A captura e produção da sexualidade em tempos de flexibilização do capital neoliberal

  • Janaina de Souza Monteiro Universidade Federal do Ceará
  • Leonardo Lima Ribeiro Universidade Estadual do Ceará
Palavras-chave: Capital. Neoliberalismo. Sexualidade. Biopolítica. Biopoder.

Resumo

Partindo de premissas de Michel Foucault, conquanto nelas não se fixando, o presente trabalho explicita a sexualidade enquanto um instrumento biopolítico na atual configuração do modo de produção capitalista. É, ao mesmo tempo, mobilizado pela hipótese de que o capital neoliberal redimensiona de maneira significativa distintos campos da existência humana, tornando-os flexíveis, embora por vezes acoplados a determinados anacronismos. Neste contexto, a sexualidade é também redimensionada, anunciada ao fim do texto como expressão individual polimórfica, subsumida aos imperativos vigentes da economia política neoliberal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Janaina de Souza Monteiro, Universidade Federal do Ceará
Mestranda em Filosofi a pela Universidade Federal do Ceará (UFC) e bolsista CAPES.
Leonardo Lima Ribeiro, Universidade Estadual do Ceará
Mestre em Filosofia pela Universidade Estadual do Ceará (UECE).

Referências

AGAMBEN, G. Profanações. São Paulo: Boitempo Editorial, 2005.

AGAMBEN, G. Estado de exceção. São Paulo: Boitempo Editorial, 2004.

ARANTES, P. E. O novo tempo do mundo: e outros estudos sobre a era da emergência. São Paulo: Boitempo, 2014.

BATAILLE, G. [1957] O erotismo. Trad. Fernando Scheibe. Belo Horizonte: Autêntica, 2014.

BRAUDEL, F. [1979]. Civilização material economia e capitalismo – séculos XV-XVIII – Os jogos das trocas. Trad. Telma Costa. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

BUTLER, J. [2005]. Relatar a si mesmo: crítica da violência ética. Trad. Rogério Bettoni. Belo horizonte: Autêntica, 2015.

DARDOT, P.; LAVAL, C. [2010]. A nova razão do mundo: ensaios sobre a sociedade neoliberal. Trad. Mariana Echalar. São Paulo: Boitempo, 2016.

DEJOURS, C. [1998]. A banalização da injustiça social. Trad. Luis Alberto Monjardim. 7ª ed. Rio de Janeiro: FGV, 2015.

DUNKER, C. I. L. Mal-estar, sofrimento e sintoma: uma psicopatologia do Brasil entre muros. São Paulo: Boitempo, 2015.

DUNKER, C. I. L. O esgotamento da democracia liberal a 61%. Blog da Boitempo, São Paulo, 11 de abril de 2016. Disponível em: https://blogdaboitempo.com.br/2016/04/11/o-esgotamento-da-democracia-liberal-a-61/. Acesso: em 11 abr. 2016.

EDELMAN, B. A legalização da classe operária. São Paulo: Boitempo Editorial, 2016.

FOUCAULT, M. [1997] Em defesa da sociedade: Curso no Collège de France. Tradução: Maria Ermantina Galvão. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

FOUCAULT, M. [1976] História da sexualidade 1: A vontade de saber. Trad. Maria Thereza da Costa Albuquerque e J. A. Guilhon de Albuquerque. Rio de Janeiro: Graal, 1993.

FOUCAULT, M. [1980] L’impossible prison, recherches sur le système pénitentiaire au XIX siècle. Paris: Éd. du Seuil, 1980.

FOUCAULT, M. [1979] Microfísica do poder. São Paulo: Graal, 2008.

FOUCAULT, M. [2004] Nascimento da biopolítica: Curso no Collège de France. Trad. Eduardo Brandão. São Paulo: Martins Fontes: 2008.

FOUCAULT, M. [1975] Vigiar e punir: nascimento da prisão. Trad. Raquel Ramalhete. Petrópolis: Vozes, 2008.

GADELHA, S. Biopolítica, governamentalidade e educação: introdução e conexões, a partir de Michel Foucault. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.

GUATTARI, F. [1989] As três ecologias. Trad. Maria Cristina F. Bittencourt. Campinas: Papirus, 1990.

HOLSTON, J. Cidadania Insurgente: disjunções da democracia e da modernidade no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 2013.

KEHL, M. R. O tempo e o cão. São Paulo: Boitempo Editorial, 2009.

MACHADO, R. Introdução – Por uma genealogia do poder In: FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. São Paulo: Graal, 2008.

MORAES, E. R. Traços de Eros. In: BATAILLE, G. O erotismo. Belo Horizonte: Autêntica, 2014.

PELBART, P. P. [2003] A vida capital: Ensaios de Biopolítica. São Paulo: Iluminuras, 2009.

SAFATLE, V. Cinismo e falência da crítica. São Paulo: Boitempo Editorial, 2008.

SAFATLE, V. O circuito dos afetos: corpos políticos, desamparo e o fim do indivíduo. São Paulo: Cosac Naify, 2015.

VIANA, S. Rituais do sofrimento. São Paulo: Boitempo Editorial, 2013.

ŽIŽEK, S. [2008] Violência: seis reflexões laterais. Trad. Miguel Serras Pereira. São Paulo: Boitempo Editorial, 2014.

Publicado
2017-03-09
Como Citar
Monteiro, J. de S., & Ribeiro, L. L. (2017). A captura e produção da sexualidade em tempos de flexibilização do capital neoliberal. Idéias, 7(2), 175-204. https://doi.org/10.20396/ideias.v7i2.8649501