A contribuição de Daniel Hogan para os estudos dos desastres

Autores

  • Thiago Fernando Bonatti Universidade Estadual de Campinas
  • Tathiane Mayumi Anazawa Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais

DOI:

https://doi.org/10.20396/ideias.v12i00.8665106

Palavras-chave:

Desastres, População e Ambiente, Demografia

Resumo

Os desastres são fenômenos sociais e seus elementos de análise precisam identificar não só suas consequências, mas também os processos históricos que fomentam sua origem. Nesse sentido, busca-se discutir o que Daniel Hogan traz para este debate, a partir de elementos relacionados às populações em situação de risco, tais como suas diferentes condições de vulnerabilidade, os aspectos demográficos, a distribuição espacial e a percepção dos riscos e perigos. O presente trabalho tem como objetivo analisar a contribuição de Hogan para a abordagem dos desastres, pela perspectiva dos estudos de População e Ambiente. Estão aqui apresentadas as discussões iniciais propostas por Daniel Hogan, os diálogos estabelecidos com outras disciplinas e três exemplos de operacionalização dos estudos sobre desastres envolvendo outros elementos de análise.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thiago Fernando Bonatti, Universidade Estadual de Campinas

Mestre e doutorando em Demografia. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH-UNICAMP).

Tathiane Mayumi Anazawa, Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais

Doutora em Demografia. Pós-doutoranda no Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).

Referências

ANAZAWA, Tathiane Mayumi. A grave escassez hídrica e as dimensões de um desastre socialmente construído: a Região Metropolitana de Campinas entre 2013-2015. 2017. 369 p. Tese (doutorado em Demografia) - Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, São Paulo, 2017.

ANAZAWA, Tathiane Mayumi; BONATTI, Thiago Fernando; CARMO, Roberto Luiz do. O risco construído: reflexões sobre o desastre ocorrido em Mariana, estado de Minas Gerais, em 2015, a partir da perspectiva da relação entre população e ambiente. In: VII Congreso de la Asociación Latinoamericana de Población e XX Encontro Nacional de Estudos Populacionais, 2016, Foz do Iguaçu. Anais [...]. Foz do Iguaçu: ABEP/ALAP, 2016.

BONATTI, Thiago Fernando; CARMO, Roberto Luiz do. Bairro Mansões Santo Antônio em Campinas, São Paulo: Expansão Urbana, Contaminação do Solo, Ocupação Desordenada e Danos à Saúde. In: VII Encontro Nacional da ANPPAS, 2015, Brasília. Anais [...]. Brasília: ANPPAS, 2015.

BONATTI, Thiago Fernando. Expansão urbana e a ocupação de áreas contaminadas: o caso do bairro Mansões Santo Antônio em Campinas, São Paulo. 2017. 152 p. Dissertação (mestrado em Demografia) - Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, São Paulo, 2017.

CARMO, Roberto Luiz do. População, riscos, vulnerabilidade e desastres: conceitos básicos. In: SIQUEIRA, Antenora; VALENCIO, Norma; SIENA, Mariana; MALAGOLI, Marco (Org.). Riscos de desastres relacionados à água: aplicabilidade das bases conceituais das Ciências Humanas e Sociais na análise de casos concretos. São Carlos: RiMA, 2015.

CARMO, Roberto Luiz do; ANAZAWA, Tathiane Mayumi. Mortalidade por desastres no Brasil: o que mostram os dados. Ciência & Saúde Coletiva, v. 19, n. 9, p. 3669–3681, set. 2014.

CARMO, Roberto Luiz do; VALENCIO, Norma. Apresentação. In: CARMO, Roberto Luiz do; VALENCIO, Norma. (Org.). Segurança Humana em contextos de desastres. São Carlos: Editora Rima, p. xv-xvii, 2014.

D’ANTONA, Álvaro de Oliveira. Do mito malthusiano ao das relações recíprocas – a constituição interdisciplinar do campo de População e Ambiente. Rev. bras. estud. popul., São Paulo, v. 34, n. 2, p. 243-270, 2017.

DYNES, Russell; DRABEK, Thomas. The structure of disaster research: its policy and disciplinary implications. International Journal of Mass Emergencies and Disasters, v.12, n.1, p. 5-23. 1994.

HOGAN, Daniel Joseph. População e Meio-Ambiente – Texto Nepo 16. Campinas: NEPO/ UNICAMP - Textos NEPO, 1989.

HOGAN, Daniel Joseph. Crescimento demográfico e meio ambiente. Revista Brasileira de Estudos de População, v. 8, n 1/2, 1991.

HOGAN, Daniel Joseph. População, Pobreza e Poluição em Cubatão, São Paulo. In: MARTINE, George (Org.). População, Meio Ambiente e Desenvolvimento: verdades e contradições. Campinas: Ed. da Unicamp, 1993. p.101-131.

LAVELL THOMAS, Allan. Ciencias Sociales y Desastres Naturales en America Latina: Un Encuentro Inconcluso. In: MASKREY, Andrew (Org.). Los Desastres no son Naturales. LaRED - Red de Estudios Sociales en Prevencion de Desastres en America Latina, 1993.

LAVELL THOMAS, Allan; FRANCO, Eduardo (Org.). Estado, Sociedad y Gestión de los Desastres en América Latina. En busca del paradigma perdido. Lima, Perú: La Red-FLACSO-IT. Perú. Lahmann. 1996.

MARANDOLA JR., Eduardo; HOGAN, Daniel Joseph. Natural hazards: o estudo geográfico dos riscos e perigos. Ambiente e Sociedade, Campinas, v. 7, n.2, p. 95-110, 2004.

MARANDOLA JR., Eduardo; HOGAN, Daniel Joseph. As dimensões da vulnerabilidade. São Paulo em Perspectiva, v. 20, p. 33-43, 2006.

MARANDOLA JR., Eduardo; HOGAN, Daniel Joseph. Em direção a uma demografia ambiental? Avaliação e tendências dos estudos de população e ambiente no Brasil. Rev. bras. estud. popul. v.24, n.2., p. 191-223, 2007.

MASKREY, Andrew (Org.). Los Desastres no son Naturales. LaRED - Red de Estudios Sociales en Prevencion de Desastres en America Latina, 1993.

MATTEDI, Marcos Antônio; BUTZKE, Ivani Cristina. A relação entre o social e o natural nas abordagens de hazards e desastres. Ambiente & Sociedade, n. 9, p. 1-16, 2001.

QUARANTELLI, Enrico (Ed.). What is a Disaster?. London: Routledge, 1998.

QUARANTELLI, Enrico; DYNES, Russell. Response to social crisis and disaster. Annual Review of Sociology, n. 3, p. 23-49, 1977.

TORRES, Haroldo da Gama. A demografia do risco ambiental. In: TORRES, Haroldo da Gama; COSTA, Heloísa (Org.). População e meio ambiente: debates e desafios. São Paulo: Senac, 2000. p. 53-73.

VALENCIO, Norma. Da ‘área de risco’ ao abrigo temporário: uma análise dos conflitos subjacentes a uma territorialidade precária. In: VALENCIO, Norma; SIENA, Mariana; MARCHEZINI, V.; GONÇALVES, Juliano Costa (Org.). Sociologia dos Desastres: construção, interfaces e perspectivas no Brasil, Volume I. São Carlos: Rima Editora, 2009.

VALENCIO, Norma; SIENA, Mariana; MARCHEZINI, V.; GONÇALVES, Juliano Costa (Org.). Sociologia dos Desastres: construção, interfaces e perspectivas no Brasil, Volume I. São Carlos: Rima Editora, 2009.

VALENCIO, Norma. Sociologia dos Desastres: construção, interfaces e perspectivas no Brasil, Volume II. 1. ed. São Carlos: RiMa Editora, 2010. v. II. 248p.

VALENCIO, Norma. Sociologia dos desastres: construção, interfaces e perspectivas no Brasil, Volume III. São Carlos: RiMa Editora, 2013, v.III.

VALENCIO, Norma. Desastres: tecnicismo e sofrimento social. Ciênc. saúde coletiva, v. 19, n. 9, p. 3631-3644, 2014.

VALENCIO, Norma; SIENA, Mariana (Org.). Sociologia dos Desastres: construção, interfaces e perspectivas, Volume IV. São Carlos: RiMa Editora, 2014. v. IV. 379p.

WILCHES-CHAUX, Gustavo. La Vulnerabilidad Global. In: MASKREY, Andrew (Org.). Los Desastres no son Naturales. LaRED - Red de Estudios Sociales en Prevencion de Desastres en America Latina, 1993.

Downloads

Publicado

2021-05-26

Como Citar

Bonatti, T. F., & Anazawa, T. M. (2021). A contribuição de Daniel Hogan para os estudos dos desastres. Ideias, 12(00), e021006. https://doi.org/10.20396/ideias.v12i00.8665106

Edição

Seção

Dossiê: Daniel Hogan