Pesquisas pré-eleitorais: legitimidade, influência e contribuições à cidadania

Autores

  • Gustavo Venturi Universidade de São Paulo

Palavras-chave:

Pesquisa pré-eleitoral. Legislação eleitoral. Informação política

Resumo

Este artigo focaliza o papel das pesquisas pré-eleitorais nos processos de decisão de voto no Brasil, e considera os aspectos éticos - colocando o campo na moralidade como o lugar da problematização dos conflitos a respeito do uso e divulgação das pesquisas -, aspectos metodológicos - apontando a importância da utilização dos métodos científicos para a legitimidade das pesquisas -, e jurídicos, no sentido da transparência garantida em lei quanto às técnicas e condições de produção das pesquisas. O autor analisa algumas imprecisões da legislação eleitoral vigente - lei 8.713 - quanto ao assunto, no sentido de afirmar que o direito dos eleitores a informação prevalece sobre qualquer outro interesse possivelmente ferido pela divulgação das pesquisas pré-eleitorais.

 

Abstract

This article focuses on the role of the pre-electoral polls in voting decision - making processes in Brazil, and it considers three aspects: the ethic aspects, by establishing the field of the morality as the place of the conflicts related to the use and to the publication of the polls’ results; the methodological aspects - by explaining the importance of the scientific methods to legitimate its results; the legal aspects, in order to guarantee the transparency of the techniques and the circumstances under which the polls are carried out. The author analyses some imprecise aspects of the Brazilian electoral law nº 8.713, in order to affirm the voters’ right to the information, which prevails over any other interest possibly affected by the publication of the pre-electoral polls. 

Keywords: pre-electoral polls, electoral legislation, political information

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gustavo Venturi, Universidade de São Paulo

Professor do Departamento de Sociologia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo. Concluiu mestrado em Sociologia (1995) e doutorado em Ciência Política (2003), ambos pela USP. Estruturou e coordenou o Núcleo de Opinião Pública da Fundação Perseu Abramo (1997/08), desenvolvendo pesquisas de cultura política e estudos sobre marcadores sociais da diferença (gênero e identidades sexuais, raça e etnias, classe social, juventude e velhice). Atualmente articula esses temas em pesquisa sobre moralidade, tolerância às diversidades e direitos humanos. Consultor de campanhas eleitorais desde 1996, foi diretor da Criterium Assessoria em Pesquisas (2001/08), focada na avaliação de políticas públicas, atendendo governos municipais e federal em diversas áreas. Trabalhou 11 anos no Instituto de Pesquisas Datafolha (1985/96), dirigindo-o por 4 anos. É coordenador-adjunto do Consórcio de Informações Sociais (CIS, fruto de convênio USP/Anpocs) e tutor do Programa de Educação Tutorial (PET) do MEC nas Ciências Sociais da USP. Pesquisador do Núcleo de Estudos para Prevenção da Aids (Nepaids- USP), do Centro de Estudos de Opinião Pública (CESOP- Unicamp) e do grupo de pesquisa ?Opinião Pública: marketing político e comportamento eleitoral? (CNPq- UFMG). 

Referências

CAVALLARI, M.; OLSEN, O.; STRAUBHAAR, J. O uso de pesquisas eleitorais em decisões de voto. Opinião Pública, Campinas, CESOP, Unicamp, v. II, n. 2, dez 1994.

HABERMAS, J. Consciência moral e agir comunicativo. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1989.

VENTURI, G. Como não ser enganado pelas pesquisas eleitorais. In: DIMENSTEIN, G. Como não ser enganado nas eleições. São Paulo: Ática, 1994.

VENTURI, G. Influência de pesquisa é pequena. Folha de S.Paulo, 17 abril 1994.

Publicado

2015-10-16

Como Citar

Venturi, G. (2015). Pesquisas pré-eleitorais: legitimidade, influência e contribuições à cidadania. Opinião Pública, 3(2), 129–145. Recuperado de https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/op/article/view/8640998

Edição

Seção

Artigos