Cidades saudáveis, estratégias e desafios em novos tempos

Palavras-chave: Cidades saudáveis. Estratégias. Promoção da saúde. Desigualdade.

Resumo

Neste artigo apresentamos uma estratégia de desenvolvimento local - Cidades Saudáveis que tem sido praticada em alguns municípios  e regiões do país, desde os anos de 1990.  O objetivo é apresentar um modelo de desenvolvimento local – Cidades Saudáveis que já tem sido assumido por vários municípios do país desde 1990, que associado a novas agendas com as quais o país tem se comprometido, possa ajudar o país a superar a crise política, econômica e de valores que está vivendo, enfrentar o processo de urbanização crescente e superar as crescentes inequidades que tem dificultado a vida da população que ocupa e trabalha nas grandes, médias e pequenas cidades. O movimento por Cidades Saudáveis tem sido fomentado e experimentado no país desde finais da década de 80, com sucesso em algumas regiões do país. O modelo é reapresentado, com todas as suas caraterísticas e aventada a possibilidade de formar redes de municípios, que se ajudem mutuamente e deem força a novos projetos. Novas agendas da Organização das Nações Unidas, como os Objetivos do Desenvolvimento do Milênio, com a qual o Governo Brasileiro esteve comprometido e que foi finalizada com êxito em 2014, envolveu municípios brasileiros como um compromisso local e do país e seus indicadores serviram como base para avaliação de projetos de Cidades Saudáveis e Agenda 21 ao seu final. Agora nova agenda e novo compromisso com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentado, foram assumidos pelo país que se comprometeu a atingir metas até 2030. Mais de 200 prefeitos, indicados pela Associação dos Prefeitos, já assinaram um termo de compromisso da sua administração com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentado, incluindo-se entre os municípios inseridos no programa de Cidades Sustentáveis. Nesta época de mudanças esse artigo pode ajudar os interessados a encontrar novos apoios teórico práticos para encontrar novos rumos para o desenvolvimento de agendas que indiquem caminhos para diminuir as iniquidades e melhorar a qualidade de vida e saúde da população.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcia Faria Westphal, Universidade de São Paulo

Professora Titular Sênior, Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo, Pesquisadora do Centro de Estudos, Pesquisa e Documentação em Cidades Saudáveis (CEPEDOC).

Referências

Agência Brasil (2017). Desigualdade na América Latina segue em ritmo muito alto, diz Cepal. Disponível em: http://agenciabrasil.ebc.com.br/internacional/noticia/2017-05/desigualdade-na-america-latina-segue- em-ritmo-muito-alto-diz-cepal. Acesso em 27 set. 2018.

Agenda 2030. Disponível em: https://nacaesunidas.org/pos2015/agenda2030. Acesso em 27 set. 2018.

Brasil, Ministério da Saúde. (2002). Secretaria de Políticas de Saúde. Projeto Promoção da Saúde. As Cartas da Promoção da Saúde/ Ministério da Saúde, Secretaria de Políticas de Saúde, Projeto Promoção da Saúde – Brasilia: Ministério da Saúde.

Bogus, C. M., & Westphal, M. F. (2014). Participação social e cidadania em movimentos por cidades saudáveis In: J.C.A. Fernandes, & R. Mendes. Promoção da Saúde e Gestão Local (2a. ed.). São Paulo: Hucitec, Cepedoc Cidades Saudáveis.

Buss, P. M., & Pellegrini Filho, A. A. (2007). Saúde e seus determinantes sociais physis: Saude Coletiva, Rio de Janeiro, 17(1):77-93.

Duarte, M. F. (2006) Agendas sociais brasileiras de desenvolvimento local: possibilidades de diálogo, articulações e de convergência. Dissertação de mestrado apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Saúde Pública da Universidade de São Paulo. São Paulo, SP, Brasil.

Malta, D. C. et al. (2016). Política Nacional de Promoção da Saúde (PNPS): capítulos de uma caminhada ainda em construção. Ciência Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, 21(6) pp. 1683-1694.

Minowa, E. et al. (2017) Contribuição das universidades na revisão da Política Nacional de Promoção da Saúde: Saude Soc., São Paulo 26(4): 973-986.

Programa Cidades Sustentáveis (2012). Programas Cidades Sustentáveis (5a. ed.). Recuperado de: http:// fm.usp.br/biblioteca/conteudo/biblioteca_229_publicacao-programa-cidades-sustentaveis.pdf.

Westphal, M. F., Mendes, R., & Comaru, F. A. (2006). A Promoção da saúde e as cidades. In: A. Castro, & M. Malo. SUS: Ressignificando a Promoção da Saúde (pp. 133 a 151). São Paulo: Hucitec, OPAS.

Westphal, M. F., & Oliveira, S. C. (2017). Mobilidade, equidade e Promoção da Saúde na cidade. In: B.R. Soares et al.. Construindo Cidades Saudáveis: utopias e práticas (MG). Uberlândia: Assis Editora.

Westphal, M. F. (2007). Equidade no acesso e cidades saudáveis. In: J. Marcovitch (org.). Crescimento Econômico e distribuição da renda: prioridades para a ação (pp. 89-106). São Paulo: Edusp, Editora Senac São Paulo.

Westphal, M. F., & Oliveira, S. C. (2015). Cidades Saudáveis: uma forma de abordagem ou uma estratégia de ação em Saúde urbana? Revista da Usp, 107: 91-104, outubro/novembro/dezembro.

Westphal, M. F., Fernandez,J. C., & Nascimento, P. R. (2013). Práticas democráticas participativas na construção de agendas sociais de desenvolvimento em municípios do sudeste brasileiro. Ambiente & Sociedade, São Paulo 12(2):103-128, abr./jun.

Westphal, M. F., Zioni, F., Almeida, M. F., & Nascimento, P. R. (2011). Monitoring Millenium development goals in Brazilian Municipalities: Challenges to be et in facing up to inequities. Cad Saúde Pública, Rio de Janeior, 27sup S155-S163, 2011.

Westphal, M. F., Franceschini, M. C., & Setti A. F. F. (2018) How can Healthy Municipalities, cities and Communities Strategy advance Sustainable Development Goals Agenda? Lessons from Agenda 21 and the MDGs in Brazil. In: U. Azeiteiro, M. Akerman, W. Leal Filho, A. Setti, & L. Brandli (eds.). Lifelong learning and Education in Healthy and Sustainable cities (pp. 265-272). World Sustentability Series. Springes, Cham.

Wikipedia (2018). Produto Interno Bruto do Brasil. https://pt.wikipedia.org/wiki/ Produto_interno_bruto_do_Brasil#cite_note-30. Acesso em 13 dez. 2018.

Whitehead, M. (1990). The concepts and principles of Equity anda Health. Copenhagem: World Health Organization.

World Health Organization — WHO (2011). Declaração Política do Rio sobre Determinantes Sociais da Saúde. In: World Conference on Social Determinants of Health. Rio de Janeiro: WHO, 2011. Disponível em: https://www.who.int/sdhconference/declaration/Rio_political_declaration_portuguese.pdf. Acesso em 30 set. 2018.

Publicado
2018-12-30
Como Citar
Westphal, M. F. (2018). Cidades saudáveis, estratégias e desafios em novos tempos. Labor E Engenho, 12(4), 472-481. https://doi.org/10.20396/labore.v12i4.8654315
Seção
Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)