilombola do rio baixo Itacuruçá-PA: aspectos da cultura, educação e ruralidade

Autores

  • Eliana Campos Pojo Universidade Federal do Pará

DOI:

https://doi.org/10.20396/ideias.v6i1.8649481

Palavras-chave:

Rio baixo Itacuruçá. Comunidade ribeirinha e quilombola. Diversidade cultural. Ruralidade.

Resumo

O artigo propõe caracterizar o 'rural' de uma comunidade ribeirinha e quilombola localizada no rio baixo Itacuruçá-Abaetetuba/PA. O estudo desenvolveu-se pautado nas discussões, nas leituras e nas incursões ao 'campo' por meio de pesquisa dentro da abordagem etnográfica, enfatizando o 'ser quilombola' nessa localidade, tomando como foco a ruralidade presente na comunidade, as condições socioculturais e a institucionalidade da Escola quilombola na interface com os estudos teóricos sobre o 'mundo rural' no Brasil. Mundo esse cercado por águas, florestas, marés, criação de animais domésticos, plantas, barcos, vidas indo e vindo na particular paisagem ribeirinha e quilombola.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eliana Campos Pojo, Universidade Federal do Pará

Graduada em Pedagogia (UNAMA-1998), Mestra em Educação (UMESP-2003). Docente da Faculdade de Educação e Ciências Sociais do Campus Universitário de Abaetetuba pela UFPA. 

Referências

ALMEIDA, M. W. B. de. O Estatuto da Terra e as Reservas Extrativistas. Reforma Agrária vol. 25, no 1, janeiro – abril. Revista da Associação Brasileira de Reforma Agrária,1995.

ALMEIDA, M. W. B. de. Quem são os povos da floresta? Cadernos SBPC 30. Povos da Floresta: Cobertura jornalística feita a partir de conferências e mesas-redondas apresentadas na 59 Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC). 2007.

ALMEIDA, M. W. B. de. Redescobrindo a família rural. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v.1, n. 1, p. 66-83, jun. 1986.

ARQUIA/Associação dos Remanescentes de Quilombos das Ilhas de Abaetetuba. Estatuto Social. Abaetetuba, 26 de abril de 2012.

BRANDÃO. C. R. A partilha da vida. Série Cultura, Educação e Ambiente no Vale da Paraíba, 1. São Paulo: Geic/Cabral editora, 1995.

BRANDÃO. C. R. Educação como cultura. Campinas: SP: Mercado das Letras, 2002.

CPT/MORIVA. Nova Cartografi a social da Amazônia: ribeirinhos e ribeirinhas de Abaetetuba e sua diversidade cultural. UEA: edições, 2009.

DIEGUES. C. Ilhas e Mares: simbolismo e imaginário. São Paulo: Hucitec, 1998.

FASE Amazônia. A Regularização fundiária na pauta dos movimentos sociais do Baixo Tocantins e o título de posse como estratégia dos movimentos sociais. Entrevista com Girolamo Treccani (Profº NAEA/UFPA). Série de Entrevistas sobre a Amazônia. Março de 2014.

FREIRE, P. F. A educação na cidade. 2ª ed. São Paulo: Cortez, 1995.

GUSMÃO, N. M. M. de. Antropologia e educação: Origens de um diálogo. Cadernos CEDES vol. 18, n. 43. Campinas, 1997.

GUSMÃO, N. M. M. de. Dossiê: Formação docente para a diversidade: dilemas, desafios e perspectivas no diálogo entre Antropologia e Educação. Pro-Posições v. 24, n. 2 (71) maio/ago, 2013. p. 17-25.

KAGEYAMA, A. A. Desenvolvimento rural: conceitos e aplicação ao caso brasileiro. Porto Alegre: UFRGS editora, 2008.

ROCHA, A. Os rios de Abaetetuba. 2012. Disponível em: . Acesso em 13 ago. 2014.

UFPA. Projeto de pesquisa Travessias, identidades e saberes das águas - cartografi as de saberes de populações ribeirinhas no Município de Abaetetuba-PA, 2012-2013. Profªs Eliana Pojo e Lina Glaúcia D. Elias (fi nalizado).

WANDERLEY, M. de N. B. Um saber necessário: os estudos rurais no Brasil. Campinas/São Paulo: Editora Unicamp, 2011

Downloads

Publicado

2015-10-28

Como Citar

POJO, E. C. O rural quilombola do rio baixo Itacuruçá-PA: aspectos da cultura, educação e ruralidade. Ideias, Campinas, SP, v. 6, n. 1, p. 143–164, 2015. DOI: 10.20396/ideias.v6i1.8649481. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/ideias/article/view/8649481. Acesso em: 20 out. 2021.