Imagem e ilegibilidade da forma urbana de Campinas

Autores

  • Luiz Tiago de Paula Universidade Estadual de Campinas
  • Eduardo Marandola Junior Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/rua.v20i1.8637571

Palavras-chave:

Forma urbana. Imagem da cidade. Experiência e percepção urbana

Resumo

Um dos traços das grandes cidades brasileiras é o espraiamento do tecido urbano, a gerar paisagens fragmentadas. A amplitude deste fenômeno é um dos fatores à produção de imagens frágeis e desarticuladas da cidade. Investigando Campinas-SP, o presente artigo objetiva detalhar elementos da forma urbana e analisar problemas de ilegibilidade da paisagem. Pretende-se balancear e refletir sobre qual o papel da forma urbana e como os processos e experiências coletivas podem proteger e difundir a importância da imagem da cidade à vida urbana.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiz Tiago de Paula, Universidade Estadual de Campinas

Bacharel em Geografia pelo Instituto de Geociências, Universidade Estadual de Campinas. Atualmente tem desenvolvido pesquisas relacionadas à Paisagem, Cartografia e Experiência Urbana.

Eduardo Marandola Junior, Universidade Estadual de Campinas

Geógrafo, Professor da Faculdade de Ciências Aplicadas, Universidade Estadual de Campinas, Brasil.

Referências

BANERJEE, T.; SOUTHWORTH, M. (eds.). 1991. City Sense and City Design: writings and projects of Kevin Lynch. Cambridge, MA: The MIT Press.

BERDOULAY, V.; GOMES, P.C. 2010. Image et espace public. Revue Géographie et Cultures, Paris, n.73.

BOTELHO, A. A. 2006. Revitalização Urbana em Niterói: uma visão antropológica. Dissertação [Mestrado em Antropologia]. Niterói: Universidade Federal Fluminense.

CORRÊA, R.L. 2011. Sobre agentes sociais, escala e produção do espaço: um texto para discussão. In: CARLOS, A.F.A.; SOUZA, M.L.; SPOSITO, M.E.B. (Orgs.) A produção do espaço urbano. São Paulo: Contexto.

DEL RIO, V.; OLIVEIRA, L. (Org.). 1996. Percepção ambiental: a experiência brasileira. São Paulo: Studio Nobel.

DE PAULA, L. T. 2012. Cartografias pessoais e experiência urbana: um estudo sobre a imagem da cidade de Campinas. Geograficidade, v. 2, p. 23-39.

DE PAULA, L. T. 2011 Cartografia da experiência urbana: as imagens e formas de Campinas. 123 p. Monografia (Trabalho de Conclusão de Curso em Geografia) – Instituto de Geociências, Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

GOHEEN, P. 1998. Public space and geography of the modern city. Progress in Human Geography, v.22, n.4, p. 479-496.

JEUDY, H.P. 2005. Espelho das cidades. (trad. Rejane Janowitzer) Rio de Janeiro: Casa da Palavra.

LANDIM, P. C. 2004. Desenho de paisagem urbana: as cidades do interior paulista. São Paulo: Ed. UNESP.

LYNCH, K. 2007. A boa forma da cidade. (trad. Jorge Manuel Costa Almeida e Pinto) Lisboa: Edições 70.

LYNCH, K. A imagem da cidade. 2003. (trad. Jefferson Luiz Camargo) São Paulo: Martins Fontes.

MALARD, M. L. 2006. As aparências em arquitetura. Belo Horizonte: UFMG.

MARANDOLA JR., E.; DE PAULA, F.C.; DE PAULA, L.T.; PIRES, M.C.S. 2012. Paisagem e imagem da cidade: a forma e a experiência urbana de Campinas. Campinas: Núcleo de Estudos de População/ Unicamp.

MARANDOLA JR., E. 2011a. Paisagem e imagem da cidade: a forma urbana de Campinas. Geografia, Rio Claro, v.36, n.3, p. 655-664.

MARANDOLA JR., E. 2011b. Campinas, no plural ou no singular? Imaginário e experiência urbana. In: IX REUNIÃO DE ANTROPOLOGIA DO MERCOSUL (RAM), Curitiba. Anais. Curitiba: RAM.

MUMFORD, L. 1998. A cidade na história: suas origens, transformações e perspectivas. 4ed. (trad. Neil R. da Silva) São Paulo: Martins Fontes.

PAES-LUCHIARI, M. T.D. 2006. Patrimônio cultural: uso público e privatização do espaço urbano. Geografia, v.31, n.1, p.47-60.

PANERAI, P. 2006. Análise urbana. (trad. Francisco Leitão) Brasília: Universidade de Brasília.

REIS, N. G. 2006. Notas sobre urbanização dispersa e novas formas de tecido urbano. São Paulo: Via das Artes.

RELPH, E. 1986. A paisagem urbana moderna. Lisboa: Edições 70.

SILVA, A. 2001. Imaginários urbanos. São Paulo: Perspectiva; Bogotá: Convenio Andres Bello.

SIMÕES JR., J. G. 1994. Revitalização de centros Urbanos. São Paulo: Pólis, n. 19.

SOUZA, C. L. 1996. De Kevin Lynch aos mapas cognitivos: a percepção ambiental no desenho urbano. Sinopses. São Paulo, n. 26, p.5-15.

VARGAS, H. C.; CASTILHO, A. L. H. 2006. Intervenções em centros urbanos: objetivos, estratégias e resultados. In: VARGAS, H. C. (orgs.). Intervenções em centros urbanos: objetivos, estratégias e resultados. Barueri (SP): Manole, p. 1-51.

Downloads

Publicado

2015-07-03

Como Citar

PAULA, L. T. de; MARANDOLA JUNIOR, E. Imagem e ilegibilidade da forma urbana de Campinas. RUA, Campinas, SP, v. 20, n. 1, p. 142–159, 2015. DOI: 10.20396/rua.v20i1.8637571. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rua/article/view/8637571. Acesso em: 23 maio. 2022.

Edição

Seção

Estudos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)