Janela de oportunidade mediada: das mudanças no ânimo das demonstrações de rua ao ativismo on-line

Autores

  • Larissa Galdino de Magalhães Santos Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/ideias.v9i1.8652789

Palavras-chave:

Movimentos sociais. Oportunidades políticas. Confronto. Discurso. Ativismo online. Mediação.

Resumo

O artigo propõe reflexões sobre as estruturas, oportunidades políticas e novas formas de ativismo, manifestas com do Ciclo de Confrontos iniciado nas Jornadas de Junho em 2013. As ações do Movimento Passe Livre perante o aumento da passagem do transporte público na cidade de São Paulo, desencadearam forte repressão da Polícia Militar sobre os manifestantes nas ruas e nas redes. Uma nova dinâmica ativista e de interação entre diversos atores nas redes sociais surge como oportunidade política mediada. O artigo analisa a atuação do governo municipal e Estadual de São Paulo e subsequentes eventos, como janela de oportunidade de mediação reforçada pela nova performance dos atores, manifestantes e autoridades, sendo a internet palco de construção e disputa de discursos e ativismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Larissa Galdino de Magalhães Santos, Universidade Estadual de Campinas

Doutora em Ciência Política pela UNICAMP.

Referências

ANTOUN, Henrique; MALINI, Fabio. Ontologia da Liberdade na Rede: as multi-mídias e os dilemas da narrativa coletiva dos acontecimentos. In: XIX COMPÓS - 19 Encontro Anual da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação, 2010, Rio de Janeiro. XIX COMPÓS, PUC-RIO 2010, Anais do XIX Encontro Anual da COMPÓS. Rio de Janeiro: COMPÓS e PUC-RIO, 2010. v. 1. p. 1-14.

ARAÚJO, W., F.; FREITAS, E., C.; MONTARDO, S., P. Ciberativismo como cultura de mobilização imanente à internet. In: PUHL, Paula Regina; SARAIVA, Juracy Assmann. (Org.). Processos culturais e suas manifestações. 1 ed. Novo Hamburgo: Feevale, 2012, v. 1, p. 163-190.

BENFORD, R.; SNOW, D. Framing Processes and Social Movements: An Overview and Assessment. Annual Review of Sociology, 26: 611-39. 2000.

BENKLER, Y. The wealth of the networks: how social production transforms markets and freedom. Londres: Yale University Press, 2006.

BENNETT, L., W.; BREUNIG, C.; GIVENS, T. Communication and Political Mobilization: Digital Media Use and Protest Organization among Anti-Iraq War Demonstrators in the U.S’. Political Communication, 25(3): 269-89. 2008.

BRINGEL, B.; MUÑOZ, E., Et. Dez anos de Seattle, o movimento antiglobalização e a ação coletiva transnacional. Ciências Sociais Unisinos, 2010, p. 28-36.

CAMMAERTS, B. Lógicas de protesto e a estrutura de oportunidade de mediação. Matrizes, São Paulo, ano 7, n.2, p. 13-36, 2013.

CARROLL, W., K.; HACKETT; R., A. Democratic media activism through the lens of social movement theory. Media, Culture & Society. 2006, p. 83-104.

CASTELLS, M. Redes de indignação e esperança: Movimentos sociais na era da internet. Rio de Janeiro: Zahar, 2013.

CASTELLS, M. A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra,1999.

DAHLBERG, L. Re-constructing digital democracy: An outline of four positions. New Media & Society, V. 13, N. 6, p. 855–872, 2011.

DELLA PORTA, D.; DIANI, M. Social Movements: an introduction. Oxford: Blackwell, 2006.

DOWNING, J. Social Movement Theories and Alternative Media: an Evaluation and Critique. Communication, Culture & Critique, 2008, p. 40-50.

GAMSON, W.; WOLFSFELD, G. Movements and Media as Interacting Systems. Annals of the American Academy of Political and Social Science, 526: 114–27. 1993.

GOHN, M., G., M. Movimentos sociais e redes de mobilização civis no Brasil contemporâneo. Petrópolis: Ed.Vozes, 2010.

GOHN, M., G., M. Novas teorias dos movimentos sociais: paradigmas clássicos e contemporâneos. São Paulo: Edições Loyola, 2004.

LASÉN, A.; ALBÉNIZ, I., M. Movimientos, “mobidas” y móviles, um análisis de las masas mediatizadas. In: SÁDABA, Igor; GORDO, Ángel (Orgs). Cultura digital y movimientos sociales. Madrid: Catarata, 2008.

LEMOS, A.; JOSGRILBERG, F. Comunicação e Mobilidade. Aspectos Socioculturais das Tecnologias Móveis no Brasil. Salvador, Edufba, 2009.

LÉVY, P. As tecnologias da Inteligência: O futuro do pensamento na era da informática. São Paulo, editora 34, 1993.

MALINI, F. Monitoramento, vazamentos e anonimato nas revoluções democráticas das redes sociais da internet. Revista Fronteiras (Online), v. 14(2), p. 68-76, 2012.

McCONNELL, BOOZ; ALLEN; HAMILTON. The road to cyber power – Seizing opportunity while managing risk in the Digital Age, 2010.

LIEVROUW. L., A. Alternative and activist new media. Polity Press, 2011.

McADAM, D.; TARROW, S.; TILLY, C. Para mapear o confronto político. Lua Nova, n° 76, pp. 11-48, 2009.

MELUCCI, A. Challenging Codes: Collective Action in the Information Age. New York: Cambridge University Press, 1996.

SILVEIRA, S. A. Ciberativismo, cultura hacker e o individualismo colaborativo. Revista USP, São Paulo, v. v.1, p. 28-39, 2010.

TARROW, S. O poder em movimento: movimentos sociais e confronto político. Petrópolis: Editora Vozes, 2009.

TARROW, S. Power in Movement. Social movements and contentious politics. Cambridge: Cambridge Univ. Press. 1998.

TATAGIBA, Luciana. 1984, 1992 e 2013. Sobre ciclos de protestos e democracia no Brasil. Revista Política & Sociedade. UFSC, 2015.

UGARTE, D. O poder das redes. Manual ilustrado para pessoas, organizações e empresas chamadas a praticar o ciberativismo. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2008. 116 p.

Downloads

Publicado

2018-06-25

Como Citar

Santos, L. G. de M. (2018). Janela de oportunidade mediada: das mudanças no ânimo das demonstrações de rua ao ativismo on-line. Ideias, 9(1), 77–100. https://doi.org/10.20396/ideias.v9i1.8652789