Operadores de caldeira à lenha e a exposição ao calor

Palavras-chave: Exposição ao calor. Ambiente do trabalho. Caldeira à lenha.

Resumo

Este artigo apresenta uma análise da exposição ao calor do trabalho no setor de caldeira à lenha de uma empresa do setor industrial, com foco na análise da carga ambiental da atividade. Para tanto, os procedimentos metodológicos consistiram na análise documental, entrevistas, filmagens, avaliação de problemas dos efeitos do ambiente quente e sua prevenção. Os resultados mostram que os operadores de caldeiras à lenha estão expostos ao calor e precisam de orientações sobre suas atividades diárias com prevenções de doenças afetadas pelo excesso de calor. Também são sugeridos treinamentos na área técnica e de saúde para melhoria das condições de trabalho e da saúde do operador.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vilson Bernardo Stollmeier, Faculdade de Tecnologia
Possui Graduação em Engenharia Industrial Mecânica pela Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (1992), Especialização de Gerência em Produção pela Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (1997), Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho pela Universidade de Cuiabá (2016) e Mestrado em Projeto de Produto pela Universidade Federal de Santa Maria (2003). Sócio proprietário da Empresa Ambientec Serviços de Engenharia Ltda. Foi Coordenador e Professor de Pós Graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho e na Graduação com os Cursos de Engenharia Civil e Engenharia de Produção na Universidade de Cuiabá - UNIC - Rondonópolis - MT. Atuou como Coordenador e Professor do Curso de Pós Graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho e na Graduação com os Cursos de Engenharia da Produção e Arquitetura e Urbanismo da UNIC - Primavera do Leste - MT e foi Professor dos Cursos Técnicos em Eletromecânica e em Eletrotécnica do Instituto Federal de Educação do Mato Grosso - Primavera do Leste - MT. Atua como Instrutor de Formação Profissional na Faculdade de Tecnologia SENAI Mato Grosso (FATEC) de Cuiabá - MT. Tem experiência em Consultorias na área de Engenharia de Produção, com ênfase em processos, atuando principalmente nos seguintes temas: Gestão, Meio Ambiente, Diretrizes e Procedimentos na Organização, Qualidade e Gestão de Negócios.
Ivan de Oliveira, Universidade de Cuiabá

Docente do Curso de Pós-Graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho das Faculdades Integradas de Rondonópolis, Universidade de Cuiabá. Rondonópolis [MT] Brasil

Referências

AMERICAN COLLEGE OF SPORTS MEDICINE. ACSM.s health/fitnes facilitys tandards and guidelines. 2. ed. Champaign: Human kinetics, 1997.

ARAÚJO, J. L. Operação, controle e manutenção de caldeiras: curso básico. Rio de Janeiro: Cebrae/Ceag, 1980.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 5413: Iluminância de Interiores. Rio de Janeiro, 1992.

BARAZZUTTI, L. Laudo de Avaliação de Exposição ao Calor em Ambiente de Trabalho. Porto Alegre, 2008.

BRASIL. Ministério do Trabalho. Secretaria de Segurança e Saúde no Trabalho. Norma Regulamentadora n.º 13. Brasília, DOU, 1995. Disponível em: Acesso em: 21 Abr. 2009.

BRASIL. Norma Regulamentadora n.º 15. Brasília, DOU, 1978. Disponível em: Acesso em: 21 Abr. 2009.

BRASIL. Norma Regulamentadora n.º 06. Brasília, DOU, 1978. Disponível em: Acesso em: 10 Set. 2010.

COSTA, E. Q. et al. Ambiente Térmico quente e seu Impacto na Produtividade e Sinistralidade. Porto, Portugal: LAETA/FEUP, 2011.

CRUZ VERMELHA PORTUGUESA. Manual de Socorrismo. Nem Martins: Editorial do Ministério da Educação, 1999.

GOULART E SILVA, D. V.; AGUIAR, F. de; MOREIRA, I. S. Estudo da Metodologia para Avaliação, Caracterização, Medição e Controle da Exposição Ocupacional ao Calor. São Paulo: UNESP, 2010.

IIDA, I. Ergonomia: Projeto e Produção. 2.ed. São Paulo: Edgard Blücher, 2005.

INFOSEG EDIÇÃO 10. Publicação periódica de circulação dirigida da Racco Equipamentos Ltda. Disponível em: www.racconet.com.br.

LAMBERTS, R. Conforto e Stress Térmico. Florianópolis: Editora UFSC, 2012.

QUEIROZ. T. C. F de; BASTOS, L. E. G. Riscos de Exposição ao Calor e Circulação de Poluentes em Ambiente de Trabalho Industrial: método de análise em oficina de fundição Naval. Rio de Janeiro, DARF/FAU/ UFRJ, 2005.

ROSA, L. Operadores de Caldeira à Lenha e Carga de Trabalho. Porto Alegre: Editora UFRGS, 2009.

RUAS, A. C. Conforto Térmico em Ambientes de Trabalho. Campinas: FUNDACENTRO, 1999.

SENA, P. Os Efeitos do Ambiente sobre o Corpo Humano. Rio de Janeiro, 2004.

SOARES, Rosa; SERRA, Lidia; ALMEIDA, Carla. Saúde e Socorrismo 12 (Curso Tecnológico de Acção Social 12ºAno). Porto Editora, 2007, p. 90-91.

TAVARES, M. Exposição Ocupacional às Temperaturas Extremas. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2009.

WOODSON, W. Human factors design handbook. New York: McGraw-Hill, 1981.

Publicado
2017-12-26
Como Citar
Stollmeier, V. B., & Oliveira, I. de. (2017). Operadores de caldeira à lenha e a exposição ao calor. Labor E Engenho, 11(4), 520-529. https://doi.org/10.20396/labore.v11i4.8649201
Seção
Artigos