Boa noite, e boa sorte: determinantes da demissão de ministros envolvidos em escândalos de corrupção no primeiro governo Dilma Rousseff

Autores

  • Cletiane Medeiros Araújo Universidade Federal de Pernambuco
  • Saulo Felipe Costa Universidade da Paraíba
  • Ítalo Fittipaldi Universidade de Paraíba

Palavras-chave:

Escândalos. Notícia. Corrupção. Governo. Accountability política.

Resumo

Quais os determinantes para demissão de ministros? Este artigo analisa a onda de escândalos de corrupção envolvendo ministros do primeiro governo Dilma Rousseff. O desenho de pesquisa combina estatística descritiva e análise multivariada para testar as hipóteses de que notícias sobre escândalos políticos, competição política e gerenciamento da coalizão impactam positivamente na probabilidade de o ministro denunciado deixar a pasta ministerial. O estudo foi realizado a partir da construção de uma base de dados, para a qual foram coletadas 677 notícias de três jornais de larga circulação nacional, a saber: Folha de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e O Globo, ao longo dos 17 primeiros meses do governo. Os resultados apontam que quanto maior o número de matérias sobre os escândalos de corrupção do ministro denunciado maior a probabilidade de ele ser demitido. Espera-se, através deste estudo de caso, contribuir para a agenda de pesquisa sobre a relação escândalos políticos/instituições democráticas/accountability, buscando situar esse fenômeno na democracia brasileira recente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cletiane Medeiros Araújo, Universidade Federal de Pernambuco

Doutoranda em Ciência Política pela Universidade Federal de Pernambuco, Mestre em Ciência Política pela Universidade Federal de Pernambuco (2012), possui graduação em Bacharelado em Ciências Sociais pela Universidade Federal da Paraíba (2010). Atualmente é associada - Asociación Latinoamericana de Ciencia Política e categoria estudante da Associação Brasileira de Ciência Política. Tem experiência na área de Ciência Política, com ênfase em Políticas Públicas, atuando principalmente nos seguintes temas: Corrupção política, reformas administrativas e políticas públicas.

Saulo Felipe Costa, Universidade da Paraíba

Doutorado em Ciência Política pela Universidade Federal de Pernambuco (2016), Mestre em Ciência Política pela UFPE (2012) e em Relações Internacionais pela Universidade Estadual da Paraíba (2011), Bacharel em Ciências Sociais pela Universidade Federal da Paraíba (2009). Tem experiência na área de Ciência Política, com ênfase em Políticas Públicas, atuando principalmente nos seguintes temas: economia política, ciclos eleitorais, gastos governamentais, desigualdade, capacidade institucional e ferramentas estatísticas.

Ítalo Fittipaldi, Universidade de Paraíba

Doutorado e mestrado em Ciência Política pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), com graduação em Economia pela Universidade Católica de Pernambuco. Professor do Departamento de Ciências Sociais e do Programa de Pós-Graduação em Ciência Política e Relações Internacionais da Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Desenvolve atividades na área de ensino e pesquisa em Políticas Públicas, com ênfase em Métodos Quantitativos. É coordenador do Núcleo de Pesquisa Aplicada em Políticas Governamentais (NPGOV). Tem experiência em economia política, gestão governamental, análise e avaliação de políticas públicas, com atuação como consultor técnico em agências governamentais.

Referências

ABRANCHES, S. H. "Presidencialismo de coalizão: o dilema institucional brasileiro". Dados, n° 31, 1988.

AMES, B. The deadlock of democracy in Brazil. Ann Arbor: University of Michigan Press, 2001.

BALÁN, M. "Competition by denunciation: the political dynamics of corruption scandals in Argentina and Chile". In: Annual Meeting of the Midwest Political Science Association, Chicago, April 2-5, 2009.

CARVALHO, N. R. E no início eram as bases: geografia política do voto e comportamento legislativo no Brasil. Rio de Janeiro: Revan, 2003.

CHAIA, V. Jornalismo e política: escândalos e relações de poder na Câmara Municipal de São Paulo. São Paulo: Hacker, 2004.

COX, G. W.; MCCUBBINS, M. D. The institutional determinants of economic policy outcomes. In: HAGGARD, S.; MCCUBBINS, M. D. (eds.). Presidents, parliaments and policy. New York: Cambridge University, 2001.

DIAMOND, L. "Thinking about hybrid regimes". Journal of Democracy, vol. 13, n° 2, p. 21-35, 2002.

DIAMOND, L.; MORLINO, L. "The quality of democracy: an overview". Journal of Democracy, vol. 15, n° 4, p. 20-31, 2004.

DIAMOND, L. (eds.). Assessing the quality of democracy. Baltimore: Johns Hopkins University Press, 2005.

FIGUEIREDO, A.; LIMONGI, F. Poder de agenda na democracia brasileira: desempenho do governo no presidencialismo pluripartidário. In: SOARES, A. D. G.; RENNÓ, R. L. (orgs.). Reforma política: lições da história recente. Rio de Janeiro: Editora FGV, p. 249-280, 2006.

KING, K.; ZENG, L. Logistic regression in rare events data. Department of government. Cambridge: Harvard University, 1999.

KINZO, M. D. G. Radiografia do quadro partidário brasileiro. São Paulo: Fundação Konrad Adenauer, 1993.

KRUEGER, A. O. "The political economy of the rent-seeking society". The American Economic Review, vol. 64, n° 3, p. 291-303, 1974.

LAMOUNIER, B.; MENEGUELLO, R. Partidos políticos e consolidação democrática. São Paulo: Brasiliense, 1986.

LINZ, J. J. Presidential or parliamentary democracy: does it make a difference?. In: LINZ, J. J.; VALENZUELA, A. (eds.). The failure of presidential democracy: the case of Latin America. Baltimore: Johns Hopkins University Press, 1994.

LOWI, T. "American business, public policy, case studies and political theory". World Politics, vol. 16, n° 4, p. 677-715, 1963.

LOWI, T. Foreword. In: MARKOVITS e SILVERSTEIN (eds.). The politics of scandal: power and process in liberal democracies. New York: Holmes & Meier, 1988.

MAINWARING, S. Sistemas partidários em novas democracias: o caso do Brasil. Rio de Janeiro: FGV, 1999.

MANIN, B. The principles of representative government. Cambridge: Cambridge University Press, 1997.

MARKOVITS, A. S.; SILVERSTEIN, M. Introduction: power and process in liberal democracies. In: MARKOVITS, A. S. (eds.). The politics of scandal: power and process in liberal democracies. Nova York: Holmes & Meier, 1988.

MELO, M. A. "O viés majoritário na política comparada: responsabilização, desenho institucional e qualidade democrática". Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, vol. 22, n° 63, p. 11-29, fev. 2007.

MELO, M. A. "Por que alguns malfeitos tornaram-se escândalos?". Valor Econômico, São Paulo, p. a8, 27 jan. 2012.

MIGUEL, L. F. "Um ponto cego nas teorias da democracia: os meios de comunicação". BIB – Revista Brasileira de Informação Bibliográfica em Ciências Sociais, Rio de Janeiro, n° 49, p. 51-77, 2000.

MIGUEL, L. F. "A mídia e o declínio da confiança na política". In: Anais do Encontro da Compós, 16. Curitiba, 2007

MOISÉS, J. A. "Cultura política, instituições e democracia: Lições da experiência brasileira". Revista Brasileira de Ciências Sociais, vol. 23, n° 66, p. 11-44, 2008.

MORENO, E.; CRISP, B.; SHUGART, M. The accountability deficit in Latin America. In: MAINWARING, S.; WELNA, C. (eds.). Democratic accountability in Latina America. New York: Oxford University, 2003.

MORLINO, L. "What is a 'good' democracy? Theory and empirical analysis". In: Annals of Conference "The European Union, Nations State, and the Quality of Democracy - Lessons from the Southern Europe", University of California, 2002.

NYE, J. S. "Corruption and political development: a cost-benefit analysis". American Political Science Review, vol. 61, p. 417-427, 1967.

O'DONNELL, G. "Accountability horizontal e novas poliarquias". Lua Nova, n° 44, 1998.

PEREIRA, C.; POWER, T.; RAILE, E. Presidencialismo de coalizão e recompensas paralelas: explicando o escândalo do mensalão. In: INACIO, M.; RENNÓ, L. (eds.). Legislativo brasileiro em perspectiva comparada. Minas Gerais: Editora da UFMG, p. 207-340, 2009.

PERUZZOTTI, E.; SMULOVITZ, C. Controlando la política. Buenos Aires: Temas Grupo Editorial, 2002.

PORTO, M. A crise de confiança na política e suas instituições: a mídia e a legitimidade da democracia. In: BARQUERO, M. (org.). Condicionantes da consolidação democrática: ética, mídia e cultura política. Porto Alegre: Editora da Universidade da UFRGS, p. 41-64, 1996.

PORTO, M. Enquadramentos da mídia e política. In: RUBIM, A. A. (org.). Comunicação e política: conceitos e abordagens. Salvador: EdUFBa, p. 73-104, 2004.

POWELL, G. B. "The chain of responsiveness". Journal of Democracy, vol. 15, no 4, p. 91-105, 2004.

PRZEWORSKI, A.; STOKES, S. Citizen information and government accountability: what must citizens know to control government. New York University & University of Chicago, multicopiado, 1995.

RAILE, E.; PEREIRA, C.; POWER, T. "The executive toolbox: building legislative support in a multiparty presidential regime". Political Research Quarterly, vol. 64, p. 323-334, 2011.

REIS, F. W. Partidos, ideologia e consolidação democrática. In: REIS, F. W., O'DONNELL, G. (orgs.). A democracia no Brasil: dilemas e perspectivas. São Paulo: Vértice, 1988.

RUBIM, A. A. C. "A contemporaneidade como idade mídia". Revista Interface, Comunicação, Saúde, Educação, vol. 4, n° 7, p. 25-36, 2000.

SANTOS, F. O Poder Legislativo no presidencialismo de coalizão. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2003. p. 29-110.

SEN, A. Development as freedom. Nova York: Knopf, 1999.

SHIN, D. C. Democratization: perspectives from global citizenries, In: DALTON, R.; KLINGEMANN, H-D. (eds.). The Oxford handbook of political behavior. Oxford: Oxford, 2007.

SHUGART, M. S.; CAREY, J. M. Presidents and Assemblies: constitutional design and electoral dynamics. Cambridge: Cambridge University Press, 1992.

THOMPSON, J. B. O escândalo político: poder e visibilidade na era da mídia. Petrópolis: Vozes, 2002.

TULLOCK, G. "Welfare costs of tariffs, monopoly and theft". Western Economic Journal, p. 291-303, 1967.

VIANNA, L. J. W. A democracia e os três poderes no Brasil. Rio de Janeiro/Belo Horizonte: Editora da UFMG/Iuperj/Faperj, 2002.

WEFFORT, F. C. Qual democracia?. São Paulo: Cia. das Letras, 1992.

ZUCCO, C.; LAUDERDALE, B. "Ideal point estimates of Brazilian legislators (1989-2011)". Legislative Studies Quarterly, vol. XXXVI, no 3, August 2011.

Downloads

Publicado

2016-06-02

Como Citar

ARAÚJO, C. M.; COSTA, S. F.; FITTIPALDI, Ítalo. Boa noite, e boa sorte: determinantes da demissão de ministros envolvidos em escândalos de corrupção no primeiro governo Dilma Rousseff. Opinião Pública, Campinas, SP, v. 22, n. 1, p. 93–117, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/op/article/view/8646021. Acesso em: 22 jan. 2022.

Edição

Seção

Artigos