Havia uma Canudos no “Pinheirinho” em São José dos Campos: sentidos da ação policial no espaço urbano

Autores

  • Anderson de Carvalho Pereira Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

DOI:

https://doi.org/10.20396/rua.v20i1.8637540

Palavras-chave:

Canudos. Planejamento urbano. Cidade. Discurso. São José dos Campos

Resumo

Uma das reportagens sobre a violenta ação policial ocorrida no bairro Pinheirinho em São José dos Campos, interior de São Paulo, no início de 2012, estabelece analogias com a derrocada do arraial de Canudos, ao fim do século XIX. Neste artigo, mostramos um lugar do imaginário sobre espaço urbano, a partir da análise de enunciados veiculados em manchetes bem como em formas narrativas acerca dessa ação policial ocorrida no bairro Pinheirinho. Por meio de uma análise discursiva, apontamos os mecanismos ideológicos por meio dos quais se sustentam evidências de sentidos sobre ação policial no espaço urbano. Assim, indicamos sentidos sobre espaço urbano em que a inquietação e a resistência confrontam a aparente resolução da problemática habitacional brasileira nas grandes cidades.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Anderson de Carvalho Pereira, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

Doutor em Psicologia pela USP, com estágio na Universidade de Paris XIII. Professor Adjunto do Departamento de Educação, Ciências Humanas e Linguagem da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

Referências

ALTHUSSER, L. 1980. Ideologia e Aparelhos Ideológicos do Estado. São Paulo/SP: Presença/Martins Fontes. 1980.

BAUMAN, Z. 2003. “O nível mais baixo: o gueto”. In. BAUMAN, Z. Comunidade: a busca por segurança no mundo atual. Rio de Janeiro/RJ: Zahar. 100-112.

COURTINE, J.J. 1982. « Définitions d’orientations théoriques et construction de procédures en analyse du discours ». Philosophies, vol. IX, p.239-265, octobre, 1982.

COURTINE, J.J. 2006. Metamorfoses do discurso político: derivas da fala pública. São Carlos-SP: Claraluz editora.

COURTINE, J.J.; HAROCHE, C. 1988. “O Homem perscrutado: semiologia e antropologia política da expressão e da fisionomia do século XVII ao século XIX”. Tradução L.R.Romano. In: LANE, S.M.T.. Sujeito e Texto. EDU. São Paulo/SP: 37-60.

HAROCHE, C. 2005. “O comportamento de deferência: do cortesão à personalidade democrática”. Tradução de J A. Seixas. In.: História: Questões & Debates. Curitiba, n.42, p.115-139, ed. da UFPR.

MARIANI, B.S.C. 1998. O PCB e a imprensa: os comunistas no imaginário dos jornais (1922-1989). RJ: Revan, Campinas-SP: Ed da UNICAMP. 1998.

MARX, K.; ENGELS, F. 1998[1845-1846]. A ideologia alemã. Trad. L.C. Costa. SP/SP: Martins Fontes.

ORLANDI, E.P. 1987. A linguagem e seu funcionamento. Campinas/SP: Pontes. 1987.

ORLANDI, E.P. 1996. “Discurso: fato, dado, exterioridade”. In.: CASTRO, M.F.P. (org.). O método e o dado no estudo da linguagem. Campinas/SP. Ed. da UNICAMP, p. 209-219.

ORLANDI, E.P. 2001. “Vão surgindo sentidos”. In.: ORLANDI, E.P. (org.). Discurso Fundador. 2a.ed. Campinas/SP: Pontes. 2001. 7-21.

ORLANDI, E.P. “A casa e a rua: uma relação política e social”. Educ. Real., Porto Alegre, v. 36, n. 3, p. 693-703, set./dez. 2011. Disponível em: http://www.ufrgs.br/edu_realidade. acesso em 3/5/2013.

PÊCHEUX, M. 1981. « L'énoncé: enchâssement, articulation et dé-liaison ». In: Bernard Conein, et alii, eds., Matérialités discursives. Lille: Presses Universitaires de Lille. 1981: 143-148.

PÊCHEUX, M. 1993. Semântica e Discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Campinas/SP: UNICAMP.

PÊCHEUX, M. Discurso: Estrutura ou acontecimento? Campinas: Pontes, 1997.

PÊCHEUX, M. “Papel da memória”. In. : ACHARD, P. (org.) Papel da memória. Campinas/SP: Pontes. 1999.

PROST, A. 2002. “Transições e interferências”. IN.: P. ARIÈS; G. DUBY (orgs.). História da Vida Privada: da Primeira Guerra aos nossos dias. São Paulo/SP: Cia das Letras. 115-154.

RANCIÈRE, J. 1995. “O continente democrático”. In.: J. RANCIÈRE. Políticas da escrita. Rio de Janeiro/RJ: editora 34. 191-201.

SERRANI, S.M. 1997. “Um método para estudar a discursividade na abordagem de questões socioculturais”. In.: SERRANI, S. M. A linguagem na pesquisa sociocultural: um estudo da repetição na discursividade. Campinas/SP: ed. da UNICAMP. 53-71.

TATAGIBA, L; PATERNIANI, S. Z.; TRINDADE, T. A. 2012. “Ocupar, reivindicar, participar: sobre o repertório de ação do movimento de moradia de São Paulo”. Revista Opinião Pública, 18(2), 399-426. http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_isoref&pid=S010462762012000200007&lng=pt&tlng=pt acesso em 2/5/2013.

VALLADARES, L. 2000. “A gênese da favela carioca. A produção anterior às ciências sociais”. Rev. bras. Ci. Soc., São Paulo, v. 15, n. 44, out. 2000. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S01029092000000300001&lng=pt&nrm=iso. acesso em 03 maio 2013. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-69092000000300001.

WISSENBACH, C.C. 1999. “Da escravidão à liberdade: dimensões de uma privacidade possível”. In.: N. Sevcenko (org.). História da Vida Privada no Brasil – vol.3: República – da Belle Époque à Era doRádio. São Paulo/SP: Companhia das Letras editora. 1999. 49-130.

ZOPPI-FONTANA, M.G. 2011. “a cidade se mexe. Da bicicleta ao cycle chic”. Cadernos de Est. Ling., Campinas, v. 53, n. 2, p. 179-196, jul./dez. 2011.

Downloads

Publicado

2015-07-03

Como Citar

PEREIRA, A. de C. Havia uma Canudos no “Pinheirinho” em São José dos Campos: sentidos da ação policial no espaço urbano. RUA, Campinas, SP, v. 20, n. 1, p. 82–101, 2015. DOI: 10.20396/rua.v20i1.8637540. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rua/article/view/8637540. Acesso em: 27 jun. 2022.

Edição

Seção

Estudos