Banner Portal
Sobre o método de Descartes
PDF

Palavras-chave

Descartes
Martial Gueroult
Método axiomático
Método cartesiano
Problema de Pappus

Como Citar

LOPARIC, Zeljko. Sobre o método de Descartes. Manuscrito: Revista Internacional de Filosofia, Campinas, SP, v. 14, n. 2, p. 93–112, 1991. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/manuscrito/article/view/8666794. Acesso em: 14 abr. 2024.

Resumo

O presente artigo propõe uma interpretação do método científico e filosófico de Descartes diretamente oposta à defendida por Martial Gueroult. Sustenta, com efeito, que o método cartesiano foi inspirado em Pappus e não em Euclides, como diz Gueroult. Apresenta, em seguida, um estudo da diferença entre o método de análise e síntese de Pappus e o método axiomático de Euclides. O Artigo examina, ainda, a adaptação do método poppusiano feita por meio de Descartes e mostra o seu uso por meio de alguns exemplos tirados da obra cartesiana, tanto científica quanto filosófica. Por fim, são criticadas algumas teses adicionais da interpretação gueroultiana do método de Descartes.

PDF

Referências

Adam, Ch. e Tannery, P. (1974). Oeuvres de Descartes (AT). Paris. Vrin.

Alquié, F. (1963/73). Oeuvres philosophiques de Descartes. Paris Garnier. 3 vols.

Descartes, R. (1973). Coleção Os Pensadores. S. Paulo: Ed. Abril.

Gilson, E. (1925). René Descartes: Discours de la méthode. Paris: Vrin.

Gueroult, M. (1968). Descartes selon l’ordre des raisons. Paris: Vrin. 2 vols.

Heath, T.L. (1953). The Works of Archimedes. New York: Dover.

Heath, T.L. (1964). Diophantus of Alexandria. New York: Dover.

Hintikka, J. e Remes, U. (1974). The Method of Analysis. Dordrecht: Reidel.

Hintikka, J. e Remes, U. (1985). A análise geométrica dos antigos e a lógica moderna, Cadernos de História e Filosofia da Ciência 4: 28-47.

Lopari´c, Z. (1975). Descartes segundo a ordem das dificuldades. Discurso 6: pp. 151-185.

Lopari´c, Z. (1989). Paradigmas cartesianos. Cadernos de História e Filosofia da Ciência, Série 2, vol. 1, n. 2: 185-212.

Malebranche, N. (1962). De la recherche de la vérité. Paris: Vrin.

Scholz, H. (1980). A axiomática dos antigos. Cadernos de História e Filosofia da Ciência 1: pp. 5-20.

Schüling, H. (1969). Die Geschichte der axiomatischen Methode im 16. und beginnenden 17. Jahrhundert. Hildesheim: Olms.

Vuillemin, J. (1962). La philosophie de l’algébre. Paris: P.U.F.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 1991 Manuscrito: Revista Internacional de Filosofia

Downloads

Não há dados estatísticos.