Interação de bebês com objetos técnicos e processos de individuação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/ideias.v13i00.8668612

Palavras-chave:

Estudos de bebês, Materialidade, Processo de individuação, Ambiente

Resumo

O artigo explora como os bebês interagem com objetos técnicos de complexidade crescente. O referencial teórico trata do toque e da convergência prospectiva entre objetos e sujeitos. Neste artigo, a questão de pesquisa é: como os bebês interagem com objetos de crescente complexidade tecnológica, ativando uma dimensão material a serviço de sua individuação? Observações foram realizadas na França e no Brasil em creches e em residências de famílias com bebês. É proposta uma metodologia não antropocêntrica - ligando o sistema corpo-ambiente. Alguns episódios serão apresentados para evidenciar como os bebês ativam a dimensão material a serviço de sua individuação, destacando a impossibilidade de separar indivíduo-ambiente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sabrina de Oliveira Caetano, Universidade Estadual de Campinas

Mestranda em Educação pela Universidade Estadual de Campinas. Professora de Educação Básica da Prefeitura Municipal de Campinas.

Maria Antonietta Impedovo, Aix-Marseille University

Doutora em Educação. Maître de conférences na Aix-Marseille Université. Pesquisadora no Laboratório Apprentissage, Didactique, Evaluation, Formation.

Gabriela Guarnieri de Campos Tebet, Universidade Estadual de Campinas

Doutora em Educação pela Universidade Federal de São Carlos. Professora da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas. Pesquisadora do Grupo de Pesquisas "Diferenças e Subjetividades em Educação: Estudos Surdos, das questões raciais, de gênero e da infância".

Referências

CHEVILLE, Julie. The bias of materiality in sociocultural research: Reconceiving embodiment. Mind, Culture, and Activity, 13, 25–37, 2006. DOI: https://doi.org/10.1207/s15327884mca1301_3

DE GRANDE, Pablo. Designed for babies. Objects and practices in the first year. Revista Latinoamericana de Ciencias Sociales Niñez y Juventud, 14(1), 287-300, 2016.

DELEUZE, Gilles, GUATTARI, Felix. Capitalisme et schizophrénie. Mille plateaux. Editions de Minuit, Paris, 1980.

DOURISH, Paul. Where the action is: The foundations of embodied interaction. Cambridge MA: MIT Press, 2004.

FLEER, Marilyn. Digitally amplified practices: beyond binaries and towards a profile of multiple digital coadjuvants. Mind, Culture, and Activity, 2019. DOI: 10.1080/10749039.2019.1646289 DOI: https://doi.org/10.1080/10749039.2019.1646289

GILLEN, Julia & KUCIRKOVA, Natalia. Percolating spaces: Creative ways of using digital technologies to connect young children's school and home lives. British Journal of Educational Technology, 49(5), 834–846. 2018. doi:10.1111/object.v49.5 DOI: https://doi.org/10.1111/bjet.12666

HEATH, Christian, HINDMARSH, Jon, & LUFF, Paul. Video in qualitative research. London: Sage, 2010.

HULTMAN, Karin & LENZ TAGUCHI, Hillevi. Challenging anthropocentric analysis of visual data: A relational materialist methodological approach to educational research. International Journal of Qualitative Studies in Education, 23(5), 525-542, 2010. DOI: https://doi.org/10.1080/09518398.2010.500628

LATOUR, Bruno. Petite réflexion sur le culte moderne des dieux faitiches. Éd. Synthélabo : Paris. 1993

LENZ TAGUCHI, Hillevi & PALMER, Anna. Reading Deleuze-Guattarian cartography of young girls' "school-related" ill-/well-being. Qualitative Inquiry, 20(6), 764-771. 2014 DOI: https://doi.org/10.1177/1077800414530259

LEWIN, Kurt. Field theory and learning. 1942 DOI: https://doi.org/10.1177/016146814204301006

LINELL, Per. Rethinking language, mind, and world dialogically: Interactional and contextual theories of human sense-making. Charlotte, NC: Information Age Publishing. 2009

LINS, Heloísa. A. Linhas de voo de um bebê surdo: emaranhados e agências nos processos de subjetivação e educação. Educação em Revista, 37. 2021 DOI: https://doi.org/10.1590/0102-4698235031

NANCY, Jean Luc. Corpus. Fordham University Press. 2008

OECD. Early Childhood Education and Care. ISBN 92-64-18675-1 (91 01 01 1) 2001

ORLIKOWSKI, Wanda. J., & SCOTT, Susan. V. Ten sociomateriality: challenging the separation of technology, work, and organisation. Academy of Management Annals, 2(1), 433-474. 2008 DOI: https://doi.org/10.5465/19416520802211644

ORRMALM, Alex. The flows of things – exploring babies’ everyday spacemaking, Children's Geographies, 2020. DOI: 10.1080/14733285.2020.1866748 DOI: https://doi.org/10.1080/14733285.2020.1866748

SIMONDON, Gilbert. Du mode d’existence des objets techniques. Paris, Aubier. 1989

SIMONDON, Gilbert. Do modo de existência dos objetos técnicos: introdução. Laboreal, IX, 01, 69-72. 2018 DOI: https://doi.org/10.4000/laboreal.546

SIMONDON, Gilbert. A Individuação à luz das noções de forma e informação. Editora 34. 2020a

SIMONDON, Gilbert. Do modo de existência dos objetos técnicos. Contraponto. 2020b

WINNICOTT, Donald W. 10. Transitional objects and transitional phenomena: A study of the first not-me. Essential papers on object relations, v. 254, 1986.

Downloads

Publicado

2022-05-25

Como Citar

Caetano, S. de O., Impedovo, M. A. ., & Tebet, G. G. de C. (2022). Interação de bebês com objetos técnicos e processos de individuação. Ideias, 13(00), e022002. https://doi.org/10.20396/ideias.v13i00.8668612

Edição

Seção

Dossiê: Gilbert Simondon: reticulações contemporâneas na América Latina