Análise da produção de biogás sob diferentes cenários de gerenciamento de resíduos sólidos no município de Inconfidentes – MG

Palavras-chave: Manejo. Sustentabilidade. Disposição Final.

Resumo

A preocupação com os impactos negativos causados pela disposição inadequada dos resíduos sólidos tem crescido, principalmente no que se refere a sua influência sobre a atmosfera. O presente estudo teve como objetivo analisar a emissão de gases do efeito estufa sob diferentes cenários de gerenciamento de resíduos sólidos urbanos do município de Inconfidentes – MG, considerando os aspectos de crescimento populacional em um período de 30 anos, utilizando como ferramenta a planilha Warm. Após a análise dos dados obtidos foi possível constatar que a emissão de gases de efeito estufa são constantes, e são acrescidas com o aumento da geração de resíduos sólidos. Quantos aos cenários propostos observou-se que os mesmos não foram capazes de reduzir a emissão de gases, bem como tiveram o uso energético aumentado. Contudo, devem-se analisar outros fatores que estão associados ao manejo do cenário referência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Letícia de Alcântara Moreira, Universidade Federal de Itajubá

Graduada em Tecnologia em Gestão Ambiental. Mestrando em Meio Ambiente e Recursos Hidricos.

Thaís Aparecida Costa da Silva, Instituto Federal do Sul de Minas

Professora do Professora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas – Câmpus Inconfidentes.

Regina Mambeli Barros, Universidade Federal de Itajubá
Professora Doutoran da Universidade Federal de Itajubá-MG 

Referências

AUGUSTO, M. et al. Gestão de Resíduos Sólidos do Consórcio Zona da Mata e Estimativa do Potencial de Aproveitamento Energético do Biogás na Região. Revista Brasileira de Energias Renováveis, Itajubá, p.392-406, 2016.

BRASIL; Lei Federal nº12. 305 de 2 de Agosto de 2010; Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a Lei no 9.605, de 12 de fevereiro de 1998 e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-010/2010/lei/l12305.htm Acesso em: 03 dez. 2016.

DIAS COSTA, A. M. et al. Dimensionamento de Diferentes Cenários na Destinação de Resíduos Sólidos no Aterro Sanitário– CPGRS. Revista Brasileira de Energias Renováveis, v.5, n.3, p.343-355, 2016.

FEAM, Fundação Estadual de Meio Ambiente. Inventário Sobre a destinação Final de resíduos Sólidos (2013): Minas sem Lixões. 2013. Disponível em: http://www.feam.br/images/stories/minas_sem_lixoes/2013/novo/rsu_2012_final_300dpi.pdf.. Acesso em: 04 dez. 2016.

GUERRERO, L. A.; MAAS, G.; HOGLAND, W. Solid waste management challenges for cities in developing countries. Waste Management, [s.l.], v. 33, n. 1, p.220-232, jan. 2013. Elsevier BV. http://dx.doi.org/10.1016/j.wasman.2012.09.008.

IBGE. Minas Gerais- Inconfidentes: Informações completas. 2010. Disponível em: http://cod.ibge.gov.br/G2H. Acesso em: 03 dez. 2016.

LANDIM, A. L. P. F.; AZEVEDO, L. P. de. O aproveitamento energético do biogás em aterros sanitários: unindo o inútil ao sustentável. 27. ed. Rio de Janeiro: Bndes Setorial, 2008. 42 p. Disponível em: http://www.bndes.gov.br/SiteBNDES/bndes/bndes_pt/Galerias/Convivencia/Publicacoes/Consulta_Expressa/Setor/Meio_Ambiente/200803_2.html. Acesso em: 05 dez. 2016.

SILVA, L. O. et al. Análise de viabilidade do aproveitamento energético do gás de aterro para a cidade de Cruzeiro [SP]. Labor e Engenho, [s.l.], v. 10, n. 1, p.07-16, 18 mar. 2016. Universidade Estadual de Campinas. http://dx.doi.org/10.20396/lobore.v10i1.8641867.

SILVA, C. B. da; LIPORONE, F. Deposição irregular de resíduos sólidos domésticos em Uberlândia: Algumas considerações. Observatorium: Revista Eletrônica de Geografia, Uberlândia, MG, v. 2, n. 6, p.22-35, abr. 2011. Disponível em: http://www.observatorium.ig.ufu.br/pdfs/2edicao/n6/3.pdf. Acesso em: 01 dez. 2016

Publicado
2017-03-31
Como Citar
Moreira, L. de A., Silva, T. A. C. da, & Barros, R. M. (2017). Análise da produção de biogás sob diferentes cenários de gerenciamento de resíduos sólidos no município de Inconfidentes – MG. Labor E Engenho, 11(1), 30-36. https://doi.org/10.20396/labore.v11i1.8647872
Seção
Artigos