Meramente cultural

  • Judith Butler Universidade da Califórnia
  • Aléxia Bretas Universidade Federal do ABC
Palavras-chave: Judith Butler. Nancy Fraser. Falocentrismo. Heterossexualidade compulsória. Marxismo. Feminismo socialista.

Resumo

O texto “Meramente cultural”, de Judith Butler, é de grande valia para o debate da teoria crítica nos dias atuais. Originalmente apresentado como conferência no evento “Repensando o marxismo”, em dezembro de 1996, o artigo foi publicado pela primeira vez no ano seguinte pela Duke University Press, na revista acadêmica Social Text, despertando as mais diversas reações dentro e fora da chamada esquerda cultural. Nesse mesmo volume da Social Text, aparece também a réplica de Nancy Fraser às críticas feitas por Butler, intitulada “Heterossexismo, falso reconhecimento e capitalismo: uma resposta a Judith Butler” – cuja tradução, ainda inédita no Brasil, será publicada pela Revista Idéias na Parte II do dossiê Diálogos na Teoria Crítica. Grosso modo, o embate travado nesses dois ensaios magistrais pode ser tomado como um interessante ponto de partida, a fi m de potenciar a instigante e produtiva tensão estabelecida entre duas das mais expressivas, atuantes e prolíferas autoras progressistas da atualidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Judith Butler, Universidade da Califórnia
filósofa pós-estruturalista estadunidense, uma das principais teóricas da questão contemporânea do feminismo, teoria queer, filosofia política e ética. Ela é professora do departamento de retórica e literatura comparada da Universidade da Califórnia.
Aléxia Bretas, Universidade Federal do ABC
É professora adjunta da Universidade Federal do ABC, com doutorado em Filosofia pela USP (2010) e pós-doutorado em Teoria Literária pela UNICAMP (2014). Com ênfase na Filosofia Contemporânea, atua principalmente nas áreas de Estética e Filosofia da Arte, Teoria Crítica, Walter Benjamin, Estudos de Gênero, Sexualidade e Queer. É autora dos livros A Constelação do Sonho em Walter Benjamin (Humanitas / Fapesp, 2008), Do Romance de Artista à Permanência da Arte (Annablume / Fapesp, 2013) e Fantasmagorias da Modernidade (Ed. UNIFESP, 2017). É membro da Rede de Pesquisa Nacional e Interinstitucional "Nexos: Teoria Critica e Pesquisa Interdisciplinar". 

Referências

BUTLER, J. Merely Cultural. Social Text, vol. 15, n. 3-4, p. 265-277, 1997. Agradecemos à Duke University Press pela permissão de publicar a tradução deste ensaio.

Publicado
2017-03-09
Como Citar
Butler, J., & Bretas, A. (2017). Meramente cultural. Idéias, 7(2), 227-248. Recuperado de https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/ideias/article/view/8649503