O lugar da indústria no patrimônio cultural

  • Eloisa Dezen-Kempter Universidade Estadual de Campinas
Palavras-chave: Patrimônio industrial, Bens tombados, Preservação, Cultura industrial

Resumo

Este artigo destaca como os efeitos do processo de desindustrialização e de reestruturação econômica, intensificados na década de 1990, atingiram grandes complexos fabris que foram grandes motores econômicos e os principais indutores da urbanização dos lugares, e que embora tenham imprimido, de modo inconfundível, caráter e identidade espacial, e organizado a dinâmica urbana e as relações sociais, seu lugar dentro da paisagem onde se inserem está ameaçada de desaparecer. Desta forma, o presente artigo aborda a potencialidade e a singularidade do patrimônio industrial na produção do espaço contemporâneo e a sua valoração enquanto patrimônio Cultural no Brasil, a partir das iniciativas de tombamento empreendidas pelo IPHAN. Ressalta como, apesar da ainda pequena representatividade desta tipologia na listagem de bens tombados pelo IPHAN, estas edificações estão mudando as percepções públicas a respeito dos aspectos importantes de sua história, conseguindo conquistar sua devida valoração enquanto representantes da expressão cultural e social brasileira.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eloisa Dezen-Kempter, Universidade Estadual de Campinas
Professora da Faculdade de Tecnologia da Universidade Estadual de Campinas. Doutora em História pelo Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da UNICAMP. Mestre em Urbanismo Europeu pela Fakultät Architektur, (IIUS) Integrated International Urban Studies, Bauhaus-Universität Weimar, [Alemanha]. Arquiteta e Urbanista pela PUC-Campinas.

Referências

ANDRADE, Antônio Luiz Dias de. Um estado completo que pode jamais ter existido. 1993. 168 f. Tese (Doutorado em Arquitetura e Urbanismo) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo. São Paulo [SP], 1993.

AZEVEDO, Paulo Ormindo de. Por um inventário do patrimônio cultural brasileiro. Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, Rio de Janeiro [RJ], n. 22, p.82-85, 1987.

BRASIL. Lei nº 11.483, de 31 de maio de 2007. Dispõe sobre a revitalização do setor ferroviário, altera dispositivos da Lei no 10.233, de 5 de junho de 2001, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília [DF], 31 mai. 2007. Seção 1 – Edição Extra, p.7-8.

CANCLINI, Néstor Garcia. Imaginarios Urbanos. Buenos Aires [ARG]: Ed. Universidade de Buenos Aires, 2007.

COSSONS, Neil. Prospects, perceptions and the public. In: XIV Congress TICCIH, 2009, Freiberg.

Plenary Session 31 ago., 2009. Disponível em: http://www.mnactec.cat/~public/docs/cossons_TICCIH09.pdf. Acesso em 31 out., 2010.

FONSECA, Maria Cecília Londres da. O patrimônio em processo: trajetória da política federal de preservação no Brasil. Rio de Janeiro [RJ]: Editora UFRJ; MInC-IPHAN, 1997.

FONSECA, Maria Cecília Londres da. Referências culturais: base para novas políticas de patrimônio. Políticas Sociais: acompanhamento e análise, n.2, p.111-120, fev., 2001.

GONÇALVES, José Reginaldo Santos. Monumentalidade e cotidiano: os patrimônios culturais como gênero de discurso. In: OLIVEIRA, Lúcia Lippi (org.). Cidade: história e desafios. Rio de Janeiro [RJ]: Editora FGV, 2002.

IPHAN, Processo nº1144-T-85 – Tombamento da Fábrica Santa Amélia, São Luís, Maranhão.

JEUDY, Henri Pierre. Espelho das cidades. Rio de Janeiro [RJ]: Casa da Palavra, 2005.

OLIVEIRA, Lúcia Lippi. Cultura é patrimônio: um guia. Rio de Janeiro [RJ]: Editora FGV, 2008.

RODRIGUES, Marly. Patrimônio industrial: entre o fetiche e a memória. Arq.Urb: Revista Eletrônica de Arquitetura e Urbanismo, São Paulo, v.3, p.31-40, 1.sem., 2010. Disponível em: http://www.usjt.br/arq.urb/numero_03/4arqurb3-marly.pdf. Acesso em: 20 jul., 2010.

RUBINO, Silvana Barbosa. As fachadas da história. As origens, a criação e os trabalhos do SPHAN, 1936-1967. 1992. 206 f. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas. Campinas [SP], 1992.

RUBINO, Silvana Barbosa. O mapa do Brasil passado. Revista do Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, Rio de Janeiro [RJ], v. 24, p. 97-105, 1996.

ZUKIN, Sharon. Paisagens urbanas pós modernas: mapeando cultura e poder. Paisagens do século XXI: notas sobre a mudança social e o espaço urbano. In: ARANTES, Antônio (Org.) O espaço da diferença. Campinas [SP]: Papirus, 2000.

Publicado
2011-03-29
Como Citar
Dezen-Kempter, E. (2011). O lugar da indústria no patrimônio cultural. Labor E Engenho, 5(1), 107-125. https://doi.org/10.20396/lobore.v5i1.111
Seção
Artigos