Banner Portal
Como pensar o design aberto e os fab labs politicamente a partir de uma perspectiva simondoniana
PDF

Palavras-chave

Fab lab
Enciclopedismo
Tecnopolítica
Design aberto
Psicossociologia da tecnicidade

Como Citar

MALHÃO, Rafael. Como pensar o design aberto e os fab labs politicamente a partir de uma perspectiva simondoniana. Ideias, Campinas, SP, v. 13, n. 00, p. e022009, 2022. DOI: 10.20396/ideias.v13i00.8668121. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/ideias/article/view/8668121. Acesso em: 26 maio. 2024.

Resumo

O presente texto tem como objetivo colocar em debate as potencialidades do arcabouço conceitual produzido sobre a relação entre técnica e cultura por Simondon, com o intuito de abordar os movimentos contemporâneos que tem nas práticas de deisgn aberto e fabricação local assentada no uso de máquinas de controle numérico computadorizado suas principais características. Inicio apresentando um breve histórico e as principais características e diferenças entre os distintos espaços de fabricação local. Em seguida abordo a noção de design aberto de uma perspectiva enciclopédica segundo a perspectiva que Simondon dá a este fenômeno histórico. Por fim, a partir d’”O modo de existência dos objetos técnicos” e “Sobre a técnica” busco discutir a politização da ação técnica no contexto destes espaços emergentes de ação técnica computadorizada.

https://doi.org/10.20396/ideias.v13i00.8668121
PDF

Referências

ANDERSON, Chris. Makers: a Nova Revolução Industrial. Rio de Janeiro: Elsevier, 2012.

ATANASOSKI, Neda & VORA, Kalindi. Surrogate humanity: race, robots, and politics of technological futures. London: Duke University Press, 2019.

BARRY, Andrew. Political Machines: governing a technological Society. London: Bloomsbury Publishing, 2001.

BENJAMIN, Ruha. Captivating Technology: race, carceral technoscience, and liberatory imagination in everyday life. London: Duke University Press, 2019.

BONTEMSN, Vincent. Gilbert Simondon ou l’invention du futur (Colloque de Cerisy). Cerisy: Éditions Klincksieck, 2016.

CABEZA, Edison Uriel Rodriguez; MOURA, Mônica; ROSSI, Dorival. Design aberto: prática projetual para a transformação social. Strategic Design Research Journal, 7(2): 56-65 May-August 2014.

CAMPOS, Paulo Eduardo Fonseca & DIAS, Henrique José dos Santos. A insustentável neutralidade da tecnologia: o dilema do movimento maker e dos fab labs. Liinc em Revista, Rio de Janeiro, v.14, n.1, p. 33-46, maio 2018.

CUARTIELLES, David and SÁEZ, César García. "From Hacking to Making: The Commodification of Spanish DIY Spaces Since the 1990s" Digital Culture & Society, vol. 6, no. 1, 2020, p. 85-106. https://doi.org/10.14361/dcs-2020-0105

DARDOT, Pierre & LAVAL, Christian. A nova razão do mundo: ensaios sobre a sociedade neoliberal. São Paulo: Boitempo, 2016.

ERSHENFELD, N.; GERSHENFELD, A.; CUTCHER-GERSHENFELD, J. Designing Reality: How to Survive and Thrive in the Third Digital Revolution. [s.l.] Basic Books, 2017.

EYCHENNE, F. & NEVES, H. Fab Lab: a vanguarda da nova revolução industrial. São Paulo: Editorial Fab Lab Brasil, 2013.

FANON, Franz. Pele negra, máscaras brancas. Salvador: EDUFBA, 2008.

FISHER, Mark. Realismo capitalista: é mais fácil imaginar o fim do mundo do que o fim do capitalismo? São Paulo: Autonoma Libertária, 2020.

GERSHENFELD, Neil; GERSHENFELD, Alan; CUTCHER-GERSHENFELD, Joel. Fab-Designing Reality: How to Survive and Thrive in the Third Digital Revolution. New York: Basic Books, 2017.

HIMANEN, Pekka. A ética dos hackers: e o espírito da era da informação. Rio de Janeiro: Campus, 2001.

HUGHES, Thmas Parke. The Evolution of large technological systems. In: BIJKER, Wiebe E.; HUGHES, Thomas Parke; PINCH, Trevor J. The social construction of technological systems: new directions on the sociology and history of technology. Cambridge: The MIT Press, 1989.

INTITUTO FABER-LUDENS. Design livre. São Paulo: Clube dos Autores, 2012.

JASANOFF, Sheila & KIM, Sang-Hyun (eds). Dreamscapes of modernity: sociotechnical imaginaries and the fabrication of power. Chicago: The University of Chicago Press, 2015.

LAFUENTE, Antonio. Laboratorio de Aprendizaje Radical. 2019. Disponível em: https://www.academia.edu/41172428/Laboratorio_de_Aprendizaje_Radical. Acesso em: 7 ago. 2020.

LAFUENTE, Antonio. Sentidos de um laboratório cidadão. 2017. Disponível em: https://pimentalab.milharal.org/2017/12/12/sentidos‑de‑um‑laboratorio‑cidadao‑por‑antonio‑lafuente

LARKIN, Brian. Políticas e poéticas da infraestrutura. Revista ANTHROPOLÓGICAS Ano 24, 31(2): 28-60, 2020.

MOROZOV, Evgeny & BRIA, Francesca. A cidade inteligente: tecnologias urbanas e democracia. São Paulo: Ubu Editora, 2019.

PARRA, Henrique Zoqui Martins. Laboratório tecnopolítico do Comum: protótipos, reticulação e potência da situação. doispontos: Curitiba, São Carlos, volume 16, número 3, p. 111-120, julho de 2019.

PASCALE, Pablo. Laboratorios de Innovación Ciudadana: nueva institucionalidad para un futuro sostenible. Revista Pensamiento Iberoamericano, nº 6, 2018, p. 63-72.

PASQUINELLI, Matteo & VLADAN, Joler. O Manifesto Nooscópio: inteligência artificial como instrumento de extrativismo do conhecimento. 2020. Disponível em: http://lavits.org/o-manifesto-nooscopio-inteligencia-artificial-como-instrumento-de-extrativismo-do-conhecimento/?lang=pt. Acesso em: 7 ago. 2020.

RIFKIN, Jeremy. Sociedade com custo marginal zero: a internet das coisas, os bens comuns e o eclipse do capitalismo. São Paulo: M. Books do Brasil Editora Ltda., 2016.

SIMONDON, Gilbert. Do modo de existência dos objetos técnicos. Rio de Janeiro: Contraponto, 2020.

SIMONDON, Gilbert. Sobre la técnica: 1953-1983. Ciudad Autónoma de Buenos Aires: Cactus, 2017.

SMITH, Adrian; FRESSOLI, Mariano; ABROL, Dinesh; AROND, Elisa; ELY, Adrian. Grassroots innovation movements. New York: Routledge, 2017.

SÖDERBERG, J. The unmaking of the working class and the rise of the Maker. Disponível em: https://snuproject.wordpress.com/2013/01/04/ the-unmaking-of-the-working-class-and-the-rise-of-the-maker-re-public/. Acesso em: 20 dez. 2021.

THOMAS, Douglas. Hacker culture. Minneapolis: University of Minnesota Press, 2002.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

Copyright (c) 2022 Ideias

Downloads

Não há dados estatísticos.