O papel dos BRICS nas relações diplomáticas entre Brasil e China

Palavras-chave: Brasil, China, Relações diplomáticas, BRICS.

Resumo

Em 1974 China e Brasil iniciaram a construção de um diálogo que consolidou, desde então, importante parceria para os dois países, sobretudo nas áreas de comércio, infraestrutura, finanças, tecnologia, energia e alimentação. Tal conexão se tornou mais próxima após a inclusão do Brasil como membro dos BRICS, entidade formada por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. Mas, seria possível afirmar que as relações se intensificaram a partir desta inclusão? Diante da questão, o objetivo do trabalho apresentado é identificar de que maneira a criação dos BRICS influenciou no relacionamento entre China e Brasil, por meio da realização de uma pesquisa teórica e exploratória. Dadas as constatações geradas, entende-se que essas trocas diplomáticas entre os dois Estados se intensificaram devido a interação no bloco dos BRICS, contudo, alguns sinais de alerta são percebidos, dada a possível dependência do Brasil aos rumos políticos e econômicos chineses.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elisiane Dondé Dal Molin, Universidade do Vale do Itajaí

Professora da Universidade do Vale do Itajaí (Santa Catarina) curso de Relações Internacionais.

Yasmin Lenz Piccoli Castelli, Universidade do Vale do Itajaí

Graduanda do 7° período de Relações Internacionais da Universidade do Vale do Itajaí.

Emanuelle de Nadal Luz, Universidade do Vale do Itajaí

Graduanda do 7° período de Relações Internacionais da Universidade do Vale do Itajaí.

Referências

BARBIERI JUNIOR, W. Uma análise do processo de constituição do Estado nacional como eixo de ascensão chinesa no capitalismo internacional. 2015. 214 f. Tese (Doutorado) – Universidade de São Paulo, 2015. Disponível em: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/3681. Acesso em: 16 fev. 2018.

BECARD, D. S. R. O que esperar das relações Brasil-China? Revista de Sociologia e Política. Curitiba, v. 19, n. 1, p.31-44, nov. 2011. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-44782011000400004. Acesso em: 10 jun. 2018.

BECARD, D. S. R. O Brasil e a república popular da China: política externa comparada e relações bilaterais (1974-2004). Brasília: FUNAG, 2008. Disponível em: http://funag.gov.br/loja/index.php?route=product/product&product_id=468. Acesso em: 07 jun. 2018.

BIATO, O. A parceria estratégica sino-brasileira: origens, evolução e perspectivas (1993-2006). Brasília: FUNAG, 2010. Disponível em: http://funag.gov.br/biblioteca/download/899-A_Parceria_Estrategica_Sino-Brasileira.pdf. Acesso em: 13 mai. 2019.

BRASIL. Ministério das Relações Exteriores. República Popular da China. Disponível em: http://www.itamaraty.gov.br/pt-BR/ficha-pais/4926-republica-popular-da-china. Acesso em: 16 junho 2018.

BRASIL. Ministério das Relações Exteriores. BRICS – Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. Disponível em: http://www.itamaraty.gov.br/pt-BR/politica-externa/mecanismos-inter-regionais/3672-brics. Acesso em: 30 jun. 2019.

BRENER, J. Trinta anos de não-alinhados. Lua Nova, v. 3, n. 3, São Paulo, 1987. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-64451987000100016. Acesso em: 20 abr. 2018.

DICK, P. P. A parceria estratégica entre Brasil e China: a contribuição da política externa brasileira (1995-2005). 2006, 214 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2006. Disponível em: http://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/8089/000567388.pdf?sequence=1. Acesso em: 16 jun. 2018.

GARAY VARGAS, J. L. Cuestionando consensos: algunos apuntes frente al —¿eventual?— ascenso de los BRICS como poderes globales. Desafíos, [s.l.], v. 30, n. 2, p. 237-278, jun. 2018. Disponível em: https://revistas.urosario.edu.co/index.php/desafios/article/view/5578/5684. Acesso em: 11 mai. 2019.

GONÇALVES, W. da S.; MIYAMOTO, S. Os militares na política externa brasileira: 1964-1984. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 6, n. 12, p. 211-246, 1993.

HOSBAWM, E. Era dos Extremos: o breve século XX (1914-1991). São Paulo: Companhia das Letras, 1994.

HOLANDA, F. M. B. 40 anos das Relações Brasil-China: de onde viemos, onde estamos, para onde vamos. In: LIMA, S. E. M. Brasil e China: 40 anos de relações diplomáticas. Brasília: FUNAG, 2016, p.35-56.

KAHN, M. A cooperação dos BRICS na ciência, tecnologia e inovação: retórica e realidades. Contexto Internacional, Rio de Janeiro, v. 37, n. 1, p. 185-213, abr. 2015. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-85292015000100185&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 27 jun. 2018.

LIMA, J. A. G. Perspectivas das Relações Sino-Brasileiras após a visita do presidente Xi Jinping. In: LIMA, S. E. M. Brasil e China: 40 anos de relações diplomáticas. Brasília: FUNAG, 2016, p.21-34.

LIMA, M. R. S. de. A política externa brasileira e os desafios da cooperação Sul-Sul. Revista Brasileira de Política Internacional, Brasília, v. 48, n. 1, p. 24-59, jan./jun. 2005, pp.24-59. Instituto Brasileiro de Relações Internacionais. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbpi/v48n1/v48n1a02.pdf. Acesso em: 7 jun. 2018.

LIMA, S. E. M. Prefácio. In: LIMA, S. E. M. Brasil e China: 40 anos de relações diplomáticas. Brasília: FUNAG, 2016a, p.13-20.

LIMA, S. E. M. Anexo A: Ata Final da Segunda Sessão Plenária da Comissão Sino-Brasileira de Alto Nível de Concertação e Cooperação (COSBAN). In: LIMA, S. E. M. Brasil e China: 40 anos de relações diplomáticas. Brasília: FUNAG, 2016b, p.185-214.

NIU, H. A grande estratégia Chinesa e os BRICS. Contexto Internacional. Rio de Janeiro, v. 35, n. 1, p. 197-229, jun. 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-85292013000100007&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 27 jun. 2018.

OLIVEIRA, H. A. de. Brasil-China: trinta anos de uma parceria estratégica. Revista Brasileira de Política Internacional, [s.l.], v. 47, n. 1, p. 7-30, 2004. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-73292004000100002#nt24. Acesso em: 16 junho 2018.

RICUPERO, R. A diplomacia na construção do Brasil (1750-2016). Rio de Janeiro: Versal Editores, 2017.

SARAIVA, M. G. As estratégias de cooperação Sul-Sul nos marcos da política externa brasileira de 1993 a 2007. Revista de Política Internacional, v. 2, n. 50, p. 42-59, 2007. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbpi/v50n2/a04v50n2.pdf. Acesso em: 11 jun. 2018.

SENADO FEDERAL. República Popular da China. Disponível em: https://legis.senado.leg.br/sdleg-getter/documento?dm=7733829&disposition=inline. Acesso em: 19 junho 2018.

SILVA, A. V. C. A política externa do governo Michel Temer (2016-2018): mudanças para a legitimidade? Um teste da teoria de Charles Hermann. Conjuntura Austral, Porto Alegre, v. 10, p. 23-41, 2019. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/ConjunturaAustral/article/view/86954. Acesso em: 17 maio 2019.

STUENKEL, O. BRICS e o futuro da ordem global. Rio de Janeiro; São Paulo: Paz e Terra, 2017.

TEMER, Michel. O Brasil no mundo: abertura e responsabilidade. Brasília: Fundação Alexandre de Gusmão, 2018.

VALENTE, Leonardo; ALBUQUERQUE, Marianna. Da discrição ao ativismo: o novo papel da China no conselho de segurança da ONU. Revista Contexto Internacional. São Paulo, v.37, n. 2. p. 693-726, mai. 2015.

VÉRAS, D. B. República Federativa do Brasil e República Popular da China: 41 anos de relações diplomáticas. 27 nov. 2015. Disponível em: http://politica-china.org/areas/politica-exterior/republica-federativa-do-brasil-e-republica-popular-da-china-41-anos-de-relacoes-diplomaticas. Acesso em: 18 jun. 2018.

VIGEGANI, T.; OLIVEIRA, M.; CINTRA, R. Política externa no período FHC: a busca de autonomia pela integração. Tempo Social, v. 15, n. 2, p. 31-61, 2003. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-20702003000200003. Acesso em: 14 mai. 2019.

VIZENTINI, P. F. De FHC a Lula: uma década de política externa (1995-2005). Civitas, v. 5, n. 2, p.381-397, 2005. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/civitas/article/view/9. Acesso em: 17 mai. 2019.

Publicado
2019-08-12
Como Citar
Molin, E. D. D., Castelli, Y. L. P., & Luz, E. de N. (2019). O papel dos BRICS nas relações diplomáticas entre Brasil e China. Ideias, 10, e019007. https://doi.org/10.20396/ideias.v10i0.8656201
Seção
Dossiê: Relações Brasil-China