Gestão compartilhada no Parque Nacional da Serra do Divisor, Acre: desafios e oportunidades

  • Ayri Saraiva Rando Universidade Estadual de Campinas
  • Alisson Sobrinho Maranho Associação SOS Amazonia
  • Miguel Scarcello Associação SOS Amazonia
Palavras-chave: Unidade de conservação. Recursos investidos. Gestão compartilhada.

Resumo

A gestão de unidades de conservação é de extrema relevância ao desenvolvimento regional da Amazônia, somando-se os desafios da economia extrativa, das grandes obras de infraestrutura e os possíveis efeitos das mudanças climáticas. O baixo nível de implementação das unidades de conservação no Brasil, aliado à baixa ou média efetividade da gestão nas mesmas indicam a necessidade de mudanças na forma de gerir tais áreas protegidas. Este artigo analisa a gestão compartilhada como alternativa à elevação desta efetividade no Parque Nacional da Serra do Divisor, Acre. O mesmo utiliza-se da pesquisa bibliográfica e do levantamento documental.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ayri Saraiva Rando, Universidade Estadual de Campinas
Engenheiro Ambiental, Mestre em Desenvolvimento Regional
Alisson Sobrinho Maranho, Associação SOS Amazonia
Mestre em Ecologia em Manejo dos Recursos Naturais pela Universidade Federal do Acre, Engenheiro Florestal Coordenador de Projeto da Associação Sos Amazonia
Miguel Scarcello, Associação SOS Amazonia

Mestre em Ciência Ambiental pela Universidade Federal Fluminense, Licenciado em Geografia Secretário geral da Associação Sos Amazonia

Referências

Acre (2001). Lei No 1.426, de 27 de dezembro de 2001, que dispõe sobre a preservação e conservação das florestas do Estado, institui o Sistema Estadual de Áreas Naturais Protegidas, cria o Conselho Florestal Estadual e o Fundo Estadual de Florestas e dá outras providências. Acre: Diário Oficial.

Acre (2013). Acre em números 2013. Rio Branco [AC]: Secretaria de Estado de Planejamento. Araújo, E., Barreto, P., Baima, S., & Gomes, M. (2016). Quais os planos para proteger as unidades de conservação vulneráveis da Amazônia? (36 p.). Belém [PA]: Imazon.

Araújo, E., Barreto, P., & Martins, H. (2015). Áreas protegidas críticas na Amazônia no período de 2012 a 2014. (20 p.). Belém [PA]: Imazon.

Associação SOS Amazônia, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis, & The Nature Conservancy (1998). Plano de manejo do Parque Nacional da Serra do Divisor, Acre – Brasil. Rio Branco [AC]: SOS Amazônia.

Brasil (1989). Decreto No 97.839, de 16 de junho de 1989, cria o Parque Nacional da Serra do Divisor.

Brasil (2002). Decreto No 4.340, de 22 de agosto de 2002, regulamenta artigos da Lei no 9.985, de 18 de julho de 2000, que dispõe sobre o Sistema Nacional de unidades de Conservação da Natureza – SNUC, e dá outras providências.

Brasil (2000). Lei No 9.985, de 18 de julho de 2000, que regulamenta o art. 225, § 1o, incisos I, II, III e VII, da Constituição Federal, institui o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza.

Brasil (2012). Lei No 12.651, de 25 de maio de 2012, dispõe sobre a proteção da vegetação nativa, altera as Leis nos 6.938, de 31 de agosto de 1981, 9.393, de 19 de dezembro de 1996, e 11.428, de 22 de dezembro de 2006; revoga as Leis nos 4.771, de 15 de setembro de 1965, e 7.754, de 14 de abril de 1989, e a Medida Provisória no 2.166-67, de 24 de agosto de 2001.

Instituto Brasileiro de Geograia e Estatística (2009). Uso da terra e a gestão do território no estado do Acre (Relatório Técnico). Rio de Janeiro [RJ]: IBGE.

Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável do Amazonas (2009). Os caminhos da co-gestão nas unidades de conservação no Amazonas. Anais do Congresso Brasileiro de Unidades de Conservação, Curitiba, PR, Brasil, 6. (Mesa Redonda).

Koury, C. G., & Guimarães, E. R. (2012). O desafio da gestão participativa, oportunidades, a experiência na RDS Uatumã. Manaus [AM]: Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável do Amazonas.

Loureiro, C. F., Azaziel, M., Franca, N., Brasileiro, R. F., Mussi, S. M., Lafaille, T. M. S., & Leal, W. O. (2008). Educação ambiental e gestão participativa em unidades de conservação. Rio de Janeiro [RJ]: Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis.

Malheiros, H., Caldeira, G., & Mafra, T. (s.d.). Gestão participativa na APA de Guaraqueçaba. Nazaré Paulista [SP]: Instituto de Pesquisas Ecológicas.

Medeiros, R., Young, C. E. F., Pavese, H. B., & Araújo, F. F. S. (2011). Contribuição das unidades de conservação brasileiras para a economia nacional (Sumário Executivo). Brasília [DF]: UNEP-WCMC.

Oliveira, W. de (2013). Auditoria coordenada em unidades de conservação no bioma Amazônia. Brasília [DF]: Tribunal de Contas da União.

Pádua, M.T.J. (2000). Efetividade das políticas de conservação da biodiversidade. Anais do Congresso Brasileiro de Unidades de Conservação (pp. 104-117), Campo Grande, MS, Brasil, 2.

Santos, S. (2016). Dados para artigo [mensagem pessoal]. Mensagem recebida por cidalopes.34@gmail.com em 23 ago. 2016.

WWF Brasil, & Instituto de Pesquisas Ecológicas (2012). Gestão de unidades de conservação: compartilhando uma experiência de capacitação. Brasília [DF]: WWF Brasil e IPÊ.

WWF Brasil, Secretaria de Estado de Meio Ambiente do Acre, Secretaria de Estado de Floresta do Acre, & Insti-Tuto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (2009). Efetividade de gestão das unidades de conservação no Estado do Acre. Brasília [DF]: WWF Brasil.

Zoneamento Ecológico e Econômico do Acre, & Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (s. d.). 1 mapa de localização do Parque Nacional da Serra do Divisor elaborado por Tayla da Silva Maia com o uso do ArGis 10.2. Escala: 1:4.500.000. Camada base do ESRI World Imagery. Acesso em: 08 mai. 2015.

Publicado
2017-03-31
Como Citar
Rando, A. S., Maranho, A. S., & Scarcello, M. (2017). Gestão compartilhada no Parque Nacional da Serra do Divisor, Acre: desafios e oportunidades. Labor E Engenho, 11(1), 5-17. https://doi.org/10.20396/labore.v11i1.8647388
Seção
Artigos