O papel da ONU na governança econômica global do pós-guerra

Autores

  • Patrícia Nogueira Rinaldi Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/ideias.v6i1.8649484

Palavras-chave:

ONU. Instituições de Bretton Woods. Terceiro Mundo. Liberalismo inserido.

Resumo

O artigo discute o papel da ONU na governança econômica global do pós-guerra, considerando o nexo institucional do liberalismo inserido, forjado pelo bloco histórico internacional transatlântico. Enquanto o mandato econômico da ONU foi relegado ao segundo plano devido à autonomia das Instituições de Bretton Woods, a organização tornou-se um espaço importante não apenas para as demandas Terceiro Mundo, mas de criação de uma nova ideologia que questionava o propósito social do liberalismo inserido.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Patrícia Nogueira Rinaldi, Universidade Estadual de Campinas

É graduada em Relações Internacionais pelas Faculdades de Campinas (2006); Mestre (2010) e Doutoranda em Ciência Política com ênfase em Economia Política Internacional pelo IFCH-UNICAMP. 

Referências

AGREEMENT between the United Nations and the International Monetary Fund. 15 nov. 1947. In: INTERNATIONAL MONETARY FUND. The International Monetary Fund 1945- 1975. Vol. III – Documents. Washington D.C., 1969. Disponível em: . Acesso em: 13 jul. 2014.

AMIN, S. Que futuro terão as Nações Unidas? In: Revista Política Externa, Vol. 14, no. 2, Set/Out/Nov, 2005, pp. 87-112.

BENVENISTI, E.; DOWNS, G. The Empire’s new clothes: Political Economy and the Fragmentation of International Law. Stanford Law Review, v 60, n 2, 2007, pp. 595-631.

GILL, S.; LAW, D. Hegemonia global e poder estrutural do capital. In: GILL, S. (Org.). Gramsci, materialismo histórico e relações internacionais. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2007, pp. 157-197.

GWIN, C. U.S. Relations with the World Bank, 1945-1992. In: KAPPUR, S. et al. (Orgs.). The World Bank – Its First Half Century. Washington: The Brookings Institution, 1997, pp. 195-274.

KINDLEBERGER, C. The world in depression (1929-1939). Califórnia: University of California Press, 1973.

KRASNER, S. Structural causes and regime consequences: regimes as intervening variables. In: KRASNER, S. (Org.). International Regimes. Ithaca: Cornell University Press, 1983.

LICHTENSZTEJN, S.; BAER, M. Fundo Monetário Internacional e Banco Mundial: estratégias e políticas do poder fi nanceiro. São Paulo: Brasiliense, 1987.

MURPHY, C. What the Third World Wants: An Interpretation of the Development and Meaning of the New International Economic Order Ideology. International Studies Quarterly, v. 27, n. 1, mar. 1983.

MURPHY, C. International Organization and Industrial Change: Global Governance since 1850. Cambridge: Polity Press, 1994.

PRASHAD, V. The darker nations: a people’s history of the Third World. Nova Iorque, Londres: The New Press, 2009.

ROSENTHAL, G. Economic and Social Council. In: WEISS, T. G.; DAWS, S. (Orgs.). The Oxford Handbook on the United Nations. Oxford: Oxford University Press, 2007, pp. 136-148.

RUGGIE, J. International regimes, transactions and change: embedded liberalism in the postwar economic order. In: KRASNER, S. D. (Org.). International Regimes. Ithaca e Londres: Cornell University Press, 1983, pp. 195-231.

SEITENFUS, R. Manual das Organizações Internacionais. 5ª Edição. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2012.

THORSTENSEN, V. Organização Mundial do Comércio: as regras do comércio internacional e a nova rodada de negociações multilaterais. São Paulo: Aduaneiras, 2003.

TOYE, J.; TOYE, R. The UN and Global Political Economy: Trade, Finance and Development. Indiana: Indiana University Press, 2004.

VELASCO E CRUZ, S. Comércio Internacional em um mundo partido: o regime do GATT e os países em desenvolvimento. Cadernos CEDEC, no. 77, ago. 2005.

Downloads

Publicado

2015-10-28

Como Citar

RINALDI, P. N. O papel da ONU na governança econômica global do pós-guerra. Ideias, Campinas, SP, v. 6, n. 1, p. 207–228, 2015. DOI: 10.20396/ideias.v6i1.8649484. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/ideias/article/view/8649484. Acesso em: 2 dez. 2021.