O que podem saber os seres não-oniscientes

sobre a resposta de Lynne Baker ao fisicalismo

Autores

Palavras-chave:

Realismo prático, Fisicismo, Atitudes proposicionais, Poderes causais, Condições contrafactuais

Resumo

O presente trabalho analisa criticamente o realismo prático de Lynne Baker. As principais teses e características da perspectiva de Baker são reconstruídas contra o pano de fundo do que ela denomina a visão standard das atitudes proposicionais e sua eficácia causal. O teste dos contrafactuais, proposto por Baker, para a atribuição de poder causal a estados mentais é,então, criticado. A tese aqui defendida diz que a proposta de Baker fracassa por não ser capaz de fornecer uma resposta adequada ao problema da suficiência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Clara Dias, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutora pela Freie Universitat Berlin. Professora na Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Referências

Baker, L.R. (1995). Explaining Attitudes (Cambridge, Cambridge University Press).

Baker, L.R. (2000). Persons and Bodies: A Constitution View (Cambridge, Cambridge University Press).

Dancy, J. (2000). Practical Reality (Oxford, Oxford University Press).

Kim, J. (1998). Mind in a Physical World. An Essay on the Mind/Body Problem and Mental Causation (Cambridge, Mass., MIT Press).

Downloads

Publicado

2002-03-31

Como Citar

DIAS, M. C. O que podem saber os seres não-oniscientes: sobre a resposta de Lynne Baker ao fisicalismo. Manuscrito: Revista Internacional de Filosofia, Campinas, SP, v. 25, n. 3, p. 89–104, 2002. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/manuscrito/article/view/8644640. Acesso em: 3 fev. 2023.

Edição

Seção

Artigos