Contribuição interdisciplinar em Ciências Humanas. Primeiras notas

  • Zanoni Neves Núcleo de Estudos do Vale do São Francisco
Palavras-chave: Conhecimento interdisciplinar. Antropologia. História. Pedagogia. Leis. Conceitos.

Resumo

Este artigo pretende investigar a contribuição teórica e prática entre as Ciências Humanas. Assim, temos a intenção de demonstrar a produção do conhecimento interdisciplinar, fundamental para o avanço das ciências. Por exemplo: A História utiliza alguns conceitos da Antropologia. Os juristas escrevem algumas leis com base na contribuição das Ciências Sociais. A descrição geográfica, incluindo a Cartografia, é valiosa para os Antropólogos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Zanoni Neves, Núcleo de Estudos do Vale do São Francisco

Coordenador do Núcleo de Estudos do Vale do São Francisco. Belo Horizonte [MG] Brasil. Mestre em Antropologia Social (Unicamp).

Referências

BOAS, F. (2004). Os objetivos da pesquisa antropológica. In C. Castro (Org., e Trad.). Antropologia Cultural (Coleção Antropologia Social). Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor.

CARDOSO de OLIVEIRA, R. (2004). O mal-estar da ética na antropologia prática. In C. VÍCTORA, R. G. OLIVEN, M. E. MACIEL, & A. P. ORO (Orgs.). Antropologia e ética – o debate atual no Brasil. Niterói: EdUFF.

CASTRO, C. (Org.). (2005). Evolucionismo cultural – Textos de Morgan, Tylor e Frazer (M. L. de Oliveira, Trad.) (Coleção Antropologia Social). Rio de Janeiro: Zahar.

CONSTITUIÇÃO da REPÚBLICA FEDERATIVA do BRASIL. (1988). Brasília: Senado Federal.

CUNHA, M. M. C. da. (1985). Definição de índios e comunidades indígenas nos textos legais. In S. C. SANTOS. Sociedades indígenas e o Direito – uma questão de direitos humanos. Florianópolis: UFSC.

Declaração Universal dos Direitos Humanos. (1948, dezembro 10). Paris: Organização das Nações Unidas.

Declaração das Nações Unidas sobre os Direitos dos Povos Indígenas. (2007, setembro 13). Nova Iorque: Organização das Nações Unidas.

ECO, H. (1983). Como se faz uma tese (G. C. C. de Souza, Trad.) (Coleção Estudos). São Paulo: Perspectiva.

FOUCAULT, M. (1984). A microfísica do poder (4a ed., R. Machado, Trad.). Rio de Janeiro: Edições Graal.

FREIRE, P. (1999). Pedagogia da autonomia – Saberes necessários à prática educativa (12a ed.) (Coleção Leitura). São Paulo: Paz e Terra.

HALL, S. (1998). A identidade cultural na pós-modernidade (2a ed., T. T. da Silva & G. L. Louro, Trads.). Rio de Janeiro: DP&A.

IGLESIAS, F. (1971). Natureza e ideologia do colonialismo no século XIX. In História e ideologia. São Paulo: Perspectiva.

IGLESIAS, F. (1991, junho). Entrevista (concedida a M. E. L. de Resende & R. B. de Carvalho). Ciência Hoje, 73. Rio de Janeiro: Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência.

JUNQUEIRA, C. (1991). Antropologia indígena – Uma introdução (Série Trilhas). São Paulo: Educ.

LÉVI-STRAUSS, C. (1974). A obra de Marcel Mauss. In M. MAUSS. Sociologia e Antropologia (vol.I, L. Puccinelli, Trad.). São Paulo: E.P.U./Edusp.

MALINOWSKI, B. (1978). Argonautas do Pacífico Ocidental – Um relato do empreendimento e da aventura dos nativos nos arquipélagos da Nova Guiné melanésia (2a ed., A. P. Carr & L. A. C. Mendonça, Trads.) (Coleção Os Pensadores). São Paulo: Abril Cultural.

MEINTEL, D. (1993, agosto). Que é uma minoria? O Correio da UNESCO, Ano 21, n.8. Rio de Janeiro: UNESCO.

Nação sufocada. (2014, novembro). Ciência Hoje, 54(320). Rio de Janeiro: SBPC.

NANTES, M. de, Padre. (1979). Relação de uma missão no Rio São Francisco (Tradução e comentários de Barbosa Lima Sobrinho). São Paulo: Cia. Editora Nacional, Brasília: INL.

NEVES, Z. (2011). Navegantes da integração: os remeiros do rio São Francisco (2a ed.) (Coleção Humanitas). Belo Horizonte: Editora UFMG.

NEVES, Z. (2015). Contribuição da Antropologia para a História e disciplinas afins. Revista do Instituto Histórico e Geográfico de Minas Gerais, 40. Belo Horizonte.

Neves, Z. (2015). Vapor “Benjamim Guimarães”. Patrimônio dos ribeirinhos do São Francisco. Labor & Engenho, 9(2), 39-54. http://periodicos.bc.unicamp.br/ojs/index.php/labore/article/view/8635738.

PELTO, P. J. (1971). Iniciação ao Estudo da Antropologia (2a ed., W. Dutra, Trad.) (Coleção Biblioteca de Ciências Sociais). Rio de Janeiro: Zahar.

RIBEIRO, D. (1997). Uirá vai ao encontro de Maíra. In D. Ribeiro. Gentidades (Coleção L&PM Pocket, vol. 44). Porto Alegre: L&PM Editores.

SANTOS, J. L. dos. (1985). O que é Cultura (Coleção Primeiros Passos). São Paulo: Editora Brasiliense.

SILVA, F. A. (1961). Xique-Xique e Marrecas: duas comunidades do Médio São Francisco. Rio de Janeiro: Presidência da República/Comissão do Vale do São Francisco.

SOUSA, R. S. de. (2001). Direitos humanos através da história recente em uma perspectiva antropológica. In R. R. NOVAES, & R. K. de LIMA(Orgs.). Antropologia e Direitos Humanos. Niterói: EdUFF.

TODOROV, T. (1991). A conquista da América – A questão do outro (3a ed., B. P. Moisés, Trad.). São Paulo: Martins Fontes.

ZALUAR, A. (1985). A máquina e a revolta. São Paulo: Editora Brasiliense.

Publicado
2016-03-18
Como Citar
Neves, Z. (2016). Contribuição interdisciplinar em Ciências Humanas. Primeiras notas. Labor E Engenho, 10(1), 46-59. https://doi.org/10.20396/lobore.v10i1.8643172
Seção
Artigos