A utilização de métodos qualitativos na ciência política e no marketing político

Autores

  • Luciana Veiga Laboratório de Pesquisas em Comunicação Política e Opinião Pública/ Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro
  • Sônia Maria Guedes Gondim Departamento de Psicologia/ Universidade Federal da Bahia

Palavras-chave:

Métodos qualitativos. Marketing político. Grupos focais. Campanha presidencial de 1998

Resumo

O artigo discorre sobre a utilização da abordagem qualitativa na Ciência Política e no Marketing Político. As discussões apresentadas derivam-se, principalmente, da experiência acadêmica com a pesquisa Ideologia Política, Propaganda Eleitoral e Voto: o efeito persuasivo do Horário Eleitoral na Campanha da Presidência da República, em que foram empregadas as técnicas de entrevista em profundidade e grupos focais

 

Abstract

This paper discusses the use of qualitative research technie to the study Political Science and to the Political Marketing. The issues discussed here drawn from the research on Political Ideology, Electoral Propaganda and Votes: the effect of “horário electoral” on the presidency campaign, in which were used depth interviews and focus group technies.

Key words: qualitative methods, political marketing, focus groups, 1998 presidency campaign

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciana Veiga, Laboratório de Pesquisas em Comunicação Política e Opinião Pública/ Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro

Possui mestrado e doutorado em Ciência Política (Ciência Política e Sociologia) pelo Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro (2001) e pós-doutorado em Ciência Política pela Universidade da Califórnia - Irvine, 2013. Visiting Scholar em York University, em 2010. Atualmente é professora associada da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - Unirio, atuando no curso de graduação em Ciência Política. Atua ainda nos programas de Pós-Graduação de Ciência Política e de Sociologia da UFPR; e como pesquisadora colaboradora no Laboratório de Comunicação Política e Opinião Pública do IESP. Membro do conselho consultivo do Centro de Estudos de Opinião Pública - CESOP/Unicamp. Membro do Conselho Executivo da Associação Latino Americana de Ciência Política - ALACIP. Foi coordenadora do curso de Mestrado em Ciência Política da UFPR (2011 e 2012), após ser vice coordenadora do curso (2008-2010); diretora da Associação Brasileira de Ciência Política (2010-2012), após ser membro do conselho fiscal (2008-2010) da mesma associação; presidente da Associação Brasileira de Pesquisadores em Comunicação Política - Compolitica (2011-2013); vice-coordenadora do Grupo de Trabalho Partidos e Sistemas Partidários - Anpocs (2007 a 2011). 

Sônia Maria Guedes Gondim, Departamento de Psicologia/ Universidade Federal da Bahia

Possui graduação em Psicologia pelo Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora (1981), mestrado em Psicologia (Psicologia Social) pela Universidade Gama Filho (1990) e doutorado em Psicologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1998). Atualmente é professora associada nível IV da Universidade Federal da Bahia. Tem experiência em pesquisa e consultoria nas área de Psicologia, com ênfase em processos de seleção, Identidade profissional, mapeamento e desenvolvimento de Competências, avaliação de potencial gerencial, desenvolvimento de gestão, avaliação de desempenho, planejamento estratégico.

Referências

BARBOZA FILHO, Rubem. & MAGALHÃES, Raul Francisco. (1997) As eleições municipais de 1996: a tese da municipalização e a força nacional dos partidos. Comunicação e Política. Vol. IV (1): 38-49, (janeiro-abril).

BARDIN, Lawrence. (1977) Análise de conteúdo. Tradução de Luis Antero Reto e Augusto Pinheiro, Lisboa, Edições 70.

BION, W. (1961) Experiences in group. Londres, Tavistock Institute.

BOBBIO, Norberto; MATTEUCCI, N. & PASQUINO, G. (1986) Dicionário de política. Tradução: Carmen C. Varrialle, Gaetano Lo Mônaco, João Ferreira, Luís Guerreiro Pinto Cacais e Renzo Dini, Brasília, Editora da Universidade de Brasília.

BOGARDUS, E. S. (1926) The group interview, Journal of Applied Sociology, 10: 372-382.

CARLINI-COTRIM, Beatriz. (1996) Potencialidades da técnica qualitativa grupo focal em investigações sobre abuso de substâncias, Revista Saúde Pública, 30 (3): 285-93.

EDMUNDS, Hollly. (1999) The focus group: Research handbook. Chicago, NTC Business Book/Amercian Marketing Association.

FIGUEIREDO, Rubens. (2000) O marketing político: entre a ciência e a razão. In: FIGUEIREDO, Rubens (org.) Marketing político e persuasão eleitoral. São Paulo, Fundação Konrad Adenauer, p.11- 41.

GUESS, Raymond. (1988) Teorica crítica: Habermas e a escola de Frankfurt. Tradução: Bento Itamar Borges. São Paulo, Papirus.

HOLZKAMP, K. (1977) Pressupostos antropológicos ocultos da psicologia geral. In: GADAMER, Howard G. & VOGLER, P. (orgs.) Nova antropologia. Coordenador da edição brasileira: Egon Schaden. São Paulo, EPU, Ed. Universidade de São Paulo, vol. 5:169- 200.

KRÜGER, Helmuth. (1986) Introdução a psicologia social. São Paulo, EPU.

MAGALHÃES, Raul Francisco. (1993) A ciência política e o marketing eleitoral: algumas elaborações teórica. Comunicação & Política. Vol 1 (3):127-38.

MAGALHÃES, Raul Francisco e VEIGA, Luciana Fernandes. (2000) Manipulações cognitivas da político: o eleitor comum diante da campanha presidencial de 1998. In: FIGUEIREDO, Rubens (org.) Marketing político e persuasão eleitoral. São Paulo, Fundação Konrad Adenauer, p.205 – 231.

MAINGUENEAU, Dominique. (1997) Os termos chaves da análise do discurso. Lisboa, Gradiva.

MERTON, Robert King, FISKE, Marjorie & KENDALL, Patricia L. (1990) The focused interview: a manual of problems and procedures. New York, Free Press.

MORALES, Jose Francisco. (org.) (1997) Psicología social. Madrid, McGraw-Hill.

MORGAN, David. (1988) Focus group as qualitative research. Newbury Park, Sage Publication.

MYERS, David G. (1999) Social psychology. New York, McGraw-Hill College.

PICHÓN-RIVIERE, Enrique. (1975) El processo grupal: Da psicanálise à psicologia social. Buenos Aires, Ediciones Nueva Vision.

RODRIGUES, Aroldo; ASSMAR, Eveline Maria Leal & JABLONSKI, Bernardo. (2000) Psicologia social. Petrópolis, Vozes.

SCHULTZ, Alfred. (1974) El problema de la realidad social. Buenos Aires, Amorrortu.

SCHULTZ, William. (1978) Psicoterapia pelo encontro. São Paulo, Atlas.

SCHERMERHORN, John R. ; HUNT, James G. & OSBORN, Richard N. (1999) Fundamentos de comportamento organizacional. Tradução: Sara Rivka Gedanke. Porto Alegre, Bookman.

WEISS, Robert S. (1994) Learning from stranger: the art and method of qualitative interview studies. New York, The Free Press.

Downloads

Publicado

2015-10-16

Como Citar

VEIGA, L.; GONDIM, S. M. G. A utilização de métodos qualitativos na ciência política e no marketing político. Opinião Pública, Campinas, SP, v. 7, n. 1, p. 1–15, 2015. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/op/article/view/8641071. Acesso em: 23 jan. 2022.

Edição

Seção

Artigos