Da Síria ao Brasil

dimensões culturais de mulheres imigrantes nas percepções do cuidado e assistência à gestação, parto e pós-parto

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/ideias.v12i00.8658527

Palavras-chave:

Mulher, Migração internacional, Saúde

Resumo

Na atualidade, vários países têm sentido os efeitos do aumento dos fluxos migratórios e das novas configurações da mobilidade humana. O Brasil tem recebido imigrantes oriundos de vários países, com destaque nos últimos anos para os que buscam refúgio, como é o caso dos sírios. A atenção à saúde está entre as muitas demandas dirigidas para o país que os acolhe. As mulheres buscam os serviços de saúde principalmente em busca de atenção obstétrica. Foi realizado estudo qualitativo com o objetivo de compreender os aspectos culturais da gestação, parto e pósparto na perspectiva das mulheres imigrantes sírias. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas com nove imigrantes sírias, refugiadas ou não. A análise dos dados foi realizada por meio da construção de linhas narrativas e Mapas Dialógicos. Resultados: os relatos indicam que a religião tem influência nas escolhas obstétricas e que a rede familiar é importante no pós-parto; a assistência obstétrica recebida no Brasil foi avaliada pelas mulheres como satisfatória, ainda que alguns relatos sugerissem violência obstétrica; o desconhecimento cultural na assistência e a comunicação foram apontados como um dos principais desafios enfrentados pelas entrevistadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Samanta Ribeiro Oliveira da Silva, Universidade de São Paulo

Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Mudança Social e Participação Política da Escola de Artes, Ciências e Humanidades.

Isabella Fontes Monteiro, Universidade de São Paulo

Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Mudança Social e Participação Política da Escola de Artes, Ciências e Humanidades.

Claudia Medeiros de Castro, Universidade de São Paulo

Docente do Programa de Pós-Graduação em Mudança Social e Participação
Política da Escola de Artes, Ciências e Humanidades.

Referências

AGUIAR, Breno Souza de; NEVES, Hello; LIRA, Margarida Maria Tenório de Azevedo. Alguns aspectos da saúde de imigrantes e refugiados recentes no município de São Paulo. Boletim CEInfo Análise. Ano 10, n. 13, dez. 2015. 49 p. Disponível em: <https://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/upload/saude/arquivos/publicacoes/Boletim_CEInfo_Analise_13.pdf>. Acesso em: 18 jan. 2018.

AHMED, Asma; BOWEN, Angela; FENG, Cindy Xin. Maternal depression in Syrian refugee women recently moved to Canada: a preliminary study. BMC Pregnancy and Childbirth, s. l., v. 17, 2017. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/28738869>. Acesso em: 15 jun. 2019.

ALENCAR-RODRIGUES, Roberta de; STREY, Marlene Neves; ESPINOSA, Leonor Cantera. Marcas do Gênero nas migrações internacionais das mulheres. Psicologia & Sociedade, v. 21, p. 421-430, 2009.

AMNESTY INTERNATIONAL. Syria’s refugeecrisis in numbers. 2016. Disponível em: <https://www.amnesty.org/en/latest/news/2016/02/syrias-refugee-crisis-in-numbers/. Acesso em: 25 fev. 2020.

BASHOUR, Hyam. Syrian Women’s Preferences for Birth Attendant and Birth Place. U.S. National Library of Medicine. National Institutes of Health. s.l., v. 32, 2006. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC1457105/>. Acesso em: 14 jul. 2019.

BELLI, Laura Florencia. La violência obstétrica: otra forma de violación a los derechos humanos. Revista red Bioética. v. 1, n. 7, p. 25-34, 2013.

BERTOLOZZI, Maria Rita; NICHIATA, Lucia Yasuko Izumi; CIOSAK, Suely Itsuko; HINO, Paula; VAL, Luciane Ferreira do; PEREIRA, Erica Gomes; GUANILLO, Mônica Cecília de La Torre Uguarte. Os conceitos de vulnerabilidade e adesão na Saúde Coletiva. Revista Escola de Enfermagem da USP, v. 43, n. 2, p. 1326-30, 2009.

BRAGG, Rosalind. Maternal deaths and vulnerable migrants. Lancet, v. 371, p. 879-81, 2008.

BRASIL. Lei nº 11.108, de 7 de abril de 2005. Altera a Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990, para garantir às parturientes o direito à presença de acompanhante durante o trabalho de parto, parto e pós-parto imediato, no âmbito do Sistema Único de Saúde - SUS. Brasília, Distrito Federal: 2005. Disponível em: <https://www.normasbrasil.com.br/norma/?id=86025>. Acesso em: 15 mai. 2019.

BRASIL. Lei nº 13.445, de 24 de maio de 2017. Institui a Lei de Migração. Brasília, Distrito Federal: 2017. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2017/lei/L13445.htm>. Acesso em: 10 mai. 2018.

BRASIL. Ministério da Justiça e Segurança Pública. Secretaria Nacional de Justiça. Comitê Nacional para os Refugiados (CONARE). Refúgio em números. s.l.: CONARE, 2018. Disponível em: <https://www.acnur.org/portugues/wp-content/uploads/2019/07/Refugio-em-nu%CC%81meros_versa%CC%83o-23-de-julho-002.pdf>. Acesso em: 26 set. 2018.

BRASIL. Ministério da Justiça e Segurança Pública. Secretaria Nacional de Justiça. Comitê Nacional para os Refugiados (CONARE). Caminhos do refúgio. Número de concessões de refúgio no Brasil. 2015. Disponível em: <http://caminhosdorefugio.com.br/tag/comite-nacional-para-os-refugiados/>. Acesso em: 14 abr. 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Programa de Humanização do Prénatal e Nascimento (PHPN). Brasília: Ministério da Saúde, 2002.

BRASIL. Ministério da Saúde. Rede Cegonha. Manual prático para implementação da rede cegonha. Brasília: Ministério da Saúde, 2011.

BRASIL. Ministério da Saúde. Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Brasília, DF. 2012. Disponível em: <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/cns/2013/res0466_12_12_2012.html>. Acesso em: 25 dez. 2017.

CABRUJA, Teresa; INIGUEZ, Lupicinio; VASQUEZ, Félix. Cómo construímos El mundo: relativismo, espacios de relación y narratividad. Anàlisi, v. 25, p. 61-94, 2000.

CARNEIRO JÚNIOR, Nivaldo; OLIVEIRA, Rute Loreto Sampaio de; JESUS, Christiane Herold de; LUPPI, Carla Gianna. Migração, exclusão social e serviços de saúde: o caso da população boliviana no centro da cidade de São Paulo. BIS – Boletim Instituto de Saúde, São Paulo, v. 13, n. 2, p. 177-181, 2011.

CARVALHO, Laetitia Cristina Varejão. Os efeitos da manobra de Kristeller no segundo período de trabalho de parto. Porto, 2014. Dissertação (Mestrado em Enfermagem de Saúde Materna e Obstetrícia). Escola Superior de Enfermagem do Porto. 92 p.

CASTRO, Claudia Medeiros de. Desafios para o cuidado na atenção ao parto das mulheres imigrantes. In: CONARE, 2018. Disponível em: <https://www.acnur.org/portugues/wp-content/uploads/2019/07/Refugio-em-nu%CC%81meros_versa%CC%83o-23-de-julho-002.pdf>. Acesso em: 26 set. 2018.

CONSONI, Rafael Maciel. Os estados frágeis e os movimentos migratórios: a guerra civil na Síria. Trabalho de conclusão de curso de graduação em Relações Internacionais. Florianópolis, 2017.

DINIZ, Carmen Simone Grilo; NIY, Denise Yoshie; ANDREZZO, Halana Faria de Aguiar; CARVALHO, Priscila Cavalcanti Albuquerque; SALGADO, Heloisa de Oliveira. A vagina-escola: seminário interdisciplinar sobre violência contra a mulher no ensino das profissões de saúde. Interface. Com e Saúde. v. 20, n.5, p. 253-259, 2016.

DOWNE, Soo; GYTE, Gill; DAHLEN, Hannah; SINGATA, Mandisa. Routine vaginal examinations for assessing progress of labour to improve outcomes for women and babies at term. Cochrane Database of Systematic Reviews. 2013, Issue 7. Art. No.: CD010088. DOI: 10.1002/14651858.CD010088.pub2.

GEERTZ, Clifford. O impacto do conceito de cultura sobre o conceito do homem. In: GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: Editora Guanabara, 1989.

GUALDA, Dulce Maria Rosa; HOGA, Luiza Akiko Komura. Estudo sobre Teoria Transcultural de Leininger. Revista da Escola de Enfermagem da USP. São Paulo, v. 26, n. 1, p. 75-76, mar. 1992. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v26n1/0080-6234-reeusp-26-1-075.pdf>. Acesso em: 19 mai. 2019.

HAJJAR, Babel. Para ler a guerra na Síria: a construção do consenso na cobertura da mídia global. 2016. 159 f. Dissertação (mestrado em ciências), Programa de Pós-Graduação em Mudança Social e Participação Política. Escola de Artes, Ciências e Humanidades, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016.

HOPPE, Marilyn J.; LAURIE GRAHAM, M. S. W.; WILSDON, M. S. Anthony; WELLS, Elizabeth A.; NAHOM, Deborah; MORRISON, Diane. Teens speak out about HIV/AIDS: Focus group discussion sabour trisk and decision-making. Journal of Adolescent Health, v. 35, n. 4, p. 345-346, 2004.

JOLLY, Susie; BRIDGE, Hazel Reeves. Gender and Migration: Overview Report. Brighton: Institute of Development Studies, 2005.

JORDAN, Brigitte. Birth in four cultures. A crosscultural investigation of childbirth in Yucatan, Holland, Sweden, and the United States. 4ª ed. Illinois. Waveland, 1993.

KURAMOTO, Cintia. Assistência ao parto de mulheres imigrantes: a vivência do enfermeiro obstetra/obstetriz. Ribeirão Preto. 2016. 96 p. Dissertação (Mestrado em Enfermagem e Saúde pública), Escola de enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo.

LIMA, Kayte Chaves Oliveira de. Assistência de saúde às mulheres muçulmanas no Brasil: Uma análise da relação entre o sistema religioso islâmico e a política nacional de atenção integral a saúde da mulher. 2016. Dissertação (Ciência da Religião), Universidade Metodista de São Paulo, São Bernardo do Campo.

LOUREIRO, Gabriela. Como vivem os refugiados no Brasil. Exame [Online], 2014. Disponível em: <https://www.huffpostbrasil.com/2014/02/23/como-vivem-os-refugiados-sirios-no-brasil_a_21666096/>. Acesso em: 14 mai. 2018.

MARINUCCI, Roberto. Feminização das migrações? Revista Interdisciplinar de Mobilidade Humana, Brasília, v. 15 n. 29, 2007.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. Metodologia de Pesquisa. Um tema, um objeto, ou um problema de investigação. Petrópolis: Vozes, 2007.

MONTEIRO, Isabella Fontes. Ações educativas no pré-natal de mulheres imigrantes. 2019. Dissertação (Mestrado em Ciências) - Escola de Artes, Ciências e Humanidades, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2019. 112 p.

MORAES, Renata Cabrera de; BLUME, Bruno André. O Brasil e a crise dos refugiados. Politize [Online]. 2016. Disponível em: <https://www.politize.com.br/o-brasil-e-a-crise-de-refugiados/>. Acesso em: 15 mai. 2018.

NAÇÕES UNIDAS BRASIL. ACNUR pede por mais reassentamento depois da morte de 160 pessoas no Mediterrâneo. Nações Unidas Brasil [Online]. 2017. Disponível em: <https://www.acnur.org/portugues/2018/01/12/acnur-pede-por-mais-reassentamentos-arefugiados-depois-da-morte-de-160-pessoas-no-mediterraneo/>. Acesso em: 2 mar. 2018.

OLIVEIRA, Gilvan Muller de; SILVA, Julia Izabelle da. Quando barreiras linguísticas geram violação de direitos humanos: que políticas linguísticas o Estado brasileiro tem adotado para garantir o acesso dos imigrantes a serviços públicos? Gragoatá, Niterói, v. 22, n. 42, p. 131-153, 2017.

POTTER, Jonathan; WETHEREL, Margaret. Discourse and social psychology: beyond attitudes and be haviourd. London. Publication 1987.

REDE DE HUMANIZAÇÃO DO PARTO E NASCIMENTO (ReHuNa). Quem somos. ReHuNa [Online], 1993. Disponível em: <http://www.rehuna.org.br/index.php/quem-somos>. Acesso em: 20 ago. 2018.

SIDUMO, Eugenia Motlalepule. An investigation into the Saudi Arabian cultural Knowledge among non-muslim nurses working in the obstetric units. 2007. 107 f. Dissertação (Mestrado em ciências da saúde), The Universityof South Africa, Africa do sul.

SIDUMO, Eugenia Motlalepule; EHLERS, Valerie Janet; HATTINGH, Susan P. Cultural knowledged of non-Muslimnurses working in Saudi Arabian obstetric units. Curationis, 2010.

SORMATI, Mary; PEREIRA, Leslie; EL-BASSEL, Nabila; WITTE, Susan; GILBERT, Louisa. The role of community consultants in designan HIV prevention intervention. AIDS Education and Prevention, v. 13, p. 311-328, 2001.

SPINK, Mary Jane. Linguagem e produção de sentidos no cotidiano. Edição Online. Rio de Janeiro: Centro Edelstein de Pesquisas Sociais, 2010. Disponível em: <https://static.scielo.org/scielobooks/w9q43/pdf/spink-9788579820465.pdf>. Acesso em 18 jan. 2018.

STEFFENS, Isadora; MARTINS, Jameson. “Falta um Jorge”: A saúde na política municipal para migrantes de São Paulo (SP). Lua Nova: Revista de Cultura e Política, São Paulo, n. 98, p. 275–299, ago. 2016. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/ln/n98/1807-0175-ln-98-00275.pdf>. Acesso em: 14 dez. 2018.

TONINI, Sandra Cristina Correia Loureiro. Saúde da população síria: Percepções dos profissionais da Atenção Primária a Saúde da Supervisão Técnica de Saúde da Mooca no Município de São Paulo. 2018. 98 p. Mestrado (Programa de Mestrado Profissional em Saúde Coletiva). Coordenadoria de Recursos Humanos da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo. 2018.

UNITED NATIONS. Centro Regional de Informação para a Europa Ocidental (UNRIC). Número de imigrantes continua a aumentar. Bruxelas: United Nations, 2019. Disponível em: . Acesso em: 29 jun. 2019.

UNITED NATIONS. United Nations Population Fund (UNFPA). State of world population 2006: A passage to hope - Women and International Migration. New York: United Nations, 2006. Disponível em: <https://www.unfpa.org/sites/default/files/pubpdf/sowp06-en.pdf>. Acesso em: 10 jun. 2017.

VACCOTTI, Luciana. (Cord.) Migrações regionais na cidade de São Paulo. Buenos Aires: Instituto de Políticas Públicas em Direitos Humanos (IPPDH) do MERCOSUL, 2017. 166 p. Disponível em: <http://www.ippdh.mercosur.int/wp-content/uploads/2017/01/Migrantes-regionales-en-San-Pablo_PT-1.pdf>. Acesso em: 15 abr. 2019.

VENTURI, Gustavo; BOKANY, Vilma; DIAS, Rita. Mulheres brasileiras e gênero nos espaços público e privado. São Pulo: Fundação Perseu Abramo/Sesc, 2010. Disponível em: https://fpabramo.org.br/sites/default/files/pesquisaintegra.pdf>. Acesso em: 14 jul. 2018.

WORLD HEALTH ORGANIZATION (WHO). Maternal Mortality in 2005: Estimates developed by WHO, UNICEF, UNFPA, and the World Bank. Geneva: World Health Organization, 2007. Disponível em: <https://www.who.int/whosis/mme_2005.pdf>. Acesso em: 27 fev. 2018.

WORLD HEALTH ORGANIZATION (WHO). WHO recommendations: intrapartum care for a positive childbirth experience. Genebra: WHO, 2018.

Downloads

Publicado

2021-03-01

Como Citar

Silva, S. R. O. da, Monteiro, I. F., & Castro, C. M. de. (2021). Da Síria ao Brasil: dimensões culturais de mulheres imigrantes nas percepções do cuidado e assistência à gestação, parto e pós-parto. Ideias, 12(00), e021004. https://doi.org/10.20396/ideias.v12i00.8658527