Cidades e territórios sustentáveis, paisagens culturais e desenvolvimento regional

proposta de um modelo processual

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/labore.v10i2.8646238

Palavras-chave:

Ordenamento territorial, Paisagem cultural, Cidade sustentável, Desenvolvimento regional

Resumo

Numa região cujo espaço não-urbano obedece a princípios consagrados da boa gestão ecológica, patrimônio e paisagem constituem valores culturais e ambientais que se integram sistemicamente. Os limites territoriais administrativos coincidem com o das bacias hidrográficas que conformam a região. Agrupamentos urbanos sustentáveis vinculam-se às paisagens culturais que se destacam no território correspondente. Paisagem e arquitetura rural dissecadas pelo Método de Pesquisa Orientada a Processos — Método POP — constituem o universo de uma cidade sustentável, ou “ecocidade”. A integração sistêmica de todos esses elementos leva ao ordenamento territorial baseado na conexão patrimônio-paisagem cultural, a partir de empreendimentos ecologicamente corretos e economicamente adequados. Daí a necessidade de se compreender o território a partir de uma abordagem sistêmica e transdisciplinar que permita a conexão patrimônio-paisagem cultural.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

André Munhoz de Argollo Ferrão, Universidade Estadual de Campinas

Engenheiro Civil, Arquiteto e Urbanista. Professor Livre Docente do Departamento de Recursos Hídricos da Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo da Universidade Estadual de Campinas. Doutor em Arquitetura e Urbanismo, Mestre em Engenharia Agrícola. Curso de Especialização em Economia de Empresas. Coordenador do Laboratório de Engenharia de Empreendimentos [Labore/Unicamp].

Referências

ALTIERI, M. (1998). Agroecologia: a dinâmica produtiva da agricultura sustentável. Porto Alegre: Ed. UFRGS.

ARAUJO, N. B., WEDEKIN, I., & PINAZZA, L. A. (1990). Complexo agro-industrial: o agribusiness brasileiro. São Paulo: Agroceres.

ARGOLLO FERRÃO, A. M. de (2003). Arquitetura agrícola dentro do contexto das construções rurais. In W. J. Freire, & A. L. Beraldo (Orgs.) Materiais alternativos e tecnologias apropriadas (Cap. 3, pp. 65-92). Campinas: Editora da Unicamp.

ARGOLLO FERRÃO, A. M. de (2007). Arquitetura Rural e o espaço não-urbano. Labor & Engenho 1 (1), 89-112. Disponível em http://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/labore/article/view/233 — Acesso em: 28 jan. 2016.

ARGOLLO FERRÃO, A. M. de (2015). Arquitetura do café (2a ed.). Campinas: Editora da Unicamp. (Obra original publicada em 2004).

ARGOLLO FERRÃO, A. M. de, & FERRÃO NETTO, V. A. A. (1994). O Complexo da Construção Civil: uma visão sistêmica para orientar a programação das atividades dos profissionais de engenharia agrícola [SBEA: nº.94-8-256]. Congresso Brasileiro de Engenharia Agrícola, Campinas, SP, Brasil, 23.

D'AMBROSIO, U. (1997). Transdisciplinaridade. São Paulo: Palas Athena.

FREYRE, G. (1987). Homens, engenharias e rumos sociais. Rio de Janeiro: Record.

FREYRE, G. (2003). Casa Grande & Senzala. Formação da família brasileira sob o regime da economia patriarcal (48a ed., rev.). São Paulo: Global, 2003. (Obra original publicada em 1933).

GOODMANN, D., SORJ, B., & WILKINSON, J. (1990). Da lavoura às biotecnologias: agricultura e indústria no sistema internacional. Rio de Janeiro: Campus.

HOLANDA, S. B. de (1995). Raízes do Brasil (26a ed.). São Paulo: Companhia das Letras. (Obra original publicada em 1936).

LIFSCHITZ, J., & PROCHNIK, V. (1991). Observações sobre o conceito de complexo industrial (Texto para discussão, n. 260). Rio de Janeiro: UFRJ-IEI.

MARIOTTI, H. (2000). As paixões do ego: complexidade, política e solidariedade. São Paulo: Palas Athena.

MORIN, E. (2005). O Método (6 Tomos). Porto Alegre: Editora Sulina. (Obras originais publicadas de 1977 a 2004).

PRADO Jr., C. (2000). Formação do Brasil contemporâneo : Colônia (Coleção Grandes nomes do pensamento brasileiro). São Paulo: Brasiliense; Publifolha. (Obra original publicada em 1942).

ROYSEN, R. (2013). Ecovilas e a construção de uma cultura alternativa. Dissertação de Mestrado, Universidade de São Paulo, Instituto de Psicologia, São Paulo, SP, Brasil.

SABATÉ BEL, J., & SCHUSTER, J. M. (Eds.) (2001). Projectant l'eix del Llobregat, Paisatge cultural i desenvolupament regional — Designing the Llobregat Corridor, Cultural landscape and regional development. Barcelona: Universitat Politècnica de Catalunya; Massachusetts Institute of Technology.

SABATÉ BEL, J., FRENCHMAN, D., & SCHUSTER, J. M. (Eds.) (2004). Llocs amb esdeveniments — Event places. Barcelona: Universitat Politècnica de Catalunya; Massachusetts Institute of Technology.

SANTOS, M. (1996). A natureza do espaço. São Paulo: Hucitec.

SANTOS, M. (1992). Espaço & Método (3a ed.). São Paulo: Hucitec. (Obra original publicada em 1985).

SANTOS, M. (1990). Por uma geografia nova (3a. ed.). São Paulo: Hucitec. (Obra original publicada em 1978).

SILVA, J. G. da. (1996). A nova dinâmica da agricultura brasileira. Campinas : Unicamp-IE.

SILVA, J. G. da. (2002). O novo rural brasileiro. Campinas: Unicamp-IE.

TULIK, O. (2003). Turismo Rural. São Paulo: Aleph.

Downloads

Publicado

2016-06-30

Como Citar

ARGOLLO FERRÃO, A. M. de. Cidades e territórios sustentáveis, paisagens culturais e desenvolvimento regional: proposta de um modelo processual. Labor e Engenho, Campinas, SP, v. 10, n. 2, p. 170-179, 2016. DOI: 10.20396/labore.v10i2.8646238. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/labore/article/view/8646238. Acesso em: 24 nov. 2020.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 > >>