O patrimônio edificado e urbanístico do plano piloto de Brasília [DF]

documentação, valorização e resgate por meio dos ‘sketches’

Autores

Palavras-chave:

Patrimônio edificado, Brasília, Documentação, Valorização, Sketches, Patrimônio urbanístico

Resumo

Brasília foi construída para ser a Nova Capital, com a saga de sua construção, a cidade e sua arquitetura cresce e se desenvolve cheia de simbolismos, históricos e afetivos, apesar de sua história recente. Para a arquitetura e o urbanismo, a singularidade de Brasília a fez entrar para Lista de patrimônios da humanidade da UNESCO. Mas como se apropriar e pertencer à uma cidade com história tão recente por meio dos sketches? Objetiva-se neste artigo apresentar um roteiro da documentação e valorização do patrimônio em Brasília por meio da prática do grupo Urban Sketchers Brasília/DF. Dessa forma, procede-se o levantamento do referencial teórico referente e a documentação e valorização do patrimônio em Brasília por meio do grupo, apresentação dos resultados, discussões e conclusão. Observa-se que o grupo de desenho tem contribuído para a apropriação da cidade e a criação da noção de pertencimento, o que permite concluir que o objetivo foi atingido e que devido à constância e atuação do grupo, seus desenhistas conseguiram explorar Brasília e o Distrito Federal, se apropriando da cidade por meio da documentação aparente dos sketches, conhecendo mais a cidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luana Miranda Esper Kallas, Universidade Federal de Goiás

Doutora em Arquitetura e Urbanismo. Professora Adjunta da Faculdade de Artes Visuais, no Curso de Arquitetura e Urbanismo e no Programa de Pós-graduação Projeto e Cidade da Universidade Federal de Goiás.

Eliel Américo Santana da Silva, Universidade de Brasília

Doutor em Urbanismo. Professor Adjunto da Universidade de Brasília.

Juan Carlos Guillen-Salas, Universidade de Brasília

Doutor em Arquitetura e Urbanismo. Pesquisador do Laboratório de Fabricação Digital e Customização em Massa da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de Brasília.

Referências

Associação Nacional dos Funcionários do Banco do Brasil [ANABB] (2015). BB desocupa o Edifício Sede I em Brasília. 13.03.2015. Disponível em: https://www2.anabb.org.br/Portal/Noticia/Visualizar/97004/BB-desocupa-o-Edificio-Sede-I-em-Brasilia Acesso 15 nov. 2020.

Brasília (1960). Revista da Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil. Número especial de 21.04.1960. Ano 4. Nº 40.

Caixeta, E. M. M. P (2012). Brasília: a cidade dos desejos – reflexões acerca das cidades projetadas por Carmen Portinho e Lúcio Costa. Visualidades, 4 (1) e (2). DOI 10.5216/vis.v4i1ei2.18006.

Catetinho: o Palácio de tábuas (s/d). Distrito Federal: its – Instituo terceiro setor. Secretaria de Estado de cultura do DF. Sem data.

Choay, F. (1999). Alegoria do Patrimônio (Trad., Teresa Castro) (70 Arte e Comunicação). Lisboa: Edições 70.

Costa, L. (1957). Relatório do Plano Piloto de Brasília. Módulo, n. 8, pp. 33-48.

Costa, M. E. (2001). Com a palavra, Lucio Costa. Roteiro e seleção de textos Maria Elisa Costa. Rio de Janeiro: Aeroplano, 2001.

Xavier, A. (Org.) (2007). Lúcio Costa: Sôbre arquitetura [sic] (coord. por Anna Paula Canez). Porto Alegre: UniRitter.

Cruls, L. (Chefe da Commissão Exploradora do Planalto Central do Brazil) (1894). Relatorio da Commissão Exploradora do Planalto Central do Brazil apresentado ao S. Ex. Ministro da Industria, Viação e Obras Públicas. Rio de Janeiro: H. Lomdaerts & C., Impressores do Odservatorio. Disponível: http://www2.senado.leg.br/bdsf/handle/id/182911. Acesso 12 nov. 2020.

Distrito Federal. Agência Brasília. Secretaria de Estado de Desenvolvimento Urbano e Habitação do Distrito Federal (Comp.) (2015). Começa a desocupação da orla do Lago Paranoá. 2015. Fonte: Agência Brasília. Disponível em: http://www.seduh.df.gov.br/comeca-a-desocupacao-da-orla-do-lago-paranoa/. Acesso 16 nov. 2020.

Ferreira, A. B. de H. (2020). Mini Aurélio: o dicionário da língua portuguesa. Curitiba: Editora Positivo.

Ferreira, M. M., & Gorovitz, M. (2010). A invenção da Superquadra: o conceito da Unidade de Vizinhança em Brasília (Série: 2010 – Brasília 50 anos). Brasília: Superintendência do IPHAN no Distrito Federal.

Gabriele, M. C. F. L. (2012). Musealização do Patrimônio Arquitetônico: inclusão social, identidade e cidadania. museu vivo da memória candanga. 2012. 282 f. Tese (Doutorado) – Curso de Museologia, Departamento de Museologia, Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, Lisboa, 2012. Disponível em: http://www.museologia-portugal.net/files/upload/doutoramentos/cecilia_gabrille_tese.pdf. Acesso 13 nov. 2020.

Governo do Distrito Federal (1985). Decreto nº 9.036, de 13 de novembro de 1985. Dispõe sobre o tombamento do conjunto do Hospital JUSCELINO KUBITSCHEK DE OLIVEIRA – HJKO e dá outras providências. Lex: Decreto distrital. 217. ed. Brasília, DF: DODF, 13 nov. 1985. Disponível em: http://www.sinj.df.gov.br/sinj/Norma/12585/Decreto_9036_13_11_1985.html. Acesso em: 13 nov. 2020.

Governo do Distrito Federal (2017). Proposta de Minuta PLC PPCUB, de 2017. Aprova o Plano de Preservação do Conjunto Urbanístico de Brasília – PPCUB e dá outras providências. Lex: Proposta de Minuta de Lei. ed. Brasília, DF: Projeto de Lei Minuta PLC. Disponível em: http://www.seduh.df.gov.br/wp-conteudo/uploads/2017/11/Minuta-PLC-PPCUB.pdf. Acesso 16 nov. 2020.

Hall, P. (1995). Cidades do Amanhã. São Paulo. Editora Perspectiva.

Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional [IPHAN] (2019). Lista dos bens tombados e processo em andamento (1938-2019). Disponível em: http://portal.iphan.gov.br/pagina/detalhes/126. Acesso 13 nov. 2020.

Kallas, L. M. E., Guillen-Salas, J. C., & Silva, E. A. S. da. (2020). Resgate, valorização, educação e documentação do patrimônio por meio de sketches. Revista Jatobá, v. 2, Recuperado de https://www.revistas.ufg.br/revjat/article/view/66526. Acesso 10 nov. 2020.

Le Corbusier (1993). Carta de Atenas (Trad., Rebeca Scherer). [S.I]: Edusp.

Le Corbusier (1979). Os três estabelecimentos urbanos (Trad., Dora Maria de Aguiar). São Paulo: Editora Perspectiva.

Patrimônio cultural no DF: bens tombados (2009). Brasília: Superintendência do IPHAN no Distrito Federal.

Peponis, J. (1989). Espaço, cultura e desenho urbano no modernismo tardio e além dele. Boletim do Instituto de Arquitetura e Urbanismo. n. 51, Brasília: Universidade de Brasília.

Plano Piloto 50 anos: cartilha de preservação de Brasília (2009). Brasília: Superintendência do IPHAN no Distrito Federal. Reimpressão.

Reis, C. M. (Org.) (2014). Relatório do Plano Piloto (3a ed.). Brasília: Superintendência do IPHAN no Distrito Federal.

Relatório técnico sôbre a nova capital da república (1957). Rio de Janeiro: Departamento Administrativo do Serviço Público – Serviço de documentação., Serviço de Documentação. 1957. Disponível em: http://www2.senado.leg.br/bdsf/handle/id/185570. Acesso 12 nov. 2020.

Riegl, A. (1984). Le Cult modern des monuments (Trad., Fr. D. Wieczorek). Paris: Le Seuil.

Riegl. A. (2014). O culto moderno dos monumentos: a sua essência e a sua origem (Trad., Werner Rothschild Davidsohn, & Anat Falbel). São Paulo: Perspectiva.

Rios, A., Fernandes, A., Cintra, C., & Feitoza, C. (2018). Queda de viaduto na Galeria dos Estados completa 1 ano: Apenas 35% das obras estão concluídas. Correio Braziliense. 2018. http://especiais.correiobraziliense.com.br/queda-de-viaduto-na-galeria-dos-estados-completa-1-ano. Acesso em: 10 nov. 2020.

Santos Neto, I. de C. (1991). Centralidade Urbana: espaço e lugar. 1991. Tese (Doutorado), Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

Secchi. B. (1977). A primeira lição de urbanismo (Trad., Maria Barda & Pedro M. R. Sales). São Paulo: Editora Perspectiva.

Tavares, J. C. (2004). Projetos para Brasília e a cultura urbanística nacional. 2004. Dissertação (Mestrado em Tecnologia do Ambiente Construído), Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo, São Carlos, 2004. doi:10.11606/D.18.2004.tde-23092008-111353. Acesso em: 12 nov. 2020.

Varnhagen, F. A., Visconde de Porto Seguro (1877). A questão da capital: marítima ou no interior?. Vienna D´austria : Edição por conta do autor. Disponível em: https://bd.camara.leg.br/bd/handle/bdcamara/3102. Acesso em: nov. 2020.

Downloads

Publicado

2020-12-18

Como Citar

KALLAS, L. M. E. .; SILVA, E. A. S. da; GUILLEN-SALAS, J. C. O patrimônio edificado e urbanístico do plano piloto de Brasília [DF]: documentação, valorização e resgate por meio dos ‘sketches’. Labor e Engenho, Campinas, SP, v. 14, p. e020014, 2020. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/labore/article/view/8663414. Acesso em: 16 out. 2021.