A musealização do setor elétrico em São Paulo: construção de perspectivas para as usinas hidrelétricas

Autores

  • Marilia Xavier Cury Universidade de São Paulo
  • Mirian Midori Peres Yagui Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.20396/lobore.v9i1.2098

Palavras-chave:

Nova Museologia, Musealição do setor elétrico, Museus paulistas, Museus da energia, Comunicação museal, Valoriazação do patrimônio industrial

Resumo

A preservação do patrimônio industrial mobiliza a Europa e Estados Unidos após 1950. O Brasil sofre essa influência, há setores profissionais e acadêmicos atentos à questão, entretanto com menos realizações efetivas devido a deficiências na legislação e políticas públicas para a preservação do patrimônio material. Internacionalmente a preservação ocorre com mais ênfase e a valorização decorre da demanda para um uso público do patrimônio in situ. No presente artigo, apresentam-se iniciativas de preservação e musealização do patrimônio industrial do setor elétrico e proposições que discorrem sobre o potencial de musealização das usinas hidrelétricas criadas entre 1890 e 1960 em São Paulo, como contribuição às discussões para intervir nas políticas preservacionistas e museais. Como resultado parcial do eixo Musealização do projeto Eletromemória, abordam-se questões referentes a coleções museológicas em cidades nas cercanias das usinas estudadas, a reflexão sobre a Rede Museu da Energia e apresenta-se um exercício sobre a musealidade das usinas, para a problematização de um espectro patrimonial tão relevante e complexo, mas tão pouco considerado até o momento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marilia Xavier Cury, Universidade de São Paulo

Museóloga. Mestre e Doutora em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo. Docente em Museologia, Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo. São Paulo [SP] Brasil.

Mirian Midori Peres Yagui, Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo

Mestre em Museologia pela Universidade de São Paulo. Técnica da Unidade de Preservação do Patrimônio Museológico da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo. São Paulo [SP] Brasil.

Referências

ALCÂNTARA, Aureli Alves de. Paulo Duarte entre sítios e trincheiras em defesa da sua dama – a pré-história. 2007. Dissertação (Mestrado em Arqueologia) – Museu de Arqueologia e Etnologia, Universidade de São Paulo.

BARBOSA, Andréia Arruda. O Lugar da Memória Institucional nas Organizações Complexas. In: Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, 35, 2012, Fortaleza. Anais... Fortaleza: Intercom, 2012. Disponível em: http://portal.eusoufamecos.net/o-lugar-da-memoria-institucional-nas-organizacoes-complexas/. Acesso em: 05 mai. 2014.

BLOISE, Ana Silvia. Museu da Energia: uma utopia torna-se realidade. Memória e energia, São Paulo, n. 27, p. 80-91, dez., 2000.

BRULON, Bruno. Os mitos do ecomuseu: entre representação e a realidade dos museus comunitários. Revista Musas, n. 6, p. 30-47, 2014.

CURY, Marília Xavier. Museu, comunicação e exposição – o que há de novo? In: FRONTEIRAS REGIONAIS E PERSPECTIVAS NACIONAIS – Seminário Interdisciplinar em Museologia. Blumenau: Museu Hering: Fundação Hermann Hering, p. 35-49, 2014.

CURY, Marília Xavier Cury. Estudo sobre centros e museus de ciências – Subsídios para uma política de apoio. São Paulo: Vitae – Apoio à cultura, educação e promoção social, 2000.

DESVALLÉES, André. Cent quarante termes muséologiques ou petit glossaire de l’exposition. In: BARY, Marie-Odile & TOBELEM, Jean-Michel (dir.). Manuel de muséographie: petit guide à l’usage des responsables de musée. Haute-Loire: Séguier/Option Culture, 1998.

DESVALLÉES, André; MAIRESSE, François (Org). Dictionnaire encyclopédique de muséologie. Paris: Armand Colin, 2011.

DINIZ, Renato; TRÓIA, Rosane; FERREIRA, Tânia C. Museu descentralizado. Memória, n. 9, p.51-56, out./nov./dez. 1990.

DUARTE, Alice. Nova museologia: os pontapés de saída de uma abordagem ainda inovadora. Revista Museologia e Patrimônio, v. 6, n. 1, 2013.

GRANATO, Marcus; MAIA, Elias da Silva; SANTOS, Fernanda Pires; OLIVEIRA, Pedro Louvain de campos; SANTOS, Liliane Bispo dos; HANDFAS, Ethel Rosemberg. Valorização do patrimônio científico e tecnológico brasileiro: resultados de pesquisa. XIV Encontro Nacional de Pesquisa em Ciência da Informação (Enancib), 2013. p. 1-20.

GUARNIERI, Waldisa Russio Camargo. L’interdisciplinarité en Muséologie. MuWop/DoTraM, Estocolmo: ICOM, n. 2, 1981, p. 58-59.

GUARNIERI, Waldisa Russio. Um museu de indústria em São Paulo. 1980. (Tese) – Escola de Sociologia e Política de São Paulo, São Paulo, 1980.

HANDFAS, Ethel Rosemberg; VALENTE, Maria Esther Alvarez. Políticas públicas de C&T e os museus de ciência. XIV Encontro Nacional de Pesquisa em Ciência da Informação (Enancib), 2013. p. 1-19.

INSTITUTO BRASILEIRO DE MUSEUS (IBRAM). Guia dos museus brasileiros. Brasília, 2011.

INSTITUTO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO NACIONAL (IPHAN). Disponível em: http://portal.iphan.gov.br/portal/baixaFcdAnexo.do?id=3263.

LIMA, Diana Farjalla Correia. Musealização e patrimonialização: formas culturais integradas, termos e conceitos entrelaçados. In: Encontro Nacional de Pesquisa em Ciência da Informação, 15, 2014, Belo Horizonte. Anais... Belo Horizonte: Enancib 2014. p. 3710-3730.

LIMA, Diana Farjalla Correia. Da face inativa da indústria ao contexto ativo do museu: aspectos da musealização do patrimônio industrial. In: Encontro Nacional de Pesquisa em Ciência da Informação, 14, 2013, Florianópolis. Anais... Florianópolis: Enancib 2013. Disponível em: http://enancib.sites.ufsc.br/index.php/enancib2013/XIVenancib/paper/viewFile/221/393.

MATOS, Ana Cardoso; SAMPAIO, Maria da Luz. Patrimônio Industrial e museologia em Portugal. Museologia e Interdisciplinaridade, v. 3, n. 5, p. 95-112, mai./jun. 2014.

MENEZES, Susana. Do museu e da museologia. Cadernos de Sociomuseologia, n. 26, p. 19-50, 2006.

MORAIS. José Luiz. Reflexões acerca da arqueologia preventiva. In: MORI, V. H.; SOUZA, M. C.; BASTOS, R. L.; GALLO, H. (Orgs.). Patrimônio: atualizando o debate. São Paulo: IPHAN, 2006. p. 193-220.

MORTATI, Débora Marques de Almeida Nogueira; ARGOLLO FERRÃO, André Munhoz de. Centrais hidrelétricas: o surgimento das usinas hidrelétricas e seu papel na urbanização do interior do estado de São Paulo, Brasil. Revista Llámpara: patrimonio industrial, Valladolid, v. 5, p. 68-77, 2012. Disponível em: http://issuu.com/cdmdsn/docs/revista5ok.

QUEIROZ, Inti Anny. As leis de incentivo à cultura em São Paulo: panorama estadual e municipal. Revista Pensamento & Realidade, ano XVI, v. 28, n 4/2013, p. 106-119, 2013. Disponível em: http://revistas.pucsp.br/index.php/pensamentorealidade/article/view/17985. Acesso em: 19 jan. 2015.

RODRIGUES, José Eduardo Ramos. Da proteção jurídica ao patrimônio cultural arqueológico. In: MORI, V. H.; SOUZA, M. C.; BASTOS, R. L.; GALLO, H. (Orgs.). Patrimônio: atualizando o debate. São Paulo: IPHAN, 2006. p. 234-240.

ROSSI, Anicleide Zequini; BARBUY, Heloisa. Museu da cidade de Salto: projeto e implantação. Boletim do Centro de Memória UNICAMP, v. 4, n. 7/8, p. 53-64, jan./dez.1992.

SANTOS, Myrian Sepulveda dos. Museus, liberalismo e indústria cultural. Ciências Sociais Unisinos, v. 47, n. 3, p. 189-198, set./dez. 2011.

SÃO PAULO (estado). Lei 12.268 de 20 de fevereiro de 2006. Institui o Programa de Ação cultural – PAC, e dá providências correlatas. LEI ICMS-SP. Disponível em: http://www.cultura.sp.gov.br/StaticFiles/SEC/proac/LEGISLACAO%20marco%2010.pdf. Acesso em 19 de janeiro de 2015.

SCHEINER, Tereza Cristina. Repensando o museu integral: do conceito às práticas. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas, v. 7, n. 1, p. 15-30, jan./abr. 2012.

SILVA, Carlos Henrique Gomes da; PINHEIRO, Lena Vania Ribeiro. Políticas públicas para museus no Brasil: do Iphan ao Ibram. XIV Encontro Nacional de Pesquisa em Ciência da Informação (Enancib), 2013. p. 1-20.

SISTEMA ESTADUAL DE MUSEUS. Museus SP. Disponível em: http://www.sisemsp.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=1004&Itemid=69. Acesso em: 19 jan. 2015.

SOUSA, Sara Barbosa de. Memória Empresarial: interesse utilitarista ou responsabilidade histórica? 2010. 130f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010. Disponível em http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/27/27151/ tde...131012/.../2200998.pdf. Acesso em: 05 mai. 2014.

TOTINI, Beth; GAGETE, Élida. Memória empresarial, uma análise da sua evolução. P. 113-126. In: Memória de empresa: história e comunicação de mãos dadas a construir o futuro das organizações. São Paulo: Aberje editorial, 2004.

YAGUI, Mirian Midori Peres. Museus e patrimônio industrial: um estudo sobre a musealização do setor elétrico no estado de São Paulo. 2014. 172f. Dissertação (Mestrado em Museologia) – Pós-graduação Interunidades em Museologia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014.

ZANETTINI ARQUEOLOGIA. Disponível em: http://www.zanettiniarqueologia.com.br/index.php. Acesso: 24 de jan 2015.

Downloads

Publicado

2015-03-10

Como Citar

CURY, M. X.; YAGUI, M. M. P. A musealização do setor elétrico em São Paulo: construção de perspectivas para as usinas hidrelétricas. Labor e Engenho, Campinas, SP, v. 9, n. 1, p. 104-134, 2015. DOI: 10.20396/lobore.v9i1.2098. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/labore/article/view/2098. Acesso em: 27 out. 2020.

Edição

Seção

Artigos