Análise de sistemas de microdrenagem: as built e as possíveis interferências em áreas urbanas

Palavras-chave: Manejo de águas pluviais, Interferências, Cadastro, Manutenção de redes.

Resumo

O dimensionamento adequado dos sistemas de drenagem e consequente manutenção preventiva são de suma importância para mitigar os impactos negativos advindos de eventos de chuvas intensas, principalmente sobre áreas urbanas consolidadas. É fundamental que o dimensionamento das galerias de águas pluviais atenda aos critérios e parâmetros estabelecidos em manuais e instruções técnicas, de forma a garantir seu bom funcionamento, bem como o atendimento à programação de manutenção preventiva e à pesquisa de possíveis interferências de redes de concessionárias com o sistema de drenagem urbana. O presente artigo tem como proposta discorrer sobre a importância de um cadastro fidedigno visando análise hidráulica e consequente desempenho de sistemas de microdrenagem, além do planejamento de execução da manutenção preventiva e da avaliação de possíveis interferências das redes de concessionárias com as galerias de águas pluviais. Em um estudo de caso, foi verificada a atual suficiência hidráulica da rede de microdrenagem de um condomínio situado no bairro de Realengo, zona oeste da cidade do Rio de Janeiro, e analisadas possíveis interferências da rede de esgotamento sanitário do condomínio sobre o sistema pluvial implantado. Não foram identificadas interferências da rede de esgoto sobre a rede de drenagem e, para um tempo de recorrência de 10 anos, o sistema de microdrenagem funciona como conduto livre, com vazão de 202,7 L/s no trecho correspondente ao deságue no rio Piraquara.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Georgia Dutra de Oliveira Bonavita, Universidade Federal Fluminense

Graduação em Engenharia de Recursos Hídricos e do Meio Ambiente pela Universidade Federal Fluminense.

Paulo Luiz da Fonseca, Universidade Federal Fluminense

Doutorado em Engenharia Civil pela Universidade Federal Fluminense. Engenheiro Civil da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Fundação RIOÁGUAS.

Referências

ABNT NBR 12586, de 30 de abril de 1992. Cadastro de sistema de abastecimento de água – procedimento. São Paulo: Associação Brasileira de Normas Técnicas.

ABNT NBR 12587, de 30 de abril de 1992. Cadastro de sistema de esgotamento sanitário – procedimento. São Paulo: Associação Brasileira de Normas Técnicas.

Bezerra, F.A.C. (2008). Interferências com o sistema de drenagem urbana e outras redes de serviços urbanos. In: V. M. Zanta (Coord.). Esgotamento sanitário: projetos e construção de sistemas de esgotamento sanitário: guia do profissional em treinamento: nível 2. Salvador: ReCesa.

Bonavita, G.D.O. (2018). Microdrenagem em áreas urbanas - uma abordagem sistêmica com estudo de caso em área da cidade do rio de janeiro (Trabalho de conclusão de curso). Escola de Engenharia, Universidade Federal Fluminense, Niterói, RJ, Brasil.

Cabral, J.J.S.P, Cartaxo, A.L., Antonio, A.C.D., Borba, B.F.L, Fº & Santos, L.L. (2009). Microrreservatório de dentenção em logradouro público. In: A.M. Righetto (Coord.). Manejo de águas pluviais urbanas (pp. 256 - 286). Rio de Janeiro: ABES. Recuperado de: https://www.finep.gov.br/images/apoio-e-financiamento/historico-de-programas/prosab/prosab5_tema_4.pdf.

Fundação Instituto das Águas do Município do Rio de Janeiro- Rio-Águas. (2010). Instruções Técnicas para Elaboração de Estudos Hidrológicos e Dimensionamento Hidráulico de Sistemas de Drenagem Urbana. Rio de Janeiro.

Fundação Instituto das Águas do Município do Rio de Janeiro – Rio-Águas. (2018). Acervo Técnico.

Lei nº 11.445, de 5 de janeiro de 2007. Estabelece diretrizes nacionais para o saneamento básico; altera as Leis nº 6.766, de 19 de dezembro de 1979, 8.036, de 11 de maio de 1990, 8.666, de 21 de junho de 1993, 8.987, de 13 de fevereiro de 1995; revoga a Lei nº 6.528, de 11 de maio de 1978; e dá outras providências. Recuperado de: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/Lei/L11445.htm

Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993. Regulamenta o art. 37, inciso XXI, da Constituição Federal, institui normas para licitações e contratos da Administração Pública e dá outras providências. Recuperado de: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L8666cons.htm.

Rocco, J. (2006). Métodos e procedimentos para a execução e o georreferenciamento de redes subterrâneas da infra-estrutura urbana (Dissertação de Mestrado). Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil. Recuperado de: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/3/3138/tde-19042007-162037/publico/DissertacaoJeffersonRocco.pdf.

Stuchi, E.T. (2005). Interferências de obras de serviços de água e esgoto sobre o desempenho de pavimentos urbanos (Dissertação de Mestrado). Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo, São Carlos, SP, Brasil. Recuperado de: http://livros01.livrosgratis.com.br/cp034462.pdf

Publicado
2019-09-25
Como Citar
Bonavita, G. D. de O., & Fonseca, P. L. da. (2019). Análise de sistemas de microdrenagem: as built e as possíveis interferências em áreas urbanas. Labor E Engenho, 13, e019007. https://doi.org/10.20396/labore.v13i0.8655745
Seção
Artigos